Header Ads

Resenha - Wicca A Religião da Deusa





A Editora Alfabeto, que este ano completa 20 anos, tem uma longa história em publicações que tratam do universo místico, espiritualidade e saúde integral, seu foco, neste sentido, é capaz de agradar curiosos e estudiosos que apreciem uma visão holística do universo. O livro Wicca A Religião da Deusa, de Claudiney Prieto, é considerado um clássico sobre a Bruxaria Moderna no Brasil, visto que nos últimos anos a religião ganhou muitos adeptos e não para de crescer.


A maioria dos Wiccianos, muitas vezes chamados de Bruxos Modernos, são pessoas perfeitamente comuns, como as com quem você se depara todos os dias em sua vida cotidiana. Alguns têm ocupações ocultistas e são tarólogos, astrólogos, runemais, o que pode ser uma vantagem para se vestir em num estilo diferente, mas são definitivamente uma minoria.

O autor, além de um apanhado histórico sobre a religião, também frisa alguns rituais necessários para a prática da Wicca, bem como a própria magia e textos sagrados. Wicca, o livro, não é um manual de instruções, porém, uma excelente ferramenta para quem deseja iniciar na religião ou simplesmente entender sua verdadeira origem para além de crenças limitantes impostas pelo cristianismo ao longo de muitos anos. 




A Wicca pode ser considerada uma sucessora religiosa linear da primeira religião da humanidade. a inspiração do Neopaganismo é proveniente de estudos efetuados sobre as religiões antigas citadas extensamente em obras como O Ramo Dourado, de Fazer; As Máscaras de Deus, de Joseph Campbell e O Culto das Bruxas na Europa Ocidental, de Margaret Murray. Nós, wiccianos, somos os continuadores dessas antigas manifestações religiosas  e os sucessores dos Antigos Sacerdotes da Grande Deusa.

Apesar da caça às bruxas promovida pela igreja, as bruxas e bruxos não desapareceram, foram reprimidas e precisaram resistir e sobreviver, logo, todo o conhecimento existente foi passado oralmente de geração em geração. E compreender sua história e existência, é devolver seu espaço de direito. A exemplo disso: Bruxos não acreditam na ideia do diabo, Satã, visto que essa é uma criação do cristianismo; não praticam sacrifícios; respeita a ideia de Cristo bem de como outras seres divinos, etc.


Para nós, Pagãos, os Deuses são a própria natureza, sendo assim, a preservação ecológica é a essência da Religião da Deusa.

Na religião da Deusa, tudo é sagrado e está interligado, portanto, deve ser visto com respeito, responsabilidade e cuidado. Assim, a Deusa está em tudo e em todos, somos pequenas partes que formam um todo, portanto, um desequilíbrio ecológico atinge a todos.



O único dogma que todo wiccaniano deve seguir é, “Sem nenhum mal causar, faça o que desejar”, isso por ser uma religião libertária que se baseia na alegria e respeito à vida e que não é permitido o proselitismo (catequese), desse modo, é incomum encontrar no movimento Pagão fanático.

Todos os valores que levam ao respeito da natureza estão presentes na Wicca. Os wiccanianos cultuam a vida, o que quer dizer que todas as formas de sacrifício, seja humano, seja animal, são proibidos nos rituais. Nós, bruxos, amamos e cultuamos a natureza, e por meio dela procuramos integrar a mente, corpo e alma. Acreditamos que para evoluirmos integralmente devemos nos sentir parte integrante da Terra, que é a própria Deusa essa atitude é a essência da Wicca.

A religião da Deusa é novamente transcender o sagrado feminino e o papel das mulheres enquanto sacerdotisas da Grande Mãe por meio do equilíbrio entre homens e mulheres. Portanto, a Deusa é a principal divindade dos wiccanianos que centram sua energia nos mistérios da fertilidade como conexão com o Divino. Não significa a inexistência do masculino, apenas que a principal Deidade é a Deusa que se polariza com a Deidade masculina, o Deus Cornífero ou a Lua e o sol.



Não é preciso seguir nenhuma religião para conhecê-la, mas Gaia já nos deixa o recado que é necessário descortinar o véu da ignorância e do medo para que possamos evoluir. Conhecer as energias, crenças, história e cultura que emana de todas as crenças, é o primeiro passo para dar um basta na intolerância.

Caso você tenha interesse na obra, pode participar do sorteio aqui ou visitar o site da editora.

18 comentários:

  1. Acho fascinante os estudos da cultura pagã e principalmente a maneira com a qual ele lida com a natureza, sem buscar sua anulação ou sobreposição dos humanos sobre ela. Adoro os parâmetros de horizontalidade e integração com o natural. Esse livro parece ser uma boa fonte para conhecer mais sobre a religião.

    ResponderExcluir
  2. Olá, tudo bem? Sempre tive curiosidade de ler algum livro dessa religião, pois acho o assunto bem interessante, mas ainda não consegui comprar nenhum, haha. Adorei a resenha, parece ser uma leitura maravilhosa!

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
  3. Achei bem curioso e que a leitura dele pode despertar mais perguntas e suas respostas, talvez, a novas pesquisas e novos textos. Muito legal. Abraço.

    ResponderExcluir
  4. Olá,
    Que interessante! Não conheço muito e mesmo que não seja algo que eu vá seguir gosto de aprender mais sobre assuntos diversos.

    ResponderExcluir
  5. Realmente, não vejo pagãos batendo a porta pra falarem de sua religiosidade/espiritualidade rs o nome desses é outro 😂😂😂
    Eu adoro ler sobre esses temas e acredita que essa obra seja um belo passo introdutório a respeito. Tô ansiosa pra fazer a leitura dele.
    Tschüss 😘 Lili

    ResponderExcluir
  6. Oi Lilian.

    A leitura este livro deve ser interessante. É até deu vontade de lê-lo e descobrir mais sobre a religião. Vou pesquisar mais sobre o assunto. Obrigada pela dica.

    Bjos

    ResponderExcluir
  7. Acho super legal ler sobre a religião Wicca, inclusive conheci algumas pessoas que seguem e a gente conversava bastante sobre isso. Acho muito interessante conhecer outras ideias religiosas e como elas podem caminhar, ao longo dos anos.
    Bjks!

    Mundinho da Hanna
    Pinterest | Instagram | Skoob

    ResponderExcluir
  8. Que perfeição! Ainda não li nada bem detalhado sobre a religião. Gosto de conhecer vários tipos de religiões e culturas. Conheço algumas pessoas que seguem essa religião.

    ResponderExcluir
  9. Que fantástico esse livro, sempre admirei a Wicca mas confesso que nunca me aprofundei no tema pois não sabia como pesquisar. Que ótimo que esse livro desmitifica aquela lenda urbana de sacrifícios! Quero ler

    ResponderExcluir
  10. ler sua resenha me lembrou de uma aula em que devíamos visitar e entrevistar pessoas de outras religiões e os colegas trouxeram a wicca, lembro de colegas que nem queriam chegar perto da wicca e eu fiquei curiosa em conhecer mais. tai uma obra que eu queria ler e conhecer justamente por ja ter sentido o interesse em conhecer mais da wicca.

    ResponderExcluir
  11. Eu sempre tive muita curiosidade acerca
    da religião Wicca. Porque eu vejo várias referências em filmes, séries ou livros que mencionam-a dentro do contexto mítico e fantástico ou espiritual. Gosto de aprender e conhecer sobre várias religiões e diferentes culturas. Então, achei muito interessante e precioso conhecer esse
    clássico sobre a Bruxaria Moderna no Brasil.

    ResponderExcluir
  12. Uau! Não conhecia a Editora! 20 anos! E que livro, hein!? Acho interessantíssima a proposta, que nos traz um contexto histórico tão latente, mesmo anos, pois, séculos depois, esse tema ainda persiste em debate. Gostei muito e super leria!

    ResponderExcluir
  13. Uau, sempre tive curiosidade, mas nunca tinha me aprofundado no tema. E como me identifiquei! Acho que esse lado libertário da Wicca é o que mais gostei!

    ResponderExcluir
  14. Oie, tudo bem? É bem interessante se aprofundar nesse universo, ainda mais quando tudo o que conhecemos é de "ouvir falar" e não porque houve um estudo profundo. Essa questão de fanatismo é evidente em algumas pessoas. Elas acreditam em algo e querem a todo custo nos convencer que este é o único caminho. Eu já sou mais eclética, deixo minha mente aberta e dou oportunidade para o diálogo. Isso nos enriquece muito. Um abraço, Érika =^.^=

    ResponderExcluir
  15. Oi, Lilian! Acho livros assim, que abordam principalmente outras religiões e culturas, muito importantes exatamente pelo que vc abordou na sua resenha: o conhecimento é o primeiro passo pra dar um basta na intolerância. Tive um amigo, que infelizmente se foi recentemente,que seguia a Wicca e através dele pude conhecer muito sobre os rituais e crenças. E desmitificar muita coisa tbm. Por isso entendo bem o valor de livros como esse q vc trouxe hj.
    Bjos

    ResponderExcluir
  16. Oi, Lilian, tudo bem?

    Já li alguns livros como esse e achei super interessante a imersão nesse mundo em que, pelo menos eu, não tenho muito contato ou vivência e experiências com a religião Wicca e isso nos mostra o quanto o mundo é vasto de crenças, né?

    Adorei a resenha e as fotos!
    http://www.marcasliterarias.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  17. Oi, Lilian.
    Tenho uma edição antiga desse livro, lançada pela Gaia, se não me engano.
    Realmente é uma excelente leitura para quem quer conhecer mais da religião, deixando preconceitos de lado. Gosto bastante da abordagem do autor.
    Beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  18. Acho muito interessante que o livro traga informações tão detalhadas e sirva, também, como um material para estudos. Acho importante nós termos conhecimento sobre assuntos e não ficarmos limitados às crenças com as quais crescemos e muitas vezes nos foram impostas sem que tivéssemos escolha

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma