Header Ads

Resenha – Cozinha Vegetariana do Mediterrâneo

 



Hoje é o dia mundial do veganismo, data que surgiu em 1944 para comemorar os 50 anos da fundação da Sociedade Vegana do Reino Unido. Ser vegano é uma forma de viver que não consome nada (na medida do possível) que venha de exploração e de crueldade contra animais (vestimentas, alimentos, etc.). Já o vegetariano não consome em sua alimentação produtos de origem animal. Porém, dento do vegetarianismo existe vertentes como o ovolactovegetariano, pescetarianismo; Crudiveganismo (que sou adepta), etc.

 

Para comemorar a data, escolhi o livro Cozinha Vegetariana do Mediterrâneo – Na cozinha do Hotel-Fazenda Montali, de Malu Simões e Alberto Musacchio, Editora Cultrix, primeiro, pelo título, óbvio, segundo, porque conta uma história. Ou seja, não são meras receitas sem contexto, mas uma forma de enxergar o mundo e, diga-se de passagem, um mundo melhor.



 


“Nunca foi fácil dirigir um estabelecimento vegetariano. Muitos estabelecimentos fecham depois de pouco tempo, e isso sempre me entristece.”

 

Antes de mais nada, é importante dizer que esse não é necessariamente um livro para vegetarianos, mas para ovolactovegetarianos e pessoas em transição, o que não impede que um vegano ou vegetariano com mais experiência na cozinha possa modificar algumas receitas ao seu gosto.

 

Então, vamos do começo, além de amar a culinária Mediterrânea, o livro inicia com noções técnicas e explicações sobre os ingredientes. Isso é importante? Muito. Em alguns momentos, o ingrediente certo faz a diferença, como a farinha italiana ‘00’ e como faz a diferença conhecer as técnicas da culinária para chegar ao ponto ou sabor ideal.

 

(Minha versão de Queijo Tipo Camembert  crudivegano para comer com Focaccia, recita do livro Cozinha Vegetariana do Mediterrâneo, página 220. Essa é a prova que sempre podemos adaptar.)


As noções básicas da cozinha mediterrânea também ganham espaço próprio na obra e sem esquecer a história da Trufa e do Açafrão, não é fofo? Mas eu nunca comi trufa (risos). Em seguida o livro traz as noções que podem enlouquecer quem está em transição como desjejum, entradas, pratos principais, segundo prato, sobremesas, etc. Para algumas pessoas, pensar nessas refeições é um grande desafio. 

 

Não posso esquecer de dizer, tem um capítulo inteiro para pães, pizza e Focacce. Por fim, a cereja do bolo, no final do livro tem receitas veganas como Sachertorte, Ganache, Avelã (eu fiz), chocolate, etc.

 

Como vegana, recomendo esse livro, mas com a ressalva que fiz acima, o foco dele é ovolactovegetariano. Também indico outro livro da editora: Cozinha Vegana (Cozinha vegana para quem quer ser saudável).  Deixo, por fim, a indicação de três documentários disponíveis na Netflix que podem trazer uma compreensão maior sobre o tema: Dieta dos Gladiadores; Cowspiracy - O segredo da sustentabilidade; What the Health.

 

Lembrando que o consumo de carne tem relação direta com o desmatamento!

24 comentários:

  1. Que post interessante, adorei a escolha do livro em homenagem a data, me deu foi vontade de comer essas coisas da foto hehehe

    ResponderExcluir
  2. Gente, eu não sabia que tinha uma data comemorativa para veganismo, que maneiro! =) Eu sou ovolactovegetariana desde o ano passado e foi uma mudança incrível na minha vida. Meu paladar e minha criatividade na cozinha mudaram bastante de lá para cá e só vejo vantagens. Eu ainda não conhecia esse livro, mas já que ele é mais voltado para meu estilo de vida, darei uma pesquisada sobre ele e, quem sabe, até testar novas receitas. ^^
    Bjks!

    Mundinho da Hanna
    Pinterest | Instagram | Skoob

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Hanna, desde o veganismo em minha vida, encontrei saúde, tranquilidade, no meu caso, estou na alimentação viva, que é outro patamar e honestamente, só amo.

      Excluir
  3. Já começou super interessante por passar mais informações sobre essa data do dia mundial do veganismo. Então, gostei dessa parte mais informativa na introdução também. Ótimo saber que há um capítulo inteiro para pães, pizza e Focacce! Eu parei de comer canes há um tempo, então estou sempre me reinventando quando se trata de comida pra me manter saudável sem consumir carnes.

    ResponderExcluir
  4. Achei seu texto hiper mega informativo, eu tenho uma amiga que é vegana e que vai gostar do livro que você indicou para veganos. Sempre tive vontade de mudar de hábitos, vou procurar esse livro pra ler pra ver se consigo dessa vez! PS: AMO PIZZA

    ResponderExcluir
  5. Bom, confesso entender bem pouco dos termos que você usou no seu texto. Vou dar uma explorada e pesquisada depois!
    Meu irmão é vegetariano. E ele manda muito bem na cozinha. Adoro receber as fotos de seus pratos bem elaborados.
    Adorei saber um pouco sobre esse livro. E sobre as possíveis adaptações. Muito legal você dividir essa data com a gente. Eu não fazia a menor ideia.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  6. Oi, tudo bem? Tenho algumas amigas que são veganas mas nunca pensei em pesquisar mais a respeito. Desde que conheci a Lara Nesteruk tenho seguido uma alimentação low carb e foi a que mais deu certo na minha rotina. Talvez seja porque desmistifica aquela ideia de estar sempre em dieta. Acaba se tornando realmente um estilo de vida. Achei interessante ter uma data para comemorar. O livro está muito lindo. Um abraço, Érika =^.^=

    ResponderExcluir
  7. Eu acho a proposta do veganismo e do vegetarianismo muito bacana, mas nunca consegui seguir, o que é uma pena! Gostei muito do título, ele parece bem informativo para quem deseja mudar de vida e não me soou cansativo, pela forma que você disse!

    ResponderExcluir
  8. Oie Lilian!!

    Menina, não sabia quando o veganismo tinha "surgido", achei bem interessante seu post indo bem além da informação. Eu adoro comida vegana/vegetariana, porque elas em sua maioria são muito bem temperadas e eu adoro comida temperada, ainda que não siga esse estilo de vida, não tenho como não exalta-lo.

    Beijos!
    Eita Já Li

    ResponderExcluir
  9. como sempre seu conteúdo é incrivel lilis <3 e como sempre parece que fala comigo de algum jeito, meu processo de mudança na alimentação ta bem diferente e graças a sua ajuda então sinto que esse livro é pra mim, pra tentar e conhecer.

    ResponderExcluir
  10. Mlr, mão sabia que havia data de comemoração, sehr gut!
    Acho que eh comeria tudo que tiver nesse livro. Tu sabe que eu como kkkkk

    ResponderExcluir
  11. Olá,
    Interessante o livro. Eu sou uma pessoa que não cozinha (nada de nada) porém gosto de folhear livros de culinária geralmente eles são bem bonitos por dentro. Sobre o que você já fez de vez em quando olho no seu instagram e tudo parece delicioso!

    ResponderExcluir
  12. Olá! Amei o post, mesmo não sendo vegana as vezes quero algo mais saudável e não consigo pensar em uma receita que não leve algo animal. Vou dar uma olhada nas suas outras indicações também.

    😽 Leitura Terapia

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma