Header Ads

Iep Jaltok / Kathy Jetnil-Kijiner #PoesiaRotaMundo

 



There is an old Chamorro legend

 

that the women of Guahan saved their island

 

from a giant coral eating fish

 

by hacking off their

 

long and black as the night sky hair

 

They wove their locks

 

into a massive magical net

 

They caught the monster fish

 

and they saved their islands.

 

 

(Kathy Jetnil-Kijiner, Iep Jaltok, poems from a Marshellese daughter)

  

Sobre a autora:

 

Kathy Jetnil-Kijiner é uma poetisa e artista performática das Ilhas Marshall (primeira poeta marshallês publicada), com mestrado na Universidade do Havaí. Sua poesia, em suas palavras, “foca principalmente na conscientização sobre os problemas e ameaças enfrentados pelo meu povo. Testes nucleares realizados em nossas ilhas, militarismo, aumento do nível do mar como resultado das mudanças climáticas, migração forçada, adaptação e racismo na América – esses são apenas alguns temas que minha poesia aborda. Também uso a poesia como meio de entender as pessoas e o mundo ao meu redor.” Em 2014, Jetnil-Kijiner foi escolhida para discursar na Cúpula do Clima da ONU em Nova York. Seu poema “Dear Matafele Peinem” foi escrito para sua filha e articulou as ameaças que as mudanças climáticas e o poder corporativo representam para as Ilhas Marshall, bem como a resiliência dos marshalleses.

 

Com seus primos, Jetnil-Kijiner fundou o grupo comunitário Jodrikdrik em Jipan ene eo e Kutok Maroro (Juventude por um Ambiente Mais Verde). Jetnil-Kijiner também se apresentou no Poetry Parnassus em Londres.

Site da autora: https://www.kathyjetnilkijiner.com/

 

******

 

Poesia selecionada para o projeto RotaMundo em parceria com o blog Na Literatura Selvagem que neste mês terá poetas dos países: Fiji; Ilhas Marshall; Estados federados da Micronésia.


Nenhum comentário

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma