Header Ads

Resenha – A trágica vida da Rainha Maria Stuart





Maria Stuart, de Stefan Zweig, Editora Record (2018), publicado originalmente em 1935, traz a biografia da enigmática rainha da Escócia (1542-1587) que, ao longo do tempo, teve sua história narrada pelo viés das incertezas. Entre heroína e assassina, a rainha dividiu e divide opiniões pelo mundo. Porém, o que é incontestável é sua trágica curta vida.

“E só graças a essa única paixão, que a destruiu enquanto ser humano, o seu nome ainda sobrevive na literatura e na interpretação.”

Já nos primeiros meses de vida Maria Stuart está cercada de intrigas políticas e arranjos matrimoniais, aos seis anos torna-se rainha da Escócia. Isso a converte em alvo de muita disputa, viam na jovem rainha um bom negócio, um objeto valioso, que acaba noiva do herdeiro da França.

“Do dia para noite, o destino daquela menina mudou graças ao vento político que sopra intenso e belicoso sobre o Canal: em vez de se tornar rainha da Inglaterra, a filha de Stuart de repente foi destinada a se tornar rainha da França.”

Não é possível, enquanto leitor, ficar indiferente a todos os acontecimentos em vida de Maria Stuart e aqueles que os cercavam, as ações de motivação política e uma verdadeira batalha para se manter viva, isso significava, manter o poder em mãos.



Por ser uma descendente de Henrique VII, Maria é uma aspirante ao trono da Inglaterra e seu casamento com o jovem e doente príncipe da França, logo a tornaria rainha da França, reinado que durou por um curto espaço de tempo. Isso a deixa envolta numa teia de conspirações e reviravoltas, mas o fato de ela ser mulher em pleno século XVI faz com que tome as decisões mais arriscadas.

“Mas para tonar-se rainha, para continuar rainha, a partir dali não lhe será mais permitido ser inteiramente verdadeira: uma pessoa que se entregou à política não pertence mais a si mesma e tem que obedecer a outras leis que não a sagrada lei da natureza.”

Após a morte do marido, o rei da França, Maria passa a ser perseguida de todos os lados, pelos escoceses e pelos ingleses, a então rainha Elizabeth I (1533-1603) temendo o poder de Maria Stuart em retirar seu trono, a condena como prisioneira por mais de vinte anos e por fim é decapitada com pouco mais de quarenta anos.

“Uma decisão mundial, mas para essas duas mulheres, essas duas rainhas, também uma decisão vital. Pois as linhas de sus destinos estão indissoluvelmente enlaçadas. (...) Só um combate de vida e morte pode resolver esse nó terrível”

Vale frisar aqui que a história da rainha Elizabeth I é tão peculiar e marcada por conflitos e traições quanto a de Maria Stuart. Essas duas mulheres tiveram suas vidas marcadas por alianças políticas, duas mulheres que se sobressaem num mundo dominado por homens e seus interesses políticos. Seus corpos não deixaram de ser objetos políticos, ou seja, não têm direito ao corpo e neste caso, a capacidade intelectual de ambas dá o rumo da história mundial.

7 comentários:

  1. Olá!! :)

    Eu confesso que não conhecia este livro, mas ainda abem que gosatste de fazer a leitura! :) Fico contente de ler a opinião.

    Enfim, realmente, sera uma ótima leitura para quem se interessa pela vida enigmática dessa rainha!

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  2. Olá,tudo bem?

    Um livro que conta sobre a luta de Maria Stuart que resistiu bravamente diante dos opressões e dar esperança e coragem para acreditar que dias melhores virão.
    Estou lendo bastante livros históricos,já foi colocando na lista para leitura desse ano.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Olá, tudo bem? Eu ainda não tinha conhecimento desse livro, mas parece ser realmente uma história bem interessante. Adorei tua resenha e fiquei doida para ler!

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
  4. Oiii!! Tudo bem?
    Não conhecia esse livro, mas gostei muito da sua dica de leitura.
    Eu gosto muito de livros assim, históricos, e fiquei bem entusiasmada para adquirir um exemplar pra mim <3

    xoxo
    www.amigadaleitora.com

    ResponderExcluir
  5. Eu adoro esse tipo de livro e esse já foi para a minha lista de desejados. Eu ainda não conhecia e adorei ver um pouco sobre a obra através da tua resenha.

    ResponderExcluir
  6. Olá,
    Realmente entendo bem pouco sobre esse período da história. Mas gostei de como o tema parece ser bem desenvolvido mesmo com base uma biografia.

    Debyh
    Eu Insisto

    ResponderExcluir
  7. Olá tudo bem? Recentemente adquiri um gosto diferente por esse tipo de leitura, adorei sua resenha e fiquei curiosa com a obra, adoraria conhecer melhor a história dessa mulher, sabendo de toda sua trajetória, beijos!

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma