Resenha – O Retrato de Dorian Gray




08 novembro 2016



“É que Narciso acha feio o que não é espelho
E à mente apavora o que ainda não é mesmo velho.”
(Caetano Veloso)

O Retrato de Dorian Gray, de Oscar Wilde, 160 páginas, editora Rocco, é um clássico da literatura mundial, publicado em 1890, edição adaptada por Clarice Lispector, que traz como tema central a imortalidade da beleza de Dorian Gray. O artista Basil Hallward conhece o jovem Dorian e encantado com tamanha beleza, resolve pinta um quadro do rapaz. Retratando então, na obra, tudo aquilo que via na imagem bela e perfeita de Dorian, jovialidade, inocência, pureza, etc. nesse interim, Dorian conhece Henry Wotton, amigo de Basil, que tem uma visão bastante peculiar sobre a vida, pessoas e beleza...

“(...) Parece que um destino mais cruel está reservado aos belos. O feio, o tolo têm, neste mundo, a melhor sorte. Vivem como todos nós deveríamos viver: sossegados, indiferentes, sem preocupações. Não causam desgraça alheia nem são desgraçados por alheias mãos... sua posição social e sua fortuna, Harry, a minha inteligência, e a bela aparência de Dorian Grey... são dons dos deuses, pelos quais teremos os três de sofrer, de sofrer horrivelmente.

A presença de Henry na vida de Dorian desperta sua atenção para novas nuances da vida, como o poder. Ao concluir o quadro, Basil presenteia Dorian com a obra, que de tão fascinado, deseja permanecer tal qual a figura ora retratada.

“– Como é triste – murmurou Dorian, ainda com os olhos fixos em seu retrato. – Como é triste! Eu me tornarei velho, horrível, espantoso. Mas este retrato permanecerá sempre jovem. Não será nunca mais velho do que neste dia de junho... Se acontecesse o contrário! Se eu ficasse sempre jovem, e se este retrato envelhecesse! Por isso... Por isso eu daria até a minha própria alma!

Cego pela vaidade, o jovem Dorian se transforma num sádico cruel, egoísta e enquanto sua aparência continua jovem e perfeita, sua alma junto ao quadro vai se putrefando, sentindo os efeitos da vaidade, do tempo e da maldade, causando pânico, tornando-se uma espécie de consciência.

O artista ergueu a vela. Tornou a examinar sua obra. A superfície do quadro não sofrera alteração. O horror e a deturpação vinham de dentro. Em razão de alguma misteriosa aceleração da vida interior, a lepra do pecado consumia lentamente o retrato.
A podridão de um cadáver, em uma sepultura úmida, não seria mais espantosa. ”

Assim como Narciso, Dorian se apaixona doentiamente pela própria imagem, isso faz com que a obra de Wilde se torne atemporal, um culto doentio a beleza e a juventude eterna. O belo como arma de poder para colonizar outros. O final não poderia ser outro, permeado em ódio, tragédia e desilusão.  


Essa é uma forma muito simbólica de falar sobre a morte. Que seja a morte da juventude e todo o bônus que ela carrega. Criando uma teia obsessiva de repúdio ao envelhecimento, que inevitavelmente virá. Não obstante, vivenciamos uma sociedade consumista, fragmentada. Tal qual Narciso, uma sociedade mais preocupada com a imagem, que com o ser. Alimentando o capitalismo sem uma consciência real do que é feito do humano nesse panorama. Para finalizar, obviamente que foi uma leitura prazerosa e, lógico, a quem desejar, indico. Caso almeje, pode complementar com a leitura de Modernidade líquida e liberdade consumidora: o pensamento crítico de Zygmunt Bauman, de Tiago Fragoso. 

32 comentários:

  1. Olá, li esse livro há algum tempo e não foi uma leitura proveitosa para mim, acho que pelo fato de eu ter sido forçada a ler não ajudou muito.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  2. ficou perfeita tua resenha, a crítica abordada na obra realmente chega até nosso tempo, com mais intensidade ainda que na época que Wilde escreveu...
    :DD

    ResponderExcluir
  3. Oscar Wilde é maravilhoso não é? EU fiquei fascinada com suas obras uma época, e decidi ler todos os que são mais famosos. Porém só achei edições de bolso :( adorei essa da Rocco, a capa tá linda e sabemos ser uma editora de confiança, que publica a obra na íntegra. Amo Dorian <3

    beijos, isa
    http://isaloucaporlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Um livro antigo e com questões muito atuais, hoje em dia temos ai uma certa obsessão enorme pela juventude. Nunca li esse livro do autor, fiquei bem curiosa com o tema.
    Beijinhos, Helana ♥
    In The Sky, Blog / Facebook In The Sky

    ResponderExcluir
  5. Olá.
    Não consegui me interessar por esse livro, acredito que não é o momento ideal para eu ler.
    Beijos.

    meumundosecreto

    ResponderExcluir
  6. Oi!
    Não li o livro ainda, acredita? Mas ele já está na minha lista de leituras há algum tempo. Depois de ler sua resenha, pretendo ler o mais rápido possível. Com toda a certeza deve ser uma obra fascinante!

    Beijos e sucesso!

    ResponderExcluir
  7. Oi!
    Eu tenho esse livro numa versão em inglês e apesar de ter vontade de a ler nunca foi uma vontade grande o suficiente, talvez pela minha edição ser em outra língua. Essa edição da Rocco ficou linda e reacendeu a minha animação com a história que é muito bem falada.
    Adorei a crítica que você fez sobre a juventude e o que ela representa e fiquei ainda mais curiosa pra ler o livro e entender melhor tudo o que ele aborda.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Olá!
    Essa história é incrível, pelo menos para mim foi, uma narrativa cheia de críticas e com um tema que é tão atual quanto a aparência e a busca pela juventude. Já li há muito tempo, então tenho muita vontade de reler.
    Ótima resenha.

    Beijos
    http://aventurandosenoslivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    Hoje em dia o foco é a beleza. Quem é belo é visto e venerado. Tem pessoas que levam a vida numa boa, mas outras que acabam com ela pela objeção de serem perfeitos. Apesar de ser um história antiga retrata bem os tempos atuais. Gostei muito do enredo e se puder quero ler.
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  10. Olá!!

    A obra é maravilhosa!!
    Sua resenha ficou perfeita, mesmo sendo um livro escrito já tem algum tempo a crítica é muito atual. Para mim também foi uma leitura muito prazerosa e reflexiva.
    Parabéns pela resenha!

    bjs
    Fernanda
    http://pacoteliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Dorian Gray tem seus motivos para ser um clássico. A necessidade de sermos sempre jovens, de idolatrarmos essa fase da vida em detrimento das outras, ainda é um dos maiores temas da sociedade, então Dorian é só um reflexo de nós mesmos, o quanto podemos ser terríveis quando nos preocupamos somente com isso. Fora toda a carga dramática, e as reflexões sobre até onde essa vaidade pode nos levar!

    Parabéns pela resenha, ótima indicação, eu fiquei foi com vontade de reler hahaha

    ResponderExcluir
  12. Oi!
    Essa versão publicada pela Rocco, adaptada pela Clarisse Lispector é muito boa,bem feita.
    Sua resenha desse clássico foi a melhor que li na blogosfera. Acredito que vc captou a ideia do autor e soube passar isso para uma resenha de maneira clara. Adorei mesmo.

    Bj

    ResponderExcluir
  13. Ouvi e vi algumas pessoas comentarem sobre esse livro. Mas nunca me interessei!
    O enredo parecer ser bem forte e envolvente. As passagens que disponibilizou em sua resenha deixa isso transparecer.
    A resenha está incrível.Parabéns.

    bjs

    ResponderExcluir
  14. Nunca dei muita bola pra esse livro mas a sua resenha conseguiu despertar em mim uma curiosidade absurda. Fiquei muito intrigada e quero ler o livro em breve pra conhecer essa história assombrosa e maquiavélica.
    Abraços

    ResponderExcluir
  15. Livros com toda essa qualidade merecem ser lidos!
    Faz muito tempo que eu quero ler, além de ter um conteúdo refinado, o gênero me agrada bastante. Tenho certeza de que a leitura é intensa e adorei poder conferir a sua opinião sobre a obra.

    ResponderExcluir
  16. Lilian, eu sempre tive imensa curiosidade em realizar a leitura desse livro, pois eu apenas assisti ao filme, assim que eu for em u sebo vou ver se acho para realizar a compra.
    Abraços

    ResponderExcluir
  17. Olá Lilian,


    Esse é um dos clássicos da literatura mundial que gostaria muito de ler e essa edição está show de bola, o assunto abordado na obra sempre vai ser atemporal.....ótima dica...bjs.


    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  18. Oie, tudo bem? Já ouvi alguns blogs falarem muito bem desse livro, mas infelizmente não consigo me interessar por ele.

    ResponderExcluir
  19. Realmente esta obra é atemporal, ainda hoje temos muitos casos onde a pessoa é apaixonada pela própria imagem, ficando escrava da beleza e não aceitando o envelhecimento. Pelo visto, a realidade está muito bem retratada neste enredo.
    Bjs

    ResponderExcluir
  20. Uau!!! Adorei a resenha Lilian! Já tinha ouvido bastante falar deste livro, mas não tinha me interessado ainda. Fiquei aqui com água na boca. Sua resenha está muito interessante e instigante também!
    Um abraço!

    ResponderExcluir
  21. Oi, essa é uma obra clássica realmente incrível! Apesar de ter sido escrito em outra época, retrata bem a atualidade. Amei tua resenha!Fiquei com uma imensa vontade de reler. bjs

    ResponderExcluir
  22. Eu adoro esse livro, foi um dos primeiros clássicos que eu li depois de sair do mundo de Orgulho e Preconceito. Acho que o enredo é muito forte, mas que vale muito a pena ser lido.

    http://laoliphant.com.br/

    ResponderExcluir
  23. Esta é uma história que eu tenho vontade de conhecer mais a fundo, mas que por falta de tempo venho adiando.
    Mesmo tendo sido escrita há um certo tempo e já tendo ouvido falar tanto sobre a obra, acredito que ainda conseguirei me surpreender.

    ResponderExcluir
  24. Eu sempre quis ler essa obra, mas fiquei com receio de solicitar e acabar não curtindo a leitura. Mas lendo sua resenha percebi que isso é difícil, a história é muito interessante e reflexiva. Gostei da resenha, fiquei ainda mais empolgada para ler a obra!
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  25. Olá! Parabéns por prestigiar um clássico! Eu tenho esse livro em minha lista de leitura e quero ler o mais breve possível! depois de sua resenha, que ficou ótima e super objetiva, me deu ainda mais vontade de ler. Adoro livros que retratam a maneira como o ser humano lida com as coisas da vida, nesse caso, a beleza e, claro, as consequências de se valorizar demais o belo externo e se esquecer da alma. Fiquei curiosa por esse final e vou procurar em breve para ler.
    Beijos!
    Karla Samira
    http://pacoteliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  26. Olá, Lilian. Li esse livro ano passado e gostei dele, mas não me senti muito conectada a história. Pretendo reler ele assim que possível, para ver se tenho uma visão diferente da história.
    Adorei sua resenha, super bem escrita.

    ResponderExcluir
  27. Ainda não tive a oportunidade de ler esse obra, e sim, ela é maravilhosa! Sua resenha explorou pontos principais da história, o que me deixou bem informada sobre o que acontece na história. Parabéns pela resenha.

    ResponderExcluir
  28. Olá,parece ser uma ótima leitura, e que trabalha temas extremamente atuais mesmo sendo um livro mais antigo, claramente um clássico,e adorei saber mais sobre ele, ainda mais com a clarice lispector envolvida,ótima dica

    ResponderExcluir
  29. Oi, faz anos que pretendo ler este livro, na verdade já o iniciei várias vezes, mas infelizmente nunca consigo concluir a leitura. Acho que o fato de ser um clássico acaba me travando na leitura, não que não consiga ler mas com tantas leituras por concluir de parcerias acabo não tendo tempo de mergulhar na obra como gostaria. Obviamente que quando tiver um tempo vou tentar novamente, e também vou procurar saber mais sobre a indicação que vc fez no fim da resenha!

    ResponderExcluir
  30. Oiiie
    tenho bastante curiosidade pelo livro, parece ser bem interessante mas é um daqueles que enrolo bastante para ler, bela resenha

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  31. Eu tentei ler o livro quando era mais nova e, mesmo tendo ficado curiosa com a premissa achei a narrativa muito chata e cansativa. Agora, ao ler sua resenha e pensar sobre isso, penso que talvez eu não estava no momento certo para ler o livro. Acho que muitas vezes tem essa coisa de momento certo para ler o livro, então, vou tentar novamente ler. Vai que dessa vez minha opinião seja diferente não é mesmo?
    Beijinhos,
    Lica
    Amores e Livros

    ResponderExcluir
  32. já havia visto, porém acho que não seria uma leitura para mim
    porém amei a sua resenha
    sucesso

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma

 

Fanpage

Seguidores

Compre aqui

Compre aqui
Livro Mulheres que não sabem chorar

Link Me

Curta também:

Parcerias

De olho

Arquivo do Blog

Direitos autorais

Google+ Followers

Autora dos livros O Céu é Logo Ali, Mulheres Que Não Sabem Chorar e Desconectada. Em seus livros ela aborda temas como sexualidade, liberdade, amor, preconceito, homossexualidade, violência sexual e alcoolismo. A escritora mantém um blog literário e está sempre bem informada sobre questões sociais que acontecem em nosso país. É defensora da tese de que todos são diferentes e merecem ser tratados com equidade. Ela adora escrever sobre temas que incomodam e diz não ter medo do preconceito. Trabalha no movimento social e acredita que a educação é capaz de trazer mudanças significativas ao país.

Siga-nos por e-mail

Copyright © 2015 • Poesia na alma