Resenha – O Caderno Rosa de Lori Lamby




25 outubro 2016



O Caderno Rosa de Lori Lamby, de Hilda Hilst, Editora Globo, 128 páginas, é o que se pode chamar de livro-susto. Para além de muita ousadia com um enredo um tanto quanto peculiar, cômico e polêmico, a autora traz para a história críticas ao mercado literário com originalidade.

Se você é sensível, muito romântico e tem dificuldade de leituras mais complexas e com descrição crua de sexo, não leia. Se você tem problemas quanto a estática na escrita, pode sentir dificuldade, pois o livro não possui praticamente pontuação. Isso, lógico, para que introjetemos numa respirada só toda a história de Lori. Esse é um livro para o leitor adulto e principalmente maduro. Mas, afirmo, insista na leitura até o final. Em 1990, Hilda apresenta um personagem-narrador pouco comum, uma menina de oito anos, Lori, e seus relatos sexuais.

“Eu tenho oito anos. Eu vou contar tudo do jeito que eu sei porque mamãe e papai me falaram para eu contar do jeito que eu sei. E depois eu falo do começo da história.”

A grande questão nesse texto tão polêmico, e isso é SPOILER, é que somente depois de se contorcer em incomodo e ser torturado entre culpa, fascínio, repúdio e risos, o leitor descobre que na verdade, nada do que foi relatado é real. Lori se apropriou dos textos do pai, que era escritor, de suas revistas e filmes pornográficos e com base no que viu, passou a escrever em seu caderno rosa.

No meio de palavras tão incômodas, a autora faz uma crítica a sociedade consumista e ao que Xuxa, a Rainha do Baixinhos, representava para a infância na época, 1990. Além disso, critica o mercado de literário e a TV por supervalorizar livros, séries, filmes, etc. considerados por ela ‘insignificantes’, que não passam de ‘bandalheiras’ para vender. Livros onde o ser humano é desprezado em detrimento do capital.

A menina Lori se comove ao perceber que o pai, um homem muito inteligente, um sábio, não consegue espaço no mercado literário por não escrever de forma comercial, então, como se espera de uma criança, ela tenta ajudar o pai escrevendo seus próprios textos, como não conhece palavras bonitas, se apropria das palavras do pai. A menina curiosa vai então relatando cenas cruas de sexo como se fossem experiências dela, capaz de fazer um leitor sensível ter um ataque do coração. 

O que é muito forte e visível, é que causa incômodo e precisamos passar por cima de pudores e convenções para chegar até o final da obra e compreender sua real intenção, além disso, durante todo o texto a autora vai dando dicas, mesmo que sutis. A obra teve uma adaptação para o teatro que ficou perfeita, por sinal, está disponível no youtube, a quem interessar possa. Hilda não tem medo das palavras, ela se apropria de tudo e constrói uma das obras mais fortes que já li nos meus trinta e pouquinho... 


O livro foi um soco em meu crânio, no estômago e onde mais for possível socar. É forte, cru, intenso e me fez recordar de minha infância, um fato muito curioso. Quando pequena, tinha hábito de ouvir conversas alheias, escondida. Certo dia, ouvir a palavra buceta. Foi essa uma grande descoberta, tal qual as palavras eram para Lori. E as pessoas a proferiam com tanto entusiasmo e felicidade, que no dia seguinte, ao chegar na escola e ver a diretora com uma cara sempre tão carrancuda, tive uma ideia ‘genial’, escrevi Muito grande na parede do banheiro feminino “Dona Gio deu a Buceta!”. Eu não sabia o que era dar a buceta, achei realmente que a diretora ficaria feliz. Mas isso me rendeu uma bela surra e uma semana trancada no quarto, onde li muitas poesias do Mario Quintana. 

30 comentários:

  1. Ahahahahahaha!
    Amei a história da dona Gio!

    Definitivamente esse livro não é pra mim, já percebi... rs
    Vou deixar a dica passar.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Não consegui resistir, eu li o spoiler e meu deus, adorei e preciso ler! Eu ando procurando por leituras diferenciadas e cruas, que mostram mais da vida, sabe? E esse parece ser o livro certo. Adorei o tema e a personagem principal, um livro susto bem intrigante.
    Um abraço!

    http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hehehehehehehhe Mesmo com spoiler, o choque é muito grande. Depois me diz o que achou.

      Excluir
  3. Olá,
    Achei bem divertida a forma com que você conta a história. Mas, esse tipo de livro não chama muito a minha atenção, prefiro os livros mais leves.
    Beijocas.

    meumundosecreto

    ResponderExcluir
  4. Olá tudo bem?

    Não me importo com spoilers, achei bem interessante a história da dona Gio, estou saindo da zona de conforto nos últimos tempos e o fiz através das leituras dos clássicos da coleções folhas. Esse livro é uma boa pedido, gostei!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É um livro esplendido, sugiro que veja a peça também, sensacional. A história de D. Gio ainda rende lá me casa... rsrsrsrs

      Excluir
  5. mlr, eu quero. não sei se vou conseguir ler em pdf masse encontrar a versão física, compro sem pensar duas vezes...
    mesmo com o spoiler, tô mais do que empolgada pra ler...
    bjs ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Val, acho que tu consegue ler o PDF, é super curto e rápido.

      Excluir
  6. Olá!

    Miga, eu preciso ler esse livro. Juro para você! Eu amo livros de romances, mas não vejo problema algum em ler um livro que contém cenas mas ''eróticas''. Parece ser um livro bom!

    ResponderExcluir
  7. Oiii Lilian, como vai querida?
    Fiquei louca para ler esse livro, mas acredite, até estranho vindo de mim. Não vejo pronta ainda para ler algo tão forte, creio que me desmontaria e não socaria apenas meu estômago, mas todo o meu corpo, quero ler sim, mas futuramente.
    Abraços

    ResponderExcluir
  8. Ate fosro de spoilers ( na verdade amo) mas esse livro em questão não me chamou a atenção, então deixarei a dica passar, quem sabe na próxima. Mas eu adorei a história da Gio me deu boas risadas. Kkkk

    Beijos.

    ResponderExcluir
  9. Eu não conhecia o livor e achei interessante e completamente diferente do que estou acostumada a ler. Acho que em alguns momentos eu ficaria incomodada sim, mas no geral eu me interessei pela leitura.

    ResponderExcluir
  10. Senti um arrepio com esse livro. Estou mesmo precisando desses livros que deixam a gente no chão. Com certeza vai entrar para minha lista de próximas leituras.

    http://laoliphant.com.br/

    ResponderExcluir
  11. OMG! Coitada da Dona Gio...kkkkkk...fico imaginando a cena...kkkk
    Não sei o que foi mais bizarro, a leitura do livro ou resenhá-lo...rs... eu ficaria perdida.
    Parabéns pela criatividade.
    Beijos!
    Gatita&Cia.

    ResponderExcluir
  12. Essa leitura deve ser no minimo inusitada e diferente.
    Provavelmente uma crítica à aqueles todos rigores da língua
    mas acredito que deve ser interessante.

    ResponderExcluir
  13. Sinceramente, a única coisa que talvez me incomodasse nesta leitura fosse a ausência de pontuação. Fora isso, seria uma leitura bem interessante e diferente do que costumo ler.
    Bjs

    ResponderExcluir
  14. Olá,

    Não conhecia o livro, confesso que não faz muito o meu gênero literário, mas vou tentar me arriscar futuramente. Obrigada pela dica.

    ResponderExcluir
  15. Lilian, realmente o livro parece ser bem intenso, eu com certeza não tenho maturidade para lê-lo no momento. Mas vou anotar a dica e espero um dia poder apreciar... Beijos

    ResponderExcluir
  16. Oie
    Não é bem meu gênero favorito pois não tenho o costume mas quem sabe uma hora eu arrisque quando tiver mais tempo, bem legal sua dica

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  17. Normalmente este não seria um livro que eu leria, mas ando saindo da minha zona de conforto e, para isso, acho que é exatamente o que eu estava procurando! Dica anotada :D

    ResponderExcluir
  18. Não é uma leitura que eu faria, apesar de que no fundo ele pode ter uma veia cômica. Passo a dica.
    mas hein? Que surra deve ter sido kkkkk
    www.belapsicose.com

    ResponderExcluir
  19. Olá Lilian, mesmo esse não sendo o meu tipo de leitura fiquei bem fascinada pelo enredo que a autora criou, a forma crua que você comentou como ela tratou me deixou bem curiosa. Dica anotada.

    http://meumundo-meuestilo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  20. Olá!
    Eu achei o tema muito interessante, mas realmente não é uma leitura que eu faria, pois além de não fazer o meu estilo, essa falta de pontuação me irritaria muito.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  21. Nossa já publicaram um livro que eu queria escrever..rs .
    Preciso ler este livro por sua criticas reais passadas, e a forma cômica como o tema foi tratado deixa a leitura super divertida.

    ResponderExcluir
  22. Olá, não conhecia a obra e curti a resenha...vou anotar a dica :)

    Abraços

    ResponderExcluir
  23. Ual, adorei o livro KKk, realmente é algo totalmente novo, uma proposta de livro que não é para qualquer um, me deixou bastante curiosa, ainda mais com o seu relato no final, eu também super ficava escondida ouvindo o que as pessoas falavam e abosrvia aquelas palavras para mim sem nem ao menos saber o siginificado, mas nunca cheguei ia escrever elas na parede da escola kkk

    ResponderExcluir
  24. Oie, tudo bem? Realmente, o livro parece bem forte. Um soco no estômago como você mesma disse. Até gosto de leituras assim, que me façam pensar bastante sobre algo, mas não é o que eu to procurando no momento.

    ResponderExcluir
  25. Oie.
    Mas gente que livro é esse?
    Parece ser bem pesado e acredito que não seja para mim.
    Essa dica eu vou ter que deixar passar. Não estou pronta para esse tipo de leitura soco no estômago.
    Mas está uma ótima resenha, parabéns pelas palavras.
    Beijos.

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma

 
Autora dos livros O Céu é Logo Ali, Mulheres Que Não Sabem Chorar e Desconectada. Em seus livros ela aborda temas como sexualidade, liberdade, amor, preconceito, gênero, violência sexual, alcoolismo, etc. A escritora mantém um blog literário e trabalha com educação.

Arquivo do Blog

Direitos autorais

Copyright © 2015 • Poesia na alma