Header Ads

A literatura em uma Escola Sem Partido





*Por Alana Freitas El Fahl

Pulemos para o Arcadismo já, coisas amenas, bucolismo... Desde que se excluam As cartas Chilenas, professora! E pseudônimos por que razão?

Romantismo, campo neutro, amor, morte. E Castro Alves questionando Deus? Deus, Deus, onde estais que não respondes? Melhor não, corremos riscos de falar de escravidão e cair na política de cotas. Corta Castro Alves, além disso, muito erótico, pode acender os hormônios dos alunos.

Realismo/Naturalismo. Pensando bem é melhor pular esse período todo. O Ateneu e O Bom-crioulo homossexualidade. O Cortiço, assimetrias sociais, tabus sexuais e exploração do homem pelo homem, teremos alunos com ódio dos patrões, gays e beberrões, nem pensar. Machado de Assis, neguinho metido a besta, péssimo exemplo. Os portugueses então? Eça, um safado que prega contra a moral das famílias, adultério, incesto. Queimem seus livros!

Parnasianismo e Simbolismo são tranquilos, arte pela arte, chapa-branca, Vaso Grego, Vaso chinês, Nefelibatas, Sinestesia... A cesta de Nero não! Ele era um pervertido! De Bilac, lembrar-se de não usar os sensuais, um fetichista safado. Cruz e Souza, um frustrado, péssimo exemplo de rancor.

E Augusto dos Anjos? Não! Um transgressor! Quem já viu cuspe e escarro ser poesia?

Pré-Modernistas. De Lobato, tira Emília e Visconde do Sítio. Ela, muito questionadora. Ele, um intelectual improdutivo. Neguinha pode ser fatal, dar sonhos às crianças pobres... Euclides? Dispensa também, estimula o poder dos nordestinos. Lima Barreto, nem pensar, suburbano, negro, cachaceiro, contraexemplo, os alunos podem passar a admirar um cara assim só porque escreveu uns textos excelentes.

Semana de 22, pula essa aula. Como ousam criticar o poder estabelecido. Bandos de anarquistas, baderneiros, ainda se juntaram com os pintores grotescos...

Anos 30, os mais perigosos de todos... Comunistas de carteirinha, Jorge Amado, talvez o pior de todos dando voz a tantos pobres e pretos causando convulsão social... Graciliano até foi preso. Drummond, Gauche já diz tudo. Cecília foi desencavar os inconfidentes com que intenção?Vinicius, um sedutor viciado em uísque, Rosa de Hiroshima é uma declaração de sua posição... E os nordestinos todos se achando só porque escreveram os principais romances do século...Lins do Rego hospedou Graciliano quando saiu da prisão, devia ser um comuna também...

Pós-Modernismo, por que pós? Querem romper de novo? Como pode um jagunço se apaixonar por um homem? Bois conversando só pode ser conversas cifradas armando alguma coisa... Ferreira Gullar, terrível! Agosto de 1964 nem existiu assim como se diz, para que falar de preço do feijão e liberdade pequena? Uma tal de Macabeia, só pode ser um disfarce, ninguém é daquele jeito...

Contemporâneos então...Fala a língua dos alunos...Língua dos Alunos? Você está brincando e a hierarquia?

Pensando melhor, talvez devemos abolir essa disciplina subversiva e só trabalharmos os Contos de Fada! Tudo bem desde que Chapeuzinho tire o chapéu...

*Alana Freitas El Fahl é professora titular de Literatura Portuguesa e Brasileira na Universidade Estadual de Feira de Santana

8 comentários:

  1. Olá, tudo bem? Muito interessante esse texto, ficou muito bem escrito. Parabéns para a Alana!

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
  2. Oi, tudo bem?
    Achei esse texto perfeito. Me preocupa muito ver os rumos que estão querendo dar para educação no Brasil. Não só a literatura, mas todas as matérias que fazem os alunos refletirem e pensarem criticamente estão ameaçadas.
    Adorei o texto e a imagem do post.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Que texto incrível! Realmente, estamos vivendo tempos surreais e assustadores. Acima disso tudo, o que mais me assusta é essa "demonização" dos professores, e me pergunto aonde isso irá parar. É absurdo atras de absurdo.
    Parabéns pelo post!

    ResponderExcluir
  4. Olá,
    Muito interessante a crítica, como não tenho ninguém a minha volta que está na escola eu sinceramente nem sei como andam as disciplinas. Como estudei em colégio público enquanto algumas matérias eu tive de mais outras eu tive de menos, por conta do próprio professor mesmo. Enfim gostei muito do seu texto.

    Debyh
    Eu Insisto

    ResponderExcluir
  5. Meu Deus, que texto maravilhoso! A vontade que dá é de imprimir e sair distribuindo que nem folheto de supermercado. Parece brincadeira, mas não é. Acho que mais pessoas deveriam ler isso e então colocar a mão na consciência. Ótimo, sem dúvidas vou compartilhar com mais pessoas!
    Abraços

    ResponderExcluir
  6. Que perfeição de texto, uma mensagem tão necessária, tão atual, um texto assi deveria ser lido por todos! Eu li com o coração na mão e agradeço à Alana por nos proporcionar uma leitura como essa e a você também, por compartilhar conosco aqui em seu blog.

    ResponderExcluir
  7. Gente, me belisca que não creio que esse texto tão fantástico veio me representar neste momento tão louco da educação e de tudo mais desse país. Simplesmente sem palavras para elogiar e reconhecer a beleza do texto e ao mesmo a tristeza da incerteza do momento.

    Bjo
    Tânia Bueno

    ResponderExcluir
  8. foda. pena os bolsolixos não compreenderem isso...

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma