Header Ads

TUDO O QUE VOCÊ SEMPRE QUIS SABER SOBRE FRASES MOTIVACIONAIS E DE AUTOAJUDA, MAS NINGUÉM TEVE MOTIVAÇÃO PARA TE EXPLICAR.

 



Olá, eu aqui de novo. O título parece meio negativo, até depressivo, talvez, mas eu considero que seja realista. Para começar eu não sou inimigo da literatura de autoajuda, até já disse isso aqui mesmo, nesse espaço. Entretanto, algumas frases ou conselhos repetidos a exaustão, depois de certa idade passam a incomodar por não ter nenhum valor ou verdade nelas. Minha intenção é apenas tentar desconstruir (palavra invocada) alguns conceitos que serão, ou já foram grudados em você, jovem, durante a vida. Com a ajuda preciosa do Chico Buarque vamos lá, separando por blocos ou tudo misturado? Ideias esdrúxulas ou normais? Frases clichês ou novidades? Tanto faz, não estou aqui para autoajudar mesmo (rsrsrs). Em tempo: como diz o título ninguém explicou, então fiquem à vontade para contribuir nos comentários.

 

Quero começar pela frase teórica-motivacional que mais me marcou a vida profissional inteira. “Nossa empresa é uma grande família” (puff!!). A empresa quer que você pense assim, ela precisa da sua dedicação e empenho total, mas deixa eu te dizer uma coisa: a empresa é só o lugar onde você troca trabalho por dinheiro para, aí sim, manter sua família e ter uma vida. A empresa não é sua vida, só a maneira possível para que você tenha uma. Traçando um paralelo, a família formada pela empresa possui os mesmos componentes da NOVA família tradicional brasileira: tem sempre alguém “puxando o tapete” dos outros (enredando o malfeito para a mãe), brigando por posições mais elevadas (o melhor quarto da casa), chantagens são comuns para resolver disputas (o tradicional se não fizer eu conto), forçando os subalternos a fazerem o que não querem (abusos) e, não raro, matando para conseguir o que desejam. Então quando lhe disserem que a empresa é uma grande família não entenda como um lugar de paz onde todos se ajudam e se defendem, não é esse tipo de família.

 


Porém, existe uma área empresarial que procura ir mais fundo, que tenta associar de forma ainda mais incisiva as pessoas à firma, que trazem o conceito de “família” ainda mais arraigado: as empresas que exploram a educação. Aquelas que incentivaram, desde sempre, que se chame as professoras de Tias. Ora! Quem mais trabalharia só por amor? Acontece que as professoras têm formação, são profissionais preparadas e prontas para educar e pavimentar o caminho dos pequenos para o futuro. E mais. Tia, por muito tempo foi a alcunha daquelas senhoras que acolhiam meninas que vinham do interior para serem prostituídas. Quando alguém perguntava com quem elas moravam respondiam “com minha tia”. A Madame era a “Tia”, as Meninas incorporavam as “Sobrinhas” e para os homens que contratavam seus serviços elas eram as “Primas”. Uma grande e feliz família.

 

Outra frase que me dá arrepios é “você é dono do seu destino” (Sei!). Você até pode direcionar sua vida, escolher uma profissão, um parceiro/parceira, uma cidade para morar, mas daí a ser dono do seu destino tem um abismo enorme. As vicissitudes da vida (que não são poucas) irão fatalmente se interpor entre vocês (você e seu destino). Nesse caso me é mais crível a canção Roda-Viva (Chico Buarque) A gente quer ter voz ativa, no nosso destino mandar. Mas eis que chega a roda viva e carrega o destino pra lá. Então ser dono de um carro? Sim; ser dono do seu destino? Não. É improvável que durante uma vida inteira em sociedade cercado de pessoas, empregos, situações e amores nada venha alterar seus planos. Não dá para esperar que se passe a vida toda sem uma demissão, uma perda de alguém querido ou um “chifre”.

 

Quando as frases saem da boca das mães são quase sempre afirmações imutáveis e definitivas, se uma mãe diz para levar um guarda chuvas não importa se faz um sol de rachar e o céu está de Brigadeiro, leve. E espere se molhar sim. Porém, até elas, às vezes, cometem erros. A profecia de que “quando for dono do seu nariz, você fará tudo o que quiser”, é, geralmente, desmentida com o tempo. Não procede que algum dia – dono ou não do nariz ou da genitália – você fará o que quiser, até porque a sociedade tem leis escritas e não escritas que todos devemos seguir (embora alguns poderosos achem que não). Acho que a maioria das vezes as mamães querem dizer que você mandará na sua casa, e se morar sozinho terá realmente a sensação de que ali é o seu país, com suas leis, mas se houver alguma mudança até essa sensação desaparecerá. More só e depois adote algum bichinho, não precisa ser grande, um gato ou um cachorro, basta um Porquinho da Índia e rapidamente começará a se perguntar quem é dono do nariz de quem.

 


“Pare de perseguir o dinheiro e passe a perseguir o sucesso” ou “Por que você escolheu esse curso”? (Ah! Saudades do tempo da graduação...). Alguém aí já ouviu um aluno de graduação que não fosse idealista? Que não quisesse ajudar as pessoas ou adquirir conhecimentos para ser uma pessoa melhor? Minha resposta padrão no curso de Geografia era “me identifico com a vida ao ar livre” (rsrsrs), como se a Geo fosse isso, uma grande aula de campo dormindo em barracas sob as estrelas. Ora! Para isso eu já tinha o escotismo. Na verdade, eu adorava a matéria sim, mas precisava de um diploma para trabalhar e me sustentar. Nada errado em perseguir o sucesso, porém se vier com dinheiro para pagar as contas melhor. Quando respondi, no curso de Psicologia (que infelizmente nunca terminei), que havia escolhido aquele curso  para ganhar dinheiro (não disse que foi  para ficar rico) consegui fazer a turma toda e a professora rirem de forma autêntica, porque era a verdade e todos sabiam. Enfim! Persiga o dinheiro sim, e sem vergonha de ser feliz.

 

Se você tem um sonho corra atrás, vale a pena arriscar e “Desistir não é permitido”. Deixem disso, a vida é uma sucessão de desistências, inclusive outros filósofos das frases feitas dirão que é preciso desistir para poder crescer. Não deu certo? Desista. Não tá feliz? Desista. Não tem dinheiro? Que pena.

 

Quem derruba a gente é a gente mesmo.” Sobre essa eu até concordo. No caso de você tropeçar nos próprios pés. Mas aqui voltamos a roda-viva, não dá para garantir que outros não nos derrubem, que uma crise econômica ou de saúde (sim, falo da pandemia) não acabe com nossos sonhos, que a escolha política insana de uma minoria derrube o bem estar social de uma maioria. A gente derruba a gente, a gente derruba os outros, os outros derrubam a gente e por aí vai. O que existe é uma ligação profunda entre as pessoas, coisas e eventos que podem catapultar ou destruir sonhos dependendo das situações em que se apresentem. Mais das vezes nos derrubamos por falar coisas erradas nas horas erradas, então, nesse caso sim, nós nos derrubamos pelos nossos atos falhos.

 

Uma freudiana (sim até ele tem frases motivacionais falsas) que gosto bastante é a que permeia a tríade familiar – Mãe, Pai, Criança. Usando o mito de Édipo Freud coloca as forças dentro da família mediadas por essas relações, porém, fica claro que no caso do Pai só existe participação se a Mãe assim o permitir. Popularizando a expressão ficaria algo assim: Pai: Essa mulher (sua Mãe) é minha, você terá a que quiser quando crescer. Que engano medonho, promessa difícil de vir a ser verdade, promessa sem jeito, diria João Grilo. Muitas vezes a mulher (ou homem) que queremos está indisponível, as vezes é como na canção Flor da idade do Chico: Carlos amava Dora que amava Lia que amava Léa que amava Paulo que amava Juca que amava Dora que amava/Carlos amava Dora que amava Rita que amava Dito que amava Rita que amava Dito que amava Rita...  Enfim.

 

Porém, Chico por Chico estamos mais para a interpretada magistralmente pela Fafá de Belém: Sou bandida (...) e sob medida pros carinhos seus. Meu amigo, se ajeite comigo e dê graças a Deus. Pois é! Alguém pode dizer “ah, mas podemos ter quantas pessoas quisermos”, e é verdade, porém a questão é de qualidade e não de quantidade, afinal o coração é como uma catedral, tem o altar-mor, mas também tem várias capelas laterais. E você, já conheceu seu altar-mor?

 


Falta pouco, devo dizer para você que chegou até aqui: insista, persista e não desista que seu dia chegará. É brincadeira. Esse é o slogan da Loteria Estadual do Ceará, mas não quero terminar com tal motivadora e nem precisa dizer o quanto é falsa, meu avô que o diga. Comprou bilhetes durante quarenta anos, toda semana na quarta e no sábado e o dia dele nunca chegou. Entretanto, gostaria de concluir essa análise meio troncha com a rainha das frases pretensamente motivacionais, a top 1 (arg!), o mais vazio consolo que pode existir: O Importante não é vencer, mas sim competir. Experimente perguntar, em uma sala de ensino médio, o nome do primeiro homem a pisar na Lua. Após uma breve discussão com alguns seres mitológicos afirmando que o homem jamais pisou na Lua e que inclusive ela, assim como a Terra é plana, alguns alunos dirão corretamente que foi Neil Armstrong. Ok! Depois pergunte quem foi o segundo e se algum aluno responder corretamente eu mando entregar na sua casa uma rapadura e um litro de caldo de cana. Existe uma lenda (vou chamar assim por não ter certeza) que diz que no retorno à Terra a primeira frase do pai do Buzz Aldrin (o segundo) para ele foi: Por que você não foi o primeiro? Competir é importante, perder faz parte, mas o importante, gratificante, que eleva a serotonina, que nos deixa “legalzões” é vencer. Tá certo, vou confessar que nem por isso vou devolver as medalhas ganhas por participação nas corridas de rua mesmo sem vencer (sim, corridas de rua, por quê? Rsrs).

