Vestígios, por Roseneide Santana




23 janeiro 2016


by imagem -avacreat


A chuva a deixou melancólica. Uma tristeza dos séculos a acompanha neste dia. Sente saudade do que não viveu. Cenas de antigos filmes passeiam pelos seus olhos. Mulheres bem vestidas em lã e peles, homens de sobretudo e chapéu, música instrumental. Todos fumam. A atmosfera de amor, no entanto, é o que dá unidade às imagens. É preciso que haja encontro, afeto e sexo arrebatador. 


Desce sorrateira do táxi, dispensa o troco e corre para o hotel. Molhou um pouco os cabelos tão cuidadosamente escovados. Duas palavras com o recepcionista: quarto 514. O amante ainda não chegara. Ela olha em volta: a grande e confortável cama, o frigobar, onde põe uma caixinha de suco igualzinha a ofertada. Rapidamente substituiu os dois preservativos, sobre o criado-mudo, pelos retirados da sacola; também o jogo de cama e as toalhas do quarto foram trocados pelos intactos, vindos do seu enxoval. Lembrou-se do pai. meu gosto é levar uma filha pela mão na igreja ou na formatura. Morreu sem um nem ou. O homem chegou e já a encontrou em lingerie preto, o preferido. Será como sempre, bom até acabar. 

Todas as palavras de paixão só serão ditas e ouvidas naqueles instantes: “Querida, querida...”. Ao final, a vontade de falar sobre amenidades de casal. como seriam as carinhas dos filhos. ao menos o sorriso teria que ser o do pai, os dentes tortinhos mais lindos do mundo... acordar, de manhã, numa cama dos dois. observar suas costas, indo ao banheiro e voltando para novamente se deitar, sem pedir a conta. o que vai querer almoçar. a prestação do carro vence amanhã. sua mãe ligou, foi de novo para a urgência com pressão alta... 

Não há intimidades domésticas. Essas ficaram para as coitadas das esposas. A mulher sabe que, já em casa, no dia seguinte, ninguém vai se atrasar para o almoço, ninguém vai se esquecer de baixar a tampa do vaso, ou sujar toda a pia no escovar dos dentes. A conta de duas horas do expediente amoroso chegou. Como sempre, o homem sai primeiro. Não há beijo. 

A mulher faz um cálculo de cabeça. São muitos anos de fidelidade ao mesmo amante. Sorri. É quase oficial. Aguarda mais um pouco para ter certeza de que ele se foi. Recolhe suas coisas. Arruma a cama do quarto, estica bem os lençóis, limpa a pia, baixa a tampa, toma o suco da geladeirinha, as duas camisinhas de volta no lugar. Depois, volta ao banheiro para jogar a caixinha e retirar da lixeira o preservativo usado. Vai jogá-lo em um lixo qualquer, fora dali. Não quer que a arrumadeira pense que esteve ali só pra isso.

Escrito por Roseneide Santana

20 comentários:

  1. super criativa, parabéns pelo texto!

    ResponderExcluir
  2. nossa inpirador, gostei muito .. essa semana estava sentindu realmente isso ''Sente saudade do que não viveu''

    ResponderExcluir
  3. Gosto muito desse tipo de texto direto, uniparagrafado. Lembrou-me dos contos que lia antes de dormir quando adolescente. Muito bom! =)

    ResponderExcluir
  4. Ótimo texto, bem descritivo! Gosto de coisas assim. E quando li, anos de fidelidade ao mesmo amante, eu ri kkkk

    ResponderExcluir
  5. Que texto expressivo e sentimental. Um texto relativamente pequeno e que nos passa tanta coisa pela cabeça.

    ResponderExcluir
  6. Obrigadíssima a todos e todas pelos comentários. Somente uma retificação, eu escrevi vazo em lugar de vaso. A produção de um texto é uma alegria, mas é também uma dor. Nesse dia, eu estava mais para vazada, que para descargas ou flores. Acertem aí, se não eu não passo no Enem. Grande abraço. A autora.

    ResponderExcluir
  7. Roseneide, parabéns pelo texto.
    Muito bem escrito e verdadeiro.
    Muitas mulheres devem ter essa mesma ilusão de ter o amante fiel e querer o que não viveu.

    Lisossomos

    ResponderExcluir
  8. Acho que escrever um texto sempre requer muito do escritor.
    Gostei muito das palavras, ele me passou algo que as mulheres procuram hoje em dia uma boa relação. Até o poder porque não.
    Nos traga mais textos Roseneide.

    Beijinhos, Helana ♥
    In The Sky, Blog / Facebook In The Sky

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    Parabéns pelo texto! Muito bem escrito e bem detalhado. Achei triste, mas passo bem huahua
    Abraços!
    http://blogladoescuro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Ual Roseneide, parabéns pelo belíssimo e inspirador texto!
    Beijos

    myself-here1.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Lindo lindo texto! amei a escrita e a trama :D

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir
  12. Parabéns! Me identifiquei com o seu ritmo. A situação não é engraçada, chega a soar doentia, e você consegue contar tudo com bom-humor, gostei :)

    ResponderExcluir
  13. Amei, menina escreva mais e mais!
    Dava pra desenvolver uma boa história hein, espero ler mais textos seu.

    Beijos!
    www.escritacolorida.com.br

    ResponderExcluir
  14. Olá; muito bacana o texto, uma história bem escrita e bem contada em poucos parágrafos, gostei muito.

    Participe do sorteio da Trilogia A Caverna Cristalina no blog: petalasdeliberdade.blogspot.com .

    ResponderExcluir
  15. Oie,

    O texto é lindo e triste, parece que ela tem uma vida vazia não sei explicar, eu fiquei meio trite por ela. Porém ela sabe o que é melhor, e o que lhe faz bem.

    Mayla

    ResponderExcluir
  16. Oi, tudo bem?
    Amei seu texto, foi um texto rápido de ler mas com todos os detalhes bem descritos, é um texto que realmente nos faz pensar sobre certas coisas.
    Beijos, Larissa (laoliphant.com.br)

    ResponderExcluir
  17. Olá, tudo bem?
    Gostei do seu texto, é bem interessante o ponto de vista dessa mulher, não sei bem o que pensar dela me parece que ela leva um vida sem proposito e isso é bem supérfluo. :/

    Att,
    decaranasletras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  18. Oii!

    Como eu gostaria de ter dom da escrita como você <3
    Adorei sua escrita, muito leve e em poucos minutos eu consegui ficar bem envolvida na história. Sucesso!

    beijinhos

    ResponderExcluir
  19. Oi, não curto muito crônicas pq sempre fico querendo mais... Mas essa foi interessante, eu diria. Parabéns à autora! :)

    HTTP://PORREDELIVROS.BLOGSPOT.COM

    ResponderExcluir
  20. Olá, adorei a fluidez do seu texto, apesar de curto e bem gostoso de ler *-*

    Visite "Meu Mundo, Meu Estilo"

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma

 

SKOOB

Arquivo do Blog

Direitos autorais

Copyright © 2015 • Poesia na alma