Resenha – A autobiografia do Poeta-Escravo




23 março 2016


Publicado originalmente em 1840, A autobiografia do Poeta-Escravo, do autor cubano de Juan Francisco Manzano, 222 páginas, Hedra Editora, é a primeira e única, que se tem informação, autobiografia Latino-americana escrita por um escravo em seu período de cativeiro. Há duas versões da história na obra. Na primeira, a traduzida, mais acessível aos leitores de forma geral, principalmente estudantes do Ensino médio; e a transcrita, que respeita a escrita do original.


Narrado em forma de testemunho, a autobiografia em sua versão transcrita traz com veemência a força da história oral. O gênero literário é o pouco conhecido testimônio, “então se tornaram um gênero que dá voz ao que era antes marginalizado por causa da sua classe, gênero ou raça, e os leitores cuidadosos devem estar conscientes sobre como os testimônios são construídos, intermediados, e distribuídos.” (MUELLER, 2012).

Esse não é um texto escrito do ponto de vista do homem branco, analisando e descrevendo a vida do escravo, é a fala, nas marcas da oralidade, de um homem escravizado. A representação de um povo num relato real, cruel e vergonhoso.

“Soube minha sinhá que eu palavreava muito, porque os criados velhos de minha casa me rodeavam quando eu estava de bom humor e gostavam de ouvir minhas poesias, que não eram nem religiosas nem românticas, mas próprios produtos de minha inocência. Deu-se ordem expressa em casa para que ninguém falasse comigo, pois ninguém sabia explicar o gênero de meus versos, nem eu nunca me atrevi a recitar um, embora duas vezes isso tenha me custado uma boa surra.”

Juan nasceu com um pouco mais de sorte, se comparado a vida de outros escravos, experimentou algumas poucas regalias, mas que logo junto com a sorte, o abandonaram. E então, a maldade do escravocrata entrou em contraste com sua inocência. Ele aprendeu a ler e escrever só, durante a madrugada para não ser castigado, sempre tomado pela curiosidade, o mesmo aconteceu com o desenho. E essa vontade pelo aprender, acaba lhe rendendo castigos que não ouso narrar aqui de tão cruel, como no dia em que lhe quebraram o nariz por tomar banho sem pedir consentimento.

Achei que não conseguiria fazer essa resenha, fiquei emudecida frente ao um relato tão consistente. O que se instalou em minha garganta como uma batata quente foi a reflexão: A Europa é considerada um continente evoluído, bonito, desenvolvido e de pessoas cultas. Mas a custa de quem? Quantos negros da África custou essa evolução? Quantos estupros, chibatadas, mortes, famílias desfeitas, agressões, punições, apropriação cultural, custou a cultura da Europa? Quantas histórias dos negros da África a beleza da Europa escravizou?


A autobiografia do Poeta-Escravo é um livro para ser usado na escola, é um livro para aqueles que gostam de informação, é um livro reflexivo que traz um pedaço importante da história da América Latina. A Editora Hedra para esta edição optou pela sensibilidade, transformado o livro numa ferramenta de estudo com explicações minuciosas do processo de criação à tradução. 

Por Lilian Farias

14 comentários:

  1. UAU! Uma obra que realmente me chamou a atenção, tanto por ser uma história oral, uma biografia e por retratar tão fielmente um período no país. Quero demais ler! Espero poder fazer a leitura o quanto antes!
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Com toda certeza um livro que é difícil de ser resenhado, um homem, escravo contando suas dores, com toda certeza é um livro que toca e choca o leitor.
    Beijinhos, Helana ♥
    In The Sky, Blog / Facebook In The Sky

    ResponderExcluir
  3. Como eu nunca tinha ouvido falar desse livro? Meu deus! Só pela sinopse do livro, eu já queria lê-lo, não preciso dizer nada depois que li sua resenha. Gosto de livros que trazem esses relatos verdadeiros. Esse tem um destaque principal por e tratar de uma tema bastante relevante.

    HTTP://PORREDELIVROS.BLOGSPOT.COM

    ResponderExcluir
  4. e eu ainda não tive a oportunidade de ler :(
    mas gostaria muito, ainda mais sendo uma recomendação tua... a temática muito me interessa...

    ResponderExcluir
  5. Sem dúvidas o livro trata de um tema forte e não tem como não se sentir afetado considerando-se que os relatos são reais. Eu não costumo ler biografias, pois não gosto, mas a sua resenha me deixou com vontade de ler essa.

    Bjs.

    www.ciadoleitor.com

    ResponderExcluir
  6. Oi, Lilian
    Esse livro parece ser muito forte e já me interessei por ele por conta disso. Adoro livros com o tema e não sei como ainda não tinha escutado falar dele. Adorei sua resenha e seus pontos de reflexão. Adoraria ler a obra.

    livrosvamosdevoralos.bogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. OIIIE
    Não sou fã e não costumo ler biografias e autobiografias mas gostaria muito de ler algumas, essa parece ser mega interessante, sua resenha me deioxu um pouco curiosa por causa do enredo hehe

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Lilian, não conhecia o livro, mas o achei muito interessante.
    Com certeza seria uma obra maravilhosa para ser trabalhada em sala de aula.
    A que preço a Europa é considerada tão bem desenvolvida, não é?

    Lisossomos

    ResponderExcluir
  9. Já fiquei emocionada lendo a resenha, imagina lendo o livro. Poxa, quero muito ler esse livro. Espero ter o oportunidade. É tão pouco divulgado livros escritos do ponto de visto dos oprimidos. Lembrei que nosso temos Luiz Gama, o ex-escravo entrou para o mundo das letras.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Lilian, adoro ler suas resenhas. Seu blog tem ótimas resenhas, tanto suas quanto da sua equipe, mas os livros que você lê são especiais... Acho que são sempre além de entretenimento. Adorei conhecer esse livro aqui. Nada sabia sobre ele, mas senti a força dessa narrativa crua e tão real sobre alguém que enfrentou por si mesmo o drama e a tristeza da escravidão. Quero muito ler, com certeza.

    Beijos!
    http://www.myqueenside.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Olá!

    Muito interessante uma autobiografia de um escravo, não sabia que existia tal obra e isto me surpreendeu muito. A leitura deve ser bastante tocante e reflexiva. Gostaria muito de ler.

    Beijinhos!
    Cantinho Cult

    ResponderExcluir
  12. Oiiie
    eu não leio autobiografias mas tenho bastante interesse nesses temas mais fortes e parece ser uma ótima leitura

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Não tenho o costume de ler biografia, só quando me interessa MUITO mesmo. Essa parece ter um relato pesado, acho que é necessário ter um psicológico ok pra ele né? Vou aguardar o momento.
    www.belapsicose.com

    ResponderExcluir
  14. Oiee,
    Eu não tenho o habito e nem a vontade de ler biografias, mas essa durante a resenha ficou tipo "Você já ta me lendo? Oi? Como ainda não?" hahaha, vou ver se acho na biblioteca da escola.

    Abraços!
    http://lendocomobiel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma

 

Fanpage

Seguidores

Compre aqui

Compre aqui
Livro Mulheres que não sabem chorar

Link Me

Curta também:

Parcerias

De olho

Arquivo do Blog

Direitos autorais

Google+ Followers

Autora dos livros O Céu é Logo Ali, Mulheres Que Não Sabem Chorar e Desconectada. Em seus livros ela aborda temas como sexualidade, liberdade, amor, preconceito, homossexualidade, violência sexual e alcoolismo. A escritora mantém um blog literário e está sempre bem informada sobre questões sociais que acontecem em nosso país. É defensora da tese de que todos são diferentes e merecem ser tratados com equidade. Ela adora escrever sobre temas que incomodam e diz não ter medo do preconceito. Trabalha no movimento social e acredita que a educação é capaz de trazer mudanças significativas ao país.

Siga-nos por e-mail

Copyright © 2015 • Poesia na alma