Header Ads

Olhando Extasiada o Céu / Clementina Suárez #PoesiaRotaMundo

 



Sentada à margem da vida

eu sou três:

meu sonho, a poesia e eu;

porém o que digo agora

meu sangue apaga com sua veloz vertente,

entretanto o relógio

– rompe ondas dos dias –

inventa uma nova hora,

na escala gradual do tempo.

Anterior ao pêndulo

e ao voo das andorinhas,

está a minha lua que chora e ri

em um pontual protetorado de palavras.

Eu não sei como fechar os olhos,

reconquistar as tardes,

as memórias

e as paisagens

em uma só fonte recôndita

que definitivamente afirme o sopro primogênito;

na altura da rosa que não murcha

no seio,

ou da nuvem que teria restado

aceesa à janela

olhando extasiada o céu. 

(Clementina Suárez.)

 

Sobre a autora: Clementina Suárez (1902-1991) foi uma das principais agitadoras, catalisadoras e motivadoras da cena artística contemporânea de Honduras e da América Central. Embora se dedicasse principalmente às reflexões e práticas literárias – Clementina é considerada uma das principais poetas de Honduras e foi a segunda mulher a ser publicada no país com seu livro Bleeding Heart (1930) – ela viu isso como essencial para desenvolver sua obra como promotora da arte visual e performática, junto com o ativismo feminista e a circulação e engajamento do pensamento crítico, cruzando as fronteiras e limites das disciplinas artísticas. Em sua obra, usa o corpo como ferramenta incendiária, de forma apaixonada que reconhece seu papel essencial no processo de libertação das mulheres na primeira metade do século XX.

(GUAZA, Luisa Fuentes. Trechos de “Para mudar tudo, você só precisa de um corpo”, Colección Cisneros, 2019. Fonte: RevistaAcrobata)

 

Poesia selecionada para o projeto RotaMundo em parceria com o blog Na Literatura Selvagem que neste mês terá poetas do países: Honduras, Nicarágua e Costa Rica. Clique aqui e confira a poesia escolhida pelo blog Na literatura Selvagem e acompanhe nossas redes no Instagram e YouTube .


2 comentários:

  1. Queria eu ter o poder de síntese dos poetas. Abraços.

    ResponderExcluir
  2. não conhecia e agora é mais uma poeta incrível que eu vou desejar em maior frequência a partir daqui. =)

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma