Header Ads

Resenha – Feminismo e política

 



“Há nesse corpo teórico, um esforço para compreender permanências num processo histórico em que os direitos foram, de fato, ampliados.”

 

Feminismo e política – Uma introdução sobre as lutas, teorias e movimentos ao longo da história, de Flávia Biroli e Luis Felipe Miguel, Editora Boitempo, é o último livro do Projeto Leitura Feminista 2020, organizado pelos blogs Barda Literária e Poesia na Alma, e confesso, fechamos com chave de ouro.

 

“Em certo sentido, toda teoria feminista é ‘política’, na medida em que é fundante, no feminismo, a compreensão de que os limites convencionais da política são insuficientes para apreender sua dinâmica real. Assim, a história, a sociologia, a antropologia ou a psicologia feministas têm inegável caráter político. Nosso recorte para ‘teoria política feminista’ não é a filiação disciplinar de suas autoras (ou eventuais autores), mas as contribuições que dialogam de forma mais direta com os grandes temas do pensamento político, deslocando-os pela introdução, com centralidade, da categoria de ‘gênero’”.

 

Flávia Biroli e Luis Felipe Miguel trazem um panorama da Teoria política construída nas últimas décadas, pela perspectiva de diversas correntes e autores, e como o feminismo contribuiu nessa construção.

 

“A teoria política feminista é uma corrente profundamente plural e diversificada, que investiga a organização social tendo como ponto de partida as desigualdades de gênero.”

 

Dividido em dez capítulos, os temas abordados dialogam com as discussões que surgem a partir de 1980 e a pluralidade em torno do feminismo. A exemplo disso, a obra traz como o feminismo rompe com a ideia de naturalização da inferiorização das mulheres; a relação entre o público e o privado nas relações de gênero e como isso gera desigualdades; a noção de justiça e família em que as relações de poder já firmadas tornam as mulheres e crianças mais vulneráveis.



A pluralidade democrática depende da garantia do espaço para o florescimento de identidades baseadas em crenças e práticas distintas. Mas é preciso garantir que esse espaço seja livre da violência, do constrangimento sistemático à autonomia de parte dos indivíduos, assim como das desigualdades que potencializaram o exercício da autoridade por parte de alguns e a vulnerabilidade e a subordinação de outras. Nesse sentido, a garantia da privacidade depende da crítica à dualidade convencional entre o público e o privado e às desigualdades de gênero a que essa dualidade tem, tradicionalmente, correspondido.”

 

Além disso, os autores trazem ao centro do debate a noção de identidade bem como as subjetividades dos corpos que varia entre da raça, classe social, idade, visto que, o conceito de mulher foi criado pelo patriarcado como permanência de uma relação de poder. Outro ponto é a representação na política, direito ao voto e o pós-movimento sufragista. E como não pode deixar de ser, como o neoliberalismo alimenta o patriarcado e as desigualdades. Finalizando com os temas aborto, pornografia e prostituição.


11 comentários:

  1. Oi Lilian, sua linda, tudo bem?
    Confesso que sou leiga nesse assunto. Mas por sua resenha percebi que o livro trás um panorama bem extenso ao longo dos anos e aborda vários aspectos, então seria uma boa dica para começar a aprender. Achei o máximo o projeto de vocês. Parabéns!!!
    beijinhos.
    cila.

    ResponderExcluir
  2. Olha aí mais uma obra da Boitempo que eu necessito ter e ler. Tinha visto Paac falar sobre ele, fiquei curiosa. Com o teu post,só aumentou a vontade.
    Frohe Weihnachten 🎄
    Tschüss 😘

    ResponderExcluir
  3. Oi, Lilian! Tudo bem?
    Que saudade de passar no seu blog, tem um tempão que não acompanhava mais esse universo literário. Bom, adoro livros nessa temática que trazem inúmeras discussões, além disso a parte sobre debate de noção da identidade me chamou bastante atenção. Pretendo ler em breve :)

    Até mais,
    www.estudou.com

    ResponderExcluir
  4. Esse livro parece ser de uma leitura forte e bem informativa. Confesso que me deixou bem interessado. Anotada a dica.

    ResponderExcluir
  5. como você bem sabe essa nossa leitura foi bem complicada pra mim, por alguns motivos pessoais, mas realmente sofri um pouco na leitura, tendo que ler e reler algumas vezes certas partes pra entender bem.

    ResponderExcluir
  6. Como comentei num outro post a respeito dessa obra, e de levar um projeto desse nível, envolvendo esse tema, tem que ter muito engajamento e disposição. Fico feliz que tenham conseguido realizar essas leituras. E enriquecendo um pouco mais quem passa pelos blogs para saber vossas opiniões.
    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  7. Adorei o fato de introduzir esses temas super importantes para discussão saudável! Ótimos que os temas são abordados de forma coerente abordados e que traz essa crítica social, além da desigualdade de gênero. Muito interessante estudar sobre esse assunto.

    ResponderExcluir
  8. Tenho certeza de que esse projeto foi incrível, pois acredito que os temas abordados foram de extrema importância. E o debate aprimorou ainda mais a obra.

    ResponderExcluir
  9. Oi, tudo bem?
    Eu ainda não conhecia esse livro, mas acho a temática bem interessante. Confesso que não leria apenas pelo fato de que ainda tenho uma grande resistência em ler não ficção. A leitura tem sido um ponto de conforto para mim e acabo procurando sempre livros de ficção, que me tirem da realidade. Mas tenho uma amiga que anda buscando mais livros que falem sobre feminismo e vou indicar esse para ela, pois acho que ela vai gostar dos debates e reflexões que a leitura proporciona.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Oi Lilian.
    Confesso que sou um pouquinho leiga sobre os dois assuntos, mas sempre tento ficar atualizada com as informações porque são temas importantes. Realmente achei este livro bastante interessante e fiquei com muita vontade de lê-lo. Acho que ele irá esclarecer vários fatos. Obrigada pela dica preciosa.

    Bjos
    https://historiasexistemparaseremcontadas.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  11. Olá!
    Olha eu não conhecia este livro mas achei que deve ser simplesmente uma leitura muito rica, e que aborda muitos assuntos fundamentais para estudar e entender mais o feminismo e como ainda precisamos dele. Aliás parabéns pelo projeto, pelo jeito vocês finalizaram mesmo com chave de ouro.

    Beijos!

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma