Header Ads

plágio / tereza du'zai

The photographer’s shadow (Olive Cotton and Max Dupain), c. 1935 





Vamos imitar os machistas do mundo,
Ignorar seus desejos,
Presenteá-los para seduzi-los,
Comê-los quando e como quisermos,
Estuprá-los caso “mereçam”,
Matá-los se atrevidos,
Explorá-los se submissos,
Empregá-los se assediáveis,
Desempregá-los se envelhecidos,
Difamá-los se orgulhosos,
Amaldiçoá-los se superiores.
Vamos priorizar nossos orgasmos, multiplicar nossos pares.
Sejamos insaciáveis, promíscuas, mentirosas, vulgares.
Ei, gostoso, que tal um filminho lá em casa hoje?


Tereza Du'Zai, natural de Itajaí, SC, é poeta, contista, cronista e professora de Língua Portuguesa e Literatura. O tempo, a loucura, a solidão e a morte são temas recorrentes na obra de Duzai que, desde 2015, tem se dedicado, também, à literatura fantástica e gótica. Vencedora do III Concurso UFES de Literatura na categoria poesia, participou também de coletâneas publicadas entre 2016 e 2017.

9 comentários:

  1. Oi, tudo bem? Não conhecia a autora e gostei do poema, bem pertinente. Gosto mais da poesia crua, que não se preocupa com rimas e com a estética, por isso gostei desse. Adorei o título do poema, aliás. Apesar de eu acreditar que o feminismo não é isso que ela coloca nas palavras, acho que são ótimas para a reflexão.

    Love, Nina.
    www.ninaeuma.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Uau!!

    Achei muito interessante esse poema, realista, forte e bem bem impactante!
    Confesso que não sou uma pessoa que curte muito poemas, mas é realmente impossível não apreciar um bom texto quando lido!
    Obrigada por trazer esse poema para nós.

    beijos

    ResponderExcluir
  3. Olá
    Não conhecia a autora, adorei o poema achei bem forte e realista.
    Nos toca de uma maneira inexplicável.
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Oi, tudo bem?
    Eu ainda não conhecia a autora, mas já gostei do poema. Mesmo não sendo um estilo de leitura que eu goste muito, achei forte e reflexivo, além de bastante atual.
    Gostei muito e vou procurar conhecer outros textos da autora.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Oi Lilian, sua linda, tudo bem?
    Esse texto é um verdadeiro tapa na cara. Eu sempre acreditei que para ensinar respeito devemos usar esse argumento, da pessoa se colocar no lugar da outra. Se é inaceitável para ela, então, é inaceitável para nós, todas as mulheres que somos tratadas dessa forma. A autora arrasou.
    beijinhos.
    cila.

    ResponderExcluir
  6. Olá, foi ótimo encontrar o meu "Plágio" por aqui. Obrigada, Maria Luíza, Florescendo Livros, Livros e Tal e Nina Spim. Abraço.

    ResponderExcluir
  7. E, claro, obrigada ao Poesia na Alma. Abraço.

    ResponderExcluir
  8. E, claro, obrigada ao Poesia na Alma. Abraço.

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma