Header Ads

Resenha - Os Aforismos de Drummond

 (Arte Revista CULT)



O Avesso das Coisas, de Carlos Drummond de Andrade, Companhia das Letras, 2019, lançado originalmente em 1987, é um livro que se pode chamar de ‘mínimas’, como diz o próprio autor “(...) alguma coisa que, ajustada às limitações de meu engenho, traduzisse um tipo de experiência vivida, que não chega a alcançar a sabedoria mas que, de algum modo, é resultado de viver”.

ALMA
Prisioneira do corpo, a alma vive em guerra com o carcereiro.

Imagem Companhia das Letras

Com diversidade de temas como o Amor, Beleza, Balzac, Cópula, Problema, etc., e sequenciados de A a Z, Drummond cria seu próprio dicionário com humor, por vezes ácido, repensando temas comuns do seu dia a dia de modo a surpreender.

“Andei reunindo pedacinhos de papel onde estas anotações vadias foram feitas e ofereço-as ao leitor, sem que pretenda convencê-lo do que penso nem convidá-lo a repensar suas ideias. São palavras que, de modo canhestro, aspiram a enveredar pelo avesso das coisas, admitindo-se que elas tenham um avesso, nem sempre perceptível mas às vezes curioso ou surpreendente”

Este livro foi publicado postumamente, um de seus inéditos, em 1987 e ganhou nova versão em 2019. Suas anotações vadias e sem pretensão de convencer ninguém a nada, pode ser um ótimo livro de cabeceira para dias e momentos de pensamentos vadios. Drummond é um dos autores que mais estimo e leio com frequência, não vejo melhor forma de vadiar e dialogar com experiências vividas.

Água
Tudo é simples diante de um copo d’água.

Alegria
Não é obrigatório ter motivo para estar alegre;
o melhor é dispensá-lo.

Amizade
Certas amizades comprometem a ideia de amizade.

Amor-próprio
Ao contrário do amor,
o amor-próprio não acaba nunca.

Beleza
Os adjetivos tentam qualificar a beleza,
que dispensa adjetivos.

Boi
O boi se sentiria feliz se provasse bife de homem.

Bondade
Todo mundo é bom quando não usa a cabeça.

Brasil
O Brasil é um país novo que se imagina velho,
e um país velho que se supõe novo.

Diabo
É cada vez mais difícil vender a alma ao Diabo,
por excesso de oferta.

Diálogo
Quem não sabe conversar consigo mesmo
não saberá conversar com os outros.

Diálogo
Dialogar é dizer o que pensamos e suportar o que os outros pensam.

Diploma
O diploma revela anos de aplicação
mas silencia quanto ao rendimento deles.

12 comentários:

  1. Drummond é um dos meus poetas favoritos, a forma como ele escreve me encanta. Esse é um dos livros que esta na minha lista de compras. Abraços

    ResponderExcluir
  2. Nunca tive a oportunidade de ler nada de Drummond, mas sempre tive muita vontade. Adorei conhecer um pouquinho sobre a obra. Vou deixar anotadinho aqui para ler quando surgir uma oportunidade.

    ResponderExcluir
  3. Oi Lilian.

    Confesso que conheço muito pouco sobre Carlos Drummond e suas obras, mas essa que você resenhou deixou aquele gostinho de ter mais informações sobre a obra. Ainda mais depois que mencionou sobre o próprio dicionário com humor. Vou dar prioridade para obra. Obrigada pela dica.

    Bjos

    ResponderExcluir
  4. Olá, tudo bem? Nunca li um livro do Drummond, mas já li alguns poemas dele quando estava no ensino médio, e ele é realmente incrível. Adorei tua resenha e fiquei curiosa para ler a obra!

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
  5. Eu estudei muito do Drummond nos primeiros semestres da graduação, mas antes disso eu já tinha uma afeição por ele, sempre gostei dos textos dele.
    Essa edição eu vi no instagram e fiquei namorando ela, mas ainda não comprei. amei sua resenha e me deu até vontade de ler o livro tomando um café kkkkk amei!

    ResponderExcluir
  6. Oi, tudo bem? Confesso que ainda não me aventurei pelas obras de Drummond, mas este me deixou curiosa. Achei ótimo você complementar a resenha com alguns exemplos do que estão presentes nas páginas, a mim, pelo menos, deu uma sensação de entendimento melhor e foi ali que despertou o meu interesse. Adorei!

    Beijos,
    www.lunaliteraria.com

    ResponderExcluir
  7. i Lilian!!
    Sendo muito sincero eu nunca fui muito ligado aos escritores clássicos brasileiros e quando eu li foi por pura obrigação e achando tudo muito chato, não me lembro de ter lido nenhuma obra de Drummond, mas, claramente é impossível não conhecer o autor não é mesmo? Talvez agora, adulto e com uma nova mentalidade seja a hora de começar a tentar ler os clássicos brasileiros e Drummond pode ate ser um bom começo.

    Beijos!
    Eita Já Li

    ResponderExcluir
  8. Oi Lilian!
    Conheço algumas obras de Drumont, sempre me surpreendo com sua desenvoltura em escrever e me tocar tão fundo na alma, essa obra ainda não tive o prazer de ler, mas estou curiosa psara embarcar nessa nova edição. Parabéns pela resenha as suas palavras me instigaram, obrigado pela dica, bjs!

    ResponderExcluir
  9. Drummond <3
    Achei essa edição linda e é um excelente presente. Conheço algumas obras dele, mas preciso ler mais do autor.

    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir
  10. Nossa, adoro Drummond! Faz tempo que não leio nada dele, vou querer adquirir esse livro para usar como vc sugeriu, um livro de cabeceira!
    Bjs
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir
  11. Amo demais qualquer pensamento que venha deste lindo poeta!!! Drummond me deixa sempre sem palavras e quase sem fôlego!! Adorei saber um pouco mais sobre esta obra Lilian! Com certeza estará entre minhas leituras desejadas!


    Um abraço grande pra ti! Um ano abençoado e cheio de paz!!!

    ResponderExcluir
  12. Oi, tudo bem?
    Eu li muito pouco do Drummond, mas o pouco que li foi fantástico. Não conhecia esse livro ainda, mas já quero. Dá para ver que o autor usa um humor muito inteligente e acredito que seja uma leitura interessante e divertida. Adorei sua resenha e fiquei super curiosa para conhecer esse dicionário.
    Beijos!

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma