Resenha – A Era de Ouro do Pornô




10 janeiro 2017



Em A Era de Ouro do Pornô, de Zeka Sixx, 160 páginas, Editora Multifoco, Max, personagem central, é uma tentativa frustrada de escritor. Por conta de um bloqueio criativo, não consegue escrever, enquanto isso, trabalha como tradutor freelancer. Max vive a vida com os recursos que a sorte lhe oferece. Entre o limbo e a necessidade de continuar vivo para beber e trepar mais, ele come quando vai a festas, dorme durante o dia e é viciado na Era de Ouro do Pornô.

 Nas noites, procura por mulheres que estejam dispostas ao sexo sem compromisso e sempre encontra. Seu pau nunca dorme, de modo, a confundirmos se ele é um personagem ou o verdadeiro filme pornô clássico.

O que não se pode negar é que Max é visivelmente o extremo oposto do conservadorismo. Fazendo uma ruptura com o pensamento judaico-cristão, o autor apresenta um personagem mundano, que saboreia os prazeres do limbo.  Não há, por exemplo, a ideia de redenção, como nos clichês ‘hots’, em que os personagens são toscamente denominados ‘mocinhos e mocinhas’ e um aguarda o outro em busca da salvação. O corpo é tratado com a máxima que o prazer pode oferecer, não há, nesse caso, limites.

A transgressão em todo o texto vai tecendo uma crítica genial, nas entrelinhas, à literatura de mercado. Impossível, nessa hora, não lembrar da célebre frase de Hilda Hilst: “Hoje, no entanto, todo mundo se diz escritor. E os outros, os que os leem, também acham que os idiotas o são. É tanta bestagem em letra de forma que pensei, por que não posso escrever a minha?” (Trecho do livro Pornô Chic, p. 64)

"Meu trabalho consiste em observar as criações de outros e simplesmente transcrevê-las para outra língua, enquanto agonizo pela completa incapacidade de dar à luz minha própria criação. Com o advento dos livros digitais, tornou-se inimaginável o número de idiotas que publicam livros por conta própria, sem praticamente nenhum custo.” (A Era de Ouro do Pornô, p. 16)


O encontro com a sombra, com o marginal, com aquilo que socialmente preferimos não ver e esconder, dá ao livro um tom de humor escrachado, seco, despudorado. Não nego, no entanto, a influência do velho e safado Charles Bukowski na escrita de Zeka Sixx, o que não tira as marcas de autoria nem a excelência da obra. 

40 comentários:

  1. Li o livro, mas confesso que não gostei muito. A história em si, não me impressionou, mas o que me fez não gostar dele foi a narrativa, pra mim não funcionou.
    Beijinhos, Helana ♥
    In The Sky, Blog / Facebook In The Sky

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    É o tipo de livro bem polêmico. Confesso que não me agradou muito e estou procurando algo diferente. Todavia, vou anotar aqui!

    ResponderExcluir
  3. Gostei da resenha, mas a trama não me atraiu muito, vou anotar o nome se eu tiver oportunidade vou dar uma conferida...Bjs

    ResponderExcluir
  4. Eu queria entender esses autores brasileiros com esses nomes mirabolantes. Não gosto dos nomes dos personagens americanizados. No mais, o título é excelente, o livro tem um enredo que eu gosto, de escritor na luta por ser visto.
    E sabe Lilian, a sinceridade tem muito charme. E tem razão, no Brasil, todos que leem se sentem escritores, e como as letras estão ai, porque não agrupá-las também, mas não importa a quantidade, só se destacarão os bons e só se eternizarão aqueles com aquela universalidade tipicas dos grandes escritores. O mundo é um moinho e vai triturar os seus sonhos" Obrigado! Vc me agrada demais. Bjosss! Queria muito conversar mais com vc!

    ResponderExcluir
  5. Tava louca querendo ler uma resenha desse livro, vai para a lista de desejados.

    ResponderExcluir
  6. Olá, tudo bem?
    Se eu visse esse título, passaria batido, pois esse não costuma ser o tipo de leitura ao qual estou acostumada. No entanto - por conta da resenha -, fui literalmente instigada a ler esse livro, ao qual certamente lerei.
    Obrigada pela dica.

    ResponderExcluir
  7. Oi Lilian tudo bem?
    EU já li varias resenhas desse livro e cada vez mais ele me chama a atenção. Amei ler sobre as suas impressões. Ele já está na minha lista. Bjs

    ResponderExcluir
  8. Olá, apesar de adorar romances eróticos, não sei se iria gostar deste livro que, apesar de ter uma temática erótica, não sei se há muito romance. Porém, pela narrativa, parece ser um livro intrigante.

    ResponderExcluir
  9. Essa história n me chamou mt atenção :/ mas a sua resenha ficou ótima, beijos

    ResponderExcluir
  10. Tenho visto muitas resenhas sobre esse livro mas nunca me interesso por ele. A sua resenha está bem esclarecedora e me fez ver a obra com outros olhos, no entanto, continuo sem interesse para realizar a leitura.

    ResponderExcluir
  11. Oiii Lilian, querida
    Eu adorei ter lido esse livro, ele foi fascinante e me levou a conhecer outro mundo da escrita, agradeço até hoje ao autor.
    Beijinhos da Morgs!

    ResponderExcluir
  12. Olá!

    Dessa vez vou passar a dica, não me atraiu muito...

    Bjs
    www.livrosdabeta.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  13. Oi Lilian, já tinha lido outras resenhas do livro e em todas fiquei com a impressão que você esclarecereu aqui, ou melhor, também teve, de que o próprio Max fosse o clássico pornô que ele tanto amava.
    Bjs

    ResponderExcluir
  14. Então, este é um livro que infelizmente não faz muito o meu perfil.
    Mas mesmo sabendo que a história não irá me envolver, tão pouco se mostra interessante a mim, acredito que sei exatamente a quem indicar esta leitura.
    Foi bom ter lido sua resenha, sei que tenho uma amiga que vai AMAR a indicação!

    ResponderExcluir
  15. Confesso: essas tramas nunca ma atraem, sabe? Isso de escritor passando por um momento de crise e tal, rs. Já até imaginava que teria essa influência de Bukowski. Enfim, rs. Flores no Outono 

    ResponderExcluir
  16. Esse não é o gênero que me atrai e a história parece até ser boa, mas eu passo essa dica.
    Pois prefiro algo mais inspirador.
    Art of life and books

    ResponderExcluir
  17. Xiii,

    já cansei de ver resenha desse livro! kkkkkkkkkkkkkk
    Esse livro não faz o meu perfil, não consegui ficar interessado no livro, talvez seja uma pena, mas vou indicar para algumas amigas que ceramente vão gostar!

    ResponderExcluir
  18. Olá, tudo bem? Adoro esse duplo sentido que o livro traz. Já o vi em vários blogs, mas ainda não tive oportunidade de lê-lo.
    Beijos,
    http://diariasleituras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  19. Já vi várias resenhas sobre esse livro! kkk Parece ser beemm polêmico kk Não sei se teria coragem de ler kk

    ResponderExcluir
  20. Oie
    Realmente não consegui sentir interesse por esse livro, pois parece que ele é oposto das histórias que eu gosto.... kkkkk
    Como citou sobre os clichês hots e os personagens "toscos" que eu aprecio muito mais... rsrsr Acredito que é pura e simplesmente uma questão de gosto, né?
    Enfim, parabéns pela resenha, mas eu pulo a dica.
    Bjo

    ResponderExcluir
  21. Olá,
    Já vi algumas resenhas sobre a obra e confesso que a cada uma que leio sinto ainda mais vontade de conhecer a obra e conferir essa ruptura em relação ao conservador. A forma como aborda o prazer mundano sem pudor e isso trazendo um humor escrachado me faz mais intrigada pelo fato de não ter lido nada parecido.

    http://leitoradescontrolada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  22. Oie,
    Acho que todo mundo já leu esse livro menos eu. rsrs
    De inicio não me interessei muito. Já li outras resenhas e o livro não tinha me chamado a atenção. O que mais gostei foi você citar que ele foge dos clichês de livros Hot's por aí em que os personagens no fim acabam se apaixonando e "se libertando" de uma relação carnal. Isso me deixou interessada a ler o livro.
    Beijos
    Blog Relicário de Papel

    ResponderExcluir
  23. Tenho lido algumas resenhas desse livro mas definitivamente a sua é a mais impactante, principalmente porque parece que faz tipo um link com a essência do livro, como se fosse parte dele.
    Adorei, cada vez mais convencido do risco da leitura.

    ResponderExcluir
  24. Olá! Tenho visto várias resenhas sobre esse livro.
    Muito bom você compartilhar no blog. Ótima sua resenha.
    super bjoooooo

    ResponderExcluir
  25. Eu gosto desse estilo, mas prefiro quando tem a mocinha e o mocinho haha gosto de um romance.
    Mas eu leria. A resenha foi muito boa.

    Boutique de Clichês

    ResponderExcluir
  26. Oi, tudo bem?

    Vi algumas resenhas do livro, mas ele não é o meu tipo de literatura. Achei o personagem vazio. Mas acho legal que haja esse debate sobre conservadorismo x liberdade, acho bom que as pessoas entendam que não precisam censurar esse tipo de literatura, também porque tem público e a temática é bastante atual.

    Love, Nina.
    http://ninaeuma.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha, a palavra conservador e liberal está num nível de arquétipo, o personagem é o próprio arquétipo sombra, o que digo, é muito difícil trabalhar com essas características sem cair no clichê do cristianismo. A temática é antiga, além do própria Buk que trabalha com maestria, o Goethe é um outro autor que sabe bem se aprofundar no arquétipo sombra, tanto que no livro O Jogo das sombras, Fausto é muito citado. confesso que estou confusa quando você diz que a temática é atual, eu não entendi o comentário.

      Excluir
  27. Oie
    uau parece ser um livro bem interessante e diferente, gostei bastante do enredo e da dica, é uma leitura que me deixou curiosa, espero conseguir ler em breve e gostar muito pois estou procurando algo mais diferente mesmo

    beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  28. Olá,
    Apesar de ler livros hots, creio que este como você mencionou, não é romantizado. É só sexo mesmo né rs. E acho que seria uma leitura diferente, ao menos pra mim.

    http://euinsisto.com.br/

    ResponderExcluir
  29. Eu já tinha lido uma resenha da obra e não faz muito meu estilo. Mas como há obras desse título, há quem ame. Não só isso, Lilian parabéns pela sua resenha.
    Beijos

    ResponderExcluir
  30. Eu li resenha dessa obra, mas não curti tanto. O gênero em si não me entra. Sua opinião foi válida e sincera, mas não é o tipo de livro que leio. Prefiro Mulheres que não sabem chorar a esse livro. kk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi
      Olha, fico muito grata pela lembrança, mas são abordagens diferentes.

      Excluir
  31. Olá, já acompanhei várias resenhas dessa obra e mesmo não sendo meu estilo de leitura, quero ler.

    Abraços

    ResponderExcluir
  32. Olá.

    Já tinha visto esse livro em outros blogs. De inicio não tinha me interessado muito por ele, mas agora lendo sua resenha, fiquei com um pouquinho de vontade de conhecer. Vou anotar o nome, procurar e comprar. Vamos ver qual será minha opinião com relação a obra.

    ResponderExcluir
  33. Adorei a resenha, Lilian! É uma honra ser mencionado ao lado de Bukowski e Hilda Hilst! Feliz que entendeste a mensagem do livro! Valeu pela parceria! Abraço!
    PS: galera que quiser o livro ou o e-book, é só me procurar no Face! ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como diz a H.H. "fico besta quando me entendem". Concordo com ela, pois dá para entender que alguém saiu da Matrix.

      Excluir
  34. Ja li inumeras resenhas desse livro e a maioria foram ótimos feedebacks, eu adoro bukowski então qualquer coisa que seja parecido com a escrita do autor com certeza irá me agradar

    ResponderExcluir
  35. Ao contrário dos colegas, nunca tinha visto resenha desse livro, mas confesso que tampouco me interessei pelo mesmo.

    ResponderExcluir
  36. Olá!
    Não conhecia o livro e é a primeira vez que vejo rs'
    não me interessei pelo livro, mas que bom que gostou!

    Beijos!
    http://blogdatahis.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma

 

Fanpage

Seguidores

Compre aqui

Compre aqui
Livro Mulheres que não sabem chorar

Link Me

Curta também:

Parcerias

De olho

Arquivo do Blog

Direitos autorais

Google+ Followers

Autora dos livros O Céu é Logo Ali, Mulheres Que Não Sabem Chorar e Desconectada. Em seus livros ela aborda temas como sexualidade, liberdade, amor, preconceito, homossexualidade, violência sexual e alcoolismo. A escritora mantém um blog literário e está sempre bem informada sobre questões sociais que acontecem em nosso país. É defensora da tese de que todos são diferentes e merecem ser tratados com equidade. Ela adora escrever sobre temas que incomodam e diz não ter medo do preconceito. Trabalha no movimento social e acredita que a educação é capaz de trazer mudanças significativas ao país.

Siga-nos por e-mail

Copyright © 2015 • Poesia na alma