Header Ads

o sonho final/ joão cabral de melo neto





O FIM DO MUNDO

No fim de um mundo melancólico
os homens leem jornais.
Homens indiferentes a comer laranjas
que ardem como o sol.

Me deram uma maçã para lembrar
a morte. Sei que cidades telegrafam
pedindo querosene. O véu que olhei voar
caiu no deserto.

O poema final ninguém escreverá
desse mundo particular de doze horas.
Em vez de juízo final a mim preocupa
o sonho final.

(João Cabral de Melo Neto, do livro “João Cabral de Melo Neto – Obra completa”, Editora Nova Aguilar – Rio de Janeiro, 1994)

9 comentários:

  1. Olá, tudo bem? O pouco que conheço do autor e dos seus escritos vi no colégio, mas depois de ler esse poema não tive dúvidas de que preciso ler algum livro dele. Adorei o poema, simplesmente sensacional!

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
  2. Oi, tudo bem? Nossa, adorei o poema! Obrigada por sempre trazer poesia para cá! Acho que o poema não deixa de ser atual, sabe? Fala muito da inércia das pessoas diante de situações desesperadoras e alarmantes (na minha visão). Infelizmente, é triste saber disso. Acho que o poema suscita na gente a capacidade de não estar em inércia em relação ao mundo.

    Love, Nina.
    www.ninaeuma.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Oi Lilian.

    Eu conheço muito pouco sobre este autor e seu post está praticamente sendo uma novidade. Adorei o poema e vou procurar mais obras dele.

    Bjos

    ResponderExcluir
  4. Desconheço o autor, infelizmente, mas me senti bastante tocada por esse poema. Que lindo!

    Carol, do Coisas de Mineira

    ResponderExcluir
  5. Me sinto até mal por desconhecer o autor, pois gostei do poema. <3

    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir
  6. Olá Lilian, tudo bem? Eu achei o poema muito bonito e fico muito triste por não ter a sensibilidade necessária para ler mais poesias. Ano passado eu tentei fazer o projeto da Mari Dal Chico #cafecompoesia mas, não consegui ler muitas poesias, parece que eu não estava conseguindo compreendê-las como deveria.

    Beijos e Abraços Vivi
    Resenhas da Viviane

    ResponderExcluir
  7. Olá, gostei de poder fazer a leitura desse poema em seu blog. Já tinha ouvido falar no autor mas creio ter sido o primeiro de seus textos que leio.

    ResponderExcluir
  8. Você o quanto eu gosto de visitar o teu blog, não sabe? e um dos motivos é justamente o de encontrar sempre posts como esse! Adorei o poema, ainda não conhecia o autor e preciso buscar outras obras dele

    ResponderExcluir
  9. Que poema lindinho e intenso. Ele tem tanto para a gente refletir sobre as questões da vida...

    Beijos,
    Blog PS Amo Leitura

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma