Header Ads

O medo na Nigéria dos anos 80




Não estamos isolados em nossas escolhas, por traz delas existe a cultura, história, memória e geografia da comunidade a qual pertencemos. Em meados da década de 80, Yejide e Akin se conhecem, casam e concordam que não viverão um relacionamento poligâmico (por parte do marido, obvio). O que gera uma dicotomia, de um lado, eles querem um casamento monogâmico, de outro, a família do marido exige que Akin tenha várias mulheres e filhos, comum na cultura do país.

Apesar da promessa junto a mulher amada, Akin não consegue enfrentar sua própria família e cultura e casa-se novamente. Desesperada e disposta a lutar pelo que acredita, Yejide faz de tudo para engravidar, o que resulta, a princípio, numa gravidez psicológica. 

Assim, o destino cruel imposto ao amor não fortalece essa relação. Seria possível que o amor consiga sobreviver em meio a tantas normas e lugares de poder de uma sociedade? As imposições, o patriarcado e a política funciona como navalha do que outrora fora o sonho do jovem casal Yejide e Akin.

Amei Yejide desde o primeiro momento. Não tenho dúvida. Mas há coisas que nem mesmo o amor é capaz de fazer. Antes de me casar, eu acreditava que o amor podia tudo. Porém, logo descobri que ele não era capaz de suportar o peso de quatro anos sem filhos.


O desespero, apresentado pela autora nigeriana Ayòbámi Adébáyò, no livro Fique Comigo, Harper Collins, se mostra pelo luto, quando tudo o que foi desejado e planejado, definido como certo se esvai, se perde, é engolido e Yejidese se agarra ferozmente a alienação de poder ir de contra a realidade, isso porque Akin tem um segredo que interfere na possibilidade de gravidez. Que por sua vez faz as coisas mais loucas para sustentar a situação, a ponto de colocar o irmão na própria casa para ter relações com Yejidese.

Em algum momento na manhã daquele domingo, decidi que estava na hora de engravidá-la. Acabar com todas aquelas visitas loucas a sacerdotes e profetas de uma vez por todas.

O medo gera toda a coalisão e paralisa o amor do jovem casal, causando situações de perigo e descrédito. É pelo medo de não cumprir as normas sociais que vidas são limitadas e crises são geradas. A mesma turbulência vivenciada no casamento de Yejidese é exposta na sociedade nigeriana que passa por conflitos políticos, golpes de estado e profunda violência. A insegurança que uma mulher vivencia quando não consegue engravidar, é retratada na insegurança política. No fundo, ninguém sabe o que está acontecendo, são todos rebanhos atrofiados pelo medo, alienação e patriarcado.

O livro possui forte carga emocional e exige atenção ao lugar de cada palavra no texto e como essa palavra traz a relação simbólica do patriarcado com as doenças sociais e culturais. Outro fato importante, é o estranhamento que a leitura pode causar no leitor porque a história se passa na Nigéria e é preciso resiliência para compreender essa sociedade e consequentemente a reação de cada personagem diante das problemáticas apresentadas.

12 comentários:

  1. É realmente um livro pesado, não é lá meu estilo favorito, mas curto esse tipo de história também, acredito que faz a gente adquirir mais sabedoria.

    Beijos

    abobrinhacomchocolate.com.br

    ResponderExcluir
  2. Eu não sabia dessa premissa da história. Só dei de cara com a capa e não sabia do que se tratava. Gosto de conhecer mais sobre outras culturas e refletir a respeito. Dica anotada e espero conseguir dar uma chance futuramente.

    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir
  3. eu vi essa capa na timeline do instagram e nemsabia do que se tratava e agora vendo essa resenha eu só sei que eu preciso desesperadamente ler esse livro!
    Apesar de ser um livro pesado, eu gosto bastante dessa premissa de politica e tal,mas eu tenho certeza que eu ficarei bem abalada. Anotei essa baita dica!

    ResponderExcluir
  4. Olá,

    Adoro um livro escrito por mulher ! E que histórias fortes elas conseguem nos apresentar. Essa aqui parece tão forte, tão pesada, cheia de segredos, machismo, patriarcado, política e culturas carregadas e diferentes da nossa.
    Esse ano estou dando abertura para essas novas leituras que me mudem de uma maneira sentimental e intelectual, como Sonhos em Tempo de Guerra, de Ngugi wa Thiong'o ou Americanah da Chimamanda, e são realmente um "fora da caixa" e um tapa na nossa cara.
    Curti muito de conhecer essa obra, quem sabe um dia eu consiga lê-la também!

    Beijos e Cheiros
    http://www.livreando.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Olá! Tudo bem?

    Parece ser um livro ótimo! Com muita história, além das linhas escritas. Não sei se o leria agora, já que estou na fase de ler livros mais fantásticos. Mas é uma ótima dica, sem dúvidas!

    Beijos,
    Blog Diversamente

    ResponderExcluir
  6. Olá, esse é um livro que desperta o meu interesse, gostei de conferir sua postagem sobre ele, parece ser uma obra que mostra bem como a pressão da sociedade pode influenciar num relacionamento.

    ResponderExcluir
  7. Vou falar uma coisa... achei esse livro a coisa mais linda. A capa é maravilhosa. Tenho certeza que essa história de vida é pra chegar às pessoas. Mas, eu não dou conta. Nossa, não consigo lidar ainda com esse tipo de história de vida real. Espero um dia dar certo.

    Um beijo


    Carol, do Coisas de Mineira

    ResponderExcluir
  8. Olá!
    Ainda não tinha ouvido falar nesse livro, mas fiquei muito curiosa para realizar a leitura. Amo quando podemos ter contato com outras leituras através de livros fictícios os baseados em histórias de pessoas que realmente existiram. Anotando a dica! <3

    ResponderExcluir
  9. Olá,
    Nossa parece ser tão dramático o livro, e ter toda aquela carga de tristeza e angústia que aflige tantas mulheres que com toda certeza me pegaria de jeito a história.

    Debyh
    Eu Insisto

    ResponderExcluir
  10. Oii tudo bem ?
    Parece ser um livro interessante, um pouco pesado porém acho válido a leitura mais no momento não sei se leria um livro assim quem sabe na próxima mais estarei anotando a dica.

    Bjs

    ResponderExcluir
  11. Eu gosto de ler sobre outras culturas e sobre o que está acontecendo em outros países. Mesmo sendo uma leitura mais pesada eu acredito que seja muito necessária e fiquei curiosa com esse livro.

    ResponderExcluir
  12. Este livro apesar de pesado e de carregar uma carga triste da dura realidade de muitas mulheres, coloca o leitor em contato com tal realidade e com certeza é possível tirar reflexões e aprendizados. Coloquei na minha listinha de compras.

    Bjo
    Tânia Bueno

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma