Header Ads

Carta Devolvida /Elisa Lucinda

 



Se não gostar mais de mim

não me responda nada

não me diga nada

não quero que fiquem gravadas

as palavras do não querer.

 

Se ninguém gostar mais de mim

ninguém precisa saber

nem eu.

Se não gostar mais de mim

seja breve seja leve seja zen

silêncio de ioga de Sidartha.

Mas se ainda sonhar comigo,

por favor, meu amor,

devolva essa carta.

 

(Elisa Lucinda, in Vozes Guardadas. Editora Record. 1ª ed. Rio de Janeiro. 2016)


3 comentários:

  1. Olá,
    Achei bem interessante tudo remeter ao título, todos os 'não' utilizados remetem uma coisa meio que de desespero. Gostei, não conhecia a autora mas gostei de ser fácil de se entender.

    ResponderExcluir
  2. Oi, tudo bem?
    Não conhecia esse poema ainda, mas adorei. Dá para sentir uma angústia por não querer a rejeição e ao final um pouco de esperança. Achei bem bonito.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Que passagem bonita, adorei a leitura breve mais cheia de emoção e sentimento, preciso confessar não tenho costume de ler muito esse gênero porém estou mudando isso através desse espaço, beijos!

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma