Resenha - Marcoré




21 março 2016


Marcoré, de Antônio Olavo Pereira, 216 páginas, Editora Arqueiro, foi o ganhador do Prêmio de Romance da Academia Brasileira de Letras, no ano de 1957. Descrito por Raquel de Queiroz como, belo e atormentado e por José Lins do Rego como original, ganha uma edição comemorativa ao centenário do nascimento do autor.

A história inicia com o protagonista descrevendo a vida pacata em sua cidade, como ele é o oficial-maior do cartório local, sempre sabe o que acontece. Mas um dia, sua rotina é abalada com a notícia que sua esposa, Silvia, está grávida. Ele e a esposa já esperavam por isso há dez longos anos.

Nesse momento, começa o tormento, bem descrito por Raquel de Queiroz, o protagonista, bastante introspectivo, passa a ter receio dos que os outros irão pensar, o que vão dizer. Afinal, depois de dez anos de tentativas frustradas, a mulher finalmente engravida. E se pensarem que o filho não é dele?  

“A imagem de meu filho pequenino, seu choro, que tanta angústia me causa, a vozinha musical, o riso claro que estala nas sombras do pomar estão presentes em todos os meus pensamentos. Sinto Marcoré como se fora não obra minha, mas meu criador. Nada mais consigo realizar que não envolva o seu nome. Transfiro para ele todo o bem que me chega; se fraquejo, receio que os males o atinjam.”

Após o nascimento do filho Marco Aurélio, Marcoré, nasce um novo protagonista, um novo homem. Também muda a vida com Sílvia, que fez uma promessa que não teria mais relações sexuais com o esposo caso o filho vingasse. Nisso o tempo vai passando entre escândalos, brigas, mortes de entes queridos e muita solidão.

“A melodia traz uma dolência que me embala também. Seu Camilo mesmo deixa-se estar pensativo, quieto em sua rede. Há de sentir que esse ribeirão tão fundo corre entre todos nós, é um divisor que ninguém transpõe. A voz ontem me pareceu cansada, irregular, por vezes roufenha. Sílvia perde as forças devagar. Falta-lhe o ar à noite, a menor caminhada deixa-a exausta. Impossível seguir trilha de Honorata. Cedo ainda. Marcoré é pequenino, necessita ouvir a voz da mãe para adormecer, segurar-lhe a mão sobre o peito. Se Sílvia morrer, que será de meu filho?”


Narrado em primeira pessoa por um protagonista sem nome, o leitor é adentra na mente de um homem angustiado, que vive num cidade provinciana e com conflitos interioranos. Antônio Olavo Pereira prima por um texto enxuto e original, com marcas de tragédia pela aprofundada solidão descrita. 

Sobre o autor:
Antonio Olavo Pereira nasceu em Batatais, no interior de São Paulo, em 1913. Aos 20 anos começou a escrever para a revista O Malho, do Rio de Janeiro. Depois trabalhou na Biblioteca de São Paulo e, logo em seguida, associou-se ao irmão mais velho, o grande editor José Olympio, na direção do departamento editorial da Livraria José Olympio Editora.

Seu primeiro livro, a novela Contramão, foi publicado aos 37 anos, em 1950. Marcoré foi lançado em 1957 e Fio de Prumo, em 1965. Seu último trabalho foi Uma Certa Borboleta Azul, dedicado ao público infantil. Foi casado com Gulnara Lobato de Morais Pereira, com quem teve o filho Antonio Olavo Pereira Junior. Faleceu em São Paulo em 1993.

Resenha por Lilian Farias

15 comentários:

  1. Nossa, que obra e essa??
    Parece ser muito interessante e diferente do que estamos vendo, gostei bastante, irei procurar mais sobre a obra, bela resenha, parabéns.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Olá Lillian,

    adorei a sua resenha, as passagens do livro que inseriu na sua publicação, confesso que nunca li esse livro, parece ser uma obra prima da literatura brasileira. www.sagaliteraria.com.br

    ResponderExcluir
  3. Oii Lilian,
    Eu não sou lá muito fã de livros escritos a "tanto tempo", mas esse pelo jeito é um caso a parte, quero muito saber como foi a mudança do Marcoré.

    Abraços!
    http://lendocomobiel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi Lilian, nossa, eu acho que já li esse livro há muito tempo atrás porque essa história não me é estranha,rs. Teve uma época que eu era rata de biblioteca, lia vários clássicos e as indicações de nacionais que tinha no mural da biblioteca. Mas como já faz tempo, vou procurar esse livro pra ler (ou reler) porque me interessei bastante e se já li não lembro mais então vai valer a leitura do mesmo jeito. Super obrigada por essa indicação, adoro autores nacionais!

    Beijos. ^_^
    www.clubedas6.com.br

    ResponderExcluir
  5. Totalmente instigante, gostei muito da história e nunca tinha lido qualquer menção sobre. Anotei a dica. Bjs

    ResponderExcluir
  6. Hi baby, tudo bem? ainda não tinha ouvido falar o que é uma falha literária já que ganhou o prêmio de Romance da academia Brasileira de Letras, o que é um feito e tanto! achei a sinopse bem regional e interessante! totalmente diferente do que lemos por ai...vou add há minha lista de futuras leituras. adorei a resenha <3

    Lilian Valentim
    http://speakcinema.blogspot.com.br/
    beijinhos

    ResponderExcluir
  7. Oi, flor!
    Gostei de conhecer esse livro... Nada sabia sobre ele, mas acho que todas as obras que um dia mereceram o prêmios tão importantes valem a pena serem lidas, mesmo que para apenas conhecermos seu estilo narrativo. Fiquei comovida com o protagonista, que em meio à felicidade da paternidade acaba se afundando em um mar de angústias. Anotei a dica.

    Beijos!
    http://www.myqueenside.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Oiii Lilia, tudo bem?
    Eu realmente não conhecia essa obra e achei diferente da atualidade, do que está sendo sempre lançado. Eu me interessei por essa obra para conhecer profundamente cada detalhe. Anotei a dica!
    Beijão

    ResponderExcluir
  9. Que interessante o protagonista não ter nome :O fiquei com bastante vontade de ler o livro.
    www.belapsicose.com

    ResponderExcluir
  10. Olá Lilian! Desconhecia tanto a obra quanto o autor. A premissa parece ser super interessante, é um livro que eu gostarei de ler assim que puder.

    http://umreinomuitodistante.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Amo suas resenhas e amo o fato de você trazer obras não tão populares. Fiquei bem curioso com o enredo,achei bem original. Vou anotar a indicação ;) Adorei!
    Abraço;

    http://estantelivrainos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  12. A obra e o autor até então eram totalmente desconhecidos para mim, não curto muito ler livros nesse estilo, mas sua resenha e essas passagens que destacou, me deixaram bem curioso para conhecer a obra.


    Gabriel Lucas | Frases, Trechos e Pensamentos

    ResponderExcluir
  13. Este é um livro que não me prenderia de imediato, mas conforme fui lendo sua resenha fui me envolvendo em toda a premissa e aguçando a minha curiosidade. Parece um livro forte, daqueles que nos faz refletir a cada situação apresentada.
    Gostei!
    Abs
    Ni
    Cia do Leitor

    ResponderExcluir
  14. Oi ^^

    Este livro é uma novidade para mim. Ainda não tinha lido algo a respeito dele, tão pouco conhecia o autor.

    Fiquei surpresa por se tratar de uma obra interessante, mas que eu não tinha ouvido falar ainda. Com certeza ele acabou de entrar para minha lista de futuras leituras!

    ResponderExcluir
  15. Olá, tudo bem?
    Não conhecia este livro, na escola li somente alguns clássicos, então tenho certo receio em ler eles. Sei lá, como se fosse uma obrigação.
    Mas gostei muito da sua resenha!
    Beijos, Larissa (laoliphant.com.br)

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma

 

Fanpage

Seguidores

Compre aqui

Compre aqui
Livro Mulheres que não sabem chorar

Link Me

Curta também:

Parcerias

De olho

Arquivo do Blog

Direitos autorais

Google+ Followers

Autora dos livros O Céu é Logo Ali, Mulheres Que Não Sabem Chorar e Desconectada. Em seus livros ela aborda temas como sexualidade, liberdade, amor, preconceito, homossexualidade, violência sexual e alcoolismo. A escritora mantém um blog literário e está sempre bem informada sobre questões sociais que acontecem em nosso país. É defensora da tese de que todos são diferentes e merecem ser tratados com equidade. Ela adora escrever sobre temas que incomodam e diz não ter medo do preconceito. Trabalha no movimento social e acredita que a educação é capaz de trazer mudanças significativas ao país.

Siga-nos por e-mail

Copyright © 2015 • Poesia na alma