 

Para concluir esse texto que nem eu estou mais entendendo, vou terminar com um conselho válido, uma frase “motivacional” verdadeira.

            

 O tempo existe para ser desperdiçado, o amor fracassa e a vida é inútil’.

(Charles Bukowski)




12 comentários:

  1. a primeira frase da empresa que se diz grande familia em lembra muito minha situação atual no trabalho, com exatamente tudo que você pontuou, as puxadas de tapete, os abusos e por ai vai, e realmente é uma frase que no inicio encanta mas com o tempo vemos como o buraco dessa familia é fundo.

    ResponderExcluir
  2. Nossa, essa frase sobre ser "uma grande família" vejo muito sendo usada em empresas mesmo e sempre me incomodou, já ouvi muito na escola também e simplesmente nunca colou pra mim. Pelas costas, a realidade era outra e na prática também. Família é família, trabalho é trabalho. Enfim, essa coisa de não desistir é interessante, porque como você disse, é preciso saber quando desistir também e recomeçar, sem sentir culpa, ou ficar preso a algo só por se sentir obrigada a fazer isso.

    ResponderExcluir
  3. Eu ainda fico atormentada quando vejo essas frases sendo repetidas e ninguém realmente se debruç sobre elas pra entender. Essa do "vestir a camisa da empresa" é a pior de todas, acho que não existe nada mais arcaico que isso, sério HAHAHAHAAH
    Mas uma que me incomoda demais é aquela do "trabalhe enquanto eles dormem", ai você pode icar rico pra cuidar da sua saúde que ficou um caco né?! HAHAHAHAHAH Adorei as reflexões do post!!

    ResponderExcluir
  4. Oi, tudo bem? Achei interessante a forma como você trouxe reflexões sobre cada uma dessas frases. Nunca pensei em empresa como família, aliás sempre separei amizade x dinheiro. É onde ganho meu dinheiro e só. Com relação a ser dono do próprio destino acredito que somos sim responsáveis por tudo o que nos acontece. Colocar a responsabilidade do que nos acontece nos outros só mostra nossa imaturidade. Concorda? Um abraço, Érika =^.^=

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Erika. Obrigado pelo comentário. Olha não é culpar outras pessoas, o que eu coloco são as vicissitudes da vida, é o que muda no ambiente, é a necessidade de mudar de local de moradia, é a empresa em que você está realizando seu destino fechar, coisas assim. Como psicanalista a primeira coisa que descarto é culpar outras pessoas por nossas infelicidades . Abraço.

      Excluir
  5. Eu amei as explicações e concordo muito! Há um abismo enorme entre ter dinheiro e ser dono do seu próprio nariz, poder fazer o que quiser; bem como as relações empresariais podem ser super abusivas com esse discurso familiar! Muito bom!

    ResponderExcluir
  6. Já houve um tempo em que eu acreditava em certas frases, mas vi que algumas não batiam com a realidade, foi aí que comecei a questionar. Gostei da sua indicação, maravilhosa.

    ResponderExcluir
  7. Me da um abuso aluno me chamando de tia kkkkkkk
    Realmente, essas frases sendo desconstruídas são um dos melhores textos que já li de você aqui, Leonardo. Super concordo com esse lance de fazer o próprio destino, que na verdade ninguém consegue. Quem fala isso é mentiroso ou trapaceiro. Porque sempre vai aparecer um FDP pra ferrar com tudo, sempre vai aparecer alguma dificuldade pra fazer a gente ter que usar um plano B, enfin...
    Sobre livros de autoajuda em si, odeio. Não aproveito nada de útil neles.

    ResponderExcluir
  8. Nossa amei muito o texto.
    Concordo principalmente com a frase sobre empresa e família, as que envolvem futuro e crescimento é a mesma coisa porque nem todo mundo tem a mesma trajetória. Muito bom mesmo o seu texto.

    ResponderExcluir
  9. Oi, tudo bem?
    Amei o texto e as desconstruções que você trouxe. Algumas frases que você escolheu sempre me incomodaram, em especial a de que "Você é dono do seu destino". A vida tem tantas variáveis e, apesar de termos decisões e nossas escolhas trazerem consequências, tem muitas questões que estão além da nossa capacidade de controlar. Concordo muito com as considerações que você pontuou e adorei ler o texto.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  10. Que post maravilhoso, adorei a explicação para cada frase, já ouvi muitas vezes algumas delas, adorei o conteúdo, quando for dono do seu nariz fará tudo que quiser, é uma grande mentira rsrsrs, mas escutamos demais!

    ResponderExcluir
  11. Gostei muito das suas perspectivas a respeito de cada frase, digamos assim, clichê, que há por aí nos cercando. Faz a gente pensar um pouquinho além, né? Às vezes simplesmente a gente cai naquela do "papagaio" e só sai repetindo as coisas sem ponderar de fato seu significado, e principalmente suas consequências.
    Abração

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma