Solidões - Por Leonardo Nóbrega




13 fevereiro 2017


Uma única coisa é necessária: a solidão. A grande solidão interior. Ir dentro de si e não encontrar ninguém durante horas, é a isso que é preciso chegar. Estar só, como a criança está só”.    
(Rainer Maria Rilke)

Não quero falar da Solidão como uma análise acadêmica fria e impessoal. A Solidão de que quero tratar é aquela que acomete a todos os seres em algum momento da vida, ou, quem sabe, para alguns, em todos eles. A Solidão, ironicamente companheira, aquela última presença a fazer espelho e deixar que nos vejamos refletidos, duplicados de nós mesmos. Solidão amiga, conselheira e, mais das vezes, necessária. 


Parafraseando Paul Auster, a Literatura é, por excelência, a própria solidão personificada. Escrever é um ato solitário, bem como ler também o é, talvez por isso existam tantos personagens soturnos: o duplo de seu autor. Não existe maior solidão do que a do narrador por trás da história, ou seja, a solidão do próprio autor. Entretanto fica o paradoxo: quem escreve ou quem lê na verdade não está só, mas acompanhado pelos personagens e seus dramas e alegrias. Quem escreve é esCrizofrênico, conversa com os personagens e se emociona com suas crias; e quem lê, torce por eles, deseja que morram, sejam castigados ou que acabe o seu sofrimento.

As solidões na literatura são muitas e muito já se escreveu sobre elas. A solidão psíquica e emocional de Bentinho com sua suspeita sobre Capitu (Dom Casmurro – Machado de Assis), solidão que faz sofrer, é privativa e indivisível; a solidão opcional e produtiva de Zaratrusta (Assim Falou Zaratustra – Nietzsche) em sua montanha; a solidão forçada e necessária pela viuvez do policial Thomás (Crimes do Tarô – Leonardo Nóbrega) em seu apartamento após perder duas esposas, uma para a morte e outra para outro homem; ou as solidões em um primeiro momento depressivas, mas depois libertadoras de Olga e Marisa (Mulheres Que Não Sabem Chorar – Lilian Farias). São solidões diferentes, mas todas com um quê de tristeza, de melancolia, de introspecção. Porém, acredito que nem todas as solidões sejam ruins. Aliás, a diversidade do humano faz com que eu não possa dizer sequer que esses tipos de solidões, que escolhi como exemplo, sejam ruins, isso vai depender do tipo de neurose que acomete cada personagem da literatura ou cada ser na vida (dita) real. Mas, na dualidade popular, e não filosófica entre bom x ruim, talvez possamos separar as solidões.


A solidão é considerada por muitos como o mal do século XXI, paradoxalmente o século em que mais possibilidades de relações e interações se colocam à disposição de todos e de qualquer um. Estranhamente a conectividade tem se mostrado uma manufatura de produzir solidões virtuais, são rsrsrs, kkkk, hehehe, rerere e carinhas felizes que escondem buábúabúas, snifssnifssnifs, e carinhas depressivas de verdade na outra ponta da rede. Entretanto, não jogo pedras nas (des)solidões por trás das telas dos computadores e smartfones, ao contrário, as respeito. Às vezes, essa companhia virtual é a única de que alguém irá dispor, e é importante. É a cibersolidão.

Segundo os dicionários, solidão é definida como: “Estado de quem se acha ou se sente desacompanhado ou só; isolamento”. É uma definição simples e direta, mas, as palavras (sempre elas) são poderosas e a expressão “se acha” é, para mim, de força e significado incomensuráveis. Achar-se só não é saber-se só, que, por sua vez, não é estar efetivamente só. Achar-se só pode acontecer em meio a multidões, em uma festa, comício ou jogo de futebol. Achar-se só nada tem a ver com companhia, achar-se só transcende qualquer presença física de outrem e invade o âmago do ser, a intimidade e a psique.

As solidões, mesmos as necessárias e contemplativas, são dolorosas. Não pela solidão por si só, mas pelo que ela acarreta ao sujeito enquanto pessoa humana. Uma canção antiga interpretada pelo Moacir Franco dizia: “Não, não posso parar, se eu paro eu penso, se eu penso eu choro.” Se eu paro a solidão me alcança, se eu paro e fico só me deparo comigo mesmo, com a sociedade em que vivo, com meus fantasmas e questões insolúveis que atravessam o viver, e que cobram a conta da existência entre os viventes que me cercam, me cobram, me impõem normas e regras que eu não criei: sofro da violência simbólica da Psicologia/Sociologia.

"As solidões, mesmos as necessárias e contemplativas, são dolorosas."

Os existencialistas acreditam que ela, a solidão, é inerente ao ser humano: nós nascemos sós, atravessamos nossa vida como um ser destacado e morremos sós. Ao analisarmos a nossa existência encontramos vários momentos de solidões que atravessam todos os humanos, estejam onde estiverem. Seja a criança posta de castigo pelos pais para assim pensar no que fez de “errado”, o adolescente em suas famosas crises existenciais se achando o único sofredor do planeta com suas angústias e ansiedades “insuperáveis”, a consumação do amor improvável (se não impossível) entre um entre um hétero e uma lésbica ou uma hétero e um gay, idosos abandonados pelos filhos - órfãos de filhos vivos, ou os adultos em casamentos esgotados que insistem em morar juntos unindo suas solidões.

As solidões machucam, maltratam, mas podemos entender que elas nos dão a chance única de refletir sobre nós mesmos e a nossa relação com os outros. É da solidão do ser que brota a catarse, a libertação do que é estranho à essência do humano e que, por isso, o corrompe.
Abraços.
            Leonardo Nóbrega - Coluna escrita em um solitário domingo pela manhã.


91 comentários:

  1. Senhor, que texto é esse?
    Primeiro, fico grata pela lembrança na citação ao meu livro, depois, feliz por você compartilhar sabedorias aqui no Poesia na alma, dá aquele orgulho besta de encher o peito, sabe...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz pelo espaço que o Poesia me dá para colocar minhas letras e agradecido a você pelas lindas palavras, o ego quase não cabe mais no meu ser rsrs Bj

      Excluir
  2. Odeio me setir só,eu sei que podemos aproveitar esse momento para pensarmos em nós,mas é muito dificil.Passo muito tempo sozinha e isso me deu muitas inseguranças de me relacionar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Beatriz. Normal não gostar da solidão, mas, às vezes, é preciso a solidão para uma conversa conosco mesmos, para um encontro mais profundo com nossas questões mais íntimas. Abraço.

      Excluir
  3. Oi tudo bem! Leonardo seu texto é emocionante e me fez compreender outro estado de solidão, por muitas vezes estamos felizes, mas sempre a há algo que nos fará solitários seja ele na vida pessoal, profissional e isso é um estado que somente a gente pode definir.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Danielle. É isso mesmo, atravessamos várias solidões pela vida e todos os dias. Cabe a cada um aprender a administrar esses momentos. Abraço e obrigado por comentar.

      Excluir
  4. Oii
    Que texto maravilhoso. A solidão está comigo a cada segundo da minha vida, mas como o seu texto mesmo fala, é aquela solidão meio acompanhada. Acompanhada por alguns personagens que pra muitos não existem, mas que são amigos nossos, tão amigos que sofremos junto com eles, choramos suas lágrimas e compramos suas brigas.

    Amei de verdade. Parabéns.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Angelica. Entre os diversos bens que a literatura nos faz é que mesmo ficando sós nunca ficamos solitários. Abraço e obrigado pelo comentário.

      Excluir
  5. Achei mnuito interessante duas partes do texto "esCrizofrênico" que conversa com os personagens, excelente coloção e também o final do texto, no final da cotnas nascemos sozinhos, morremos sozinhos.. Eu sou uma pessoa silitária e ao contrário de muitos gosto da minha solidão e vejo o lado bom dela.
    Beijinhos, Helana ♥
    In The Sky, Blog / Facebook In The Sky

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Helana, seu comentário não apareceu, mas obrigado pela participação. Abraço.

      Excluir
  6. Você me fez refletir muito o que é solidão. Não gosto de estar só, mas me sentir só como você mostrou é bem diferente. Queria dizer que muitas vezes por crescer em uma família religiosa escuto meus pais dizendo "Deus estará sempre contigo" e por isso tento pensar que nunca estou só, isso me ajuda a superar um pouco o medo da solidão. Adorei seu texto, sua escrita é maravilhosa!
    Beijos.

    https://freetimenerd.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Patricia. Que bom que fiz alguma diferença, fico muito feliz quando consigo chegar ao coração das pessoas. Obrigado pela participação.

      Excluir
  7. Seu texto me fez lembrar do grande Zygmunt Bauman. Vivemos em uma época onde as pessoas não querem sentir, fogem e usam máscaras para esconder sua verdade. É tudo muito descartável, superficial.
    Só tenho uma coisa a dizer do seu post: O mundo precisa ler isso!!
    Parabéns!

    https://passageirodasletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Dayanne. Emocionado com essa comparação, sem palavras para responder à altura e quem me conhece sabe que ficar sem palavras não é comum rsrs. Obrigado pelo comentário e vamos fazer o mundo ler isso sim. Abraço.

      Excluir
  8. Ual! Que texto maravilhoso!
    Devo concordar com as coisas que diz. Eu gosto da solidão, até certo ponto, é como disse. É bom para refletir e tudo o mais, mas ao mesmo tempo pode ser doloroso. Pra mim, a melhor solidão é aquela que você escolhe, quando decide que é o momento. A pior, é quando está cercado de pessoas e você se sente só.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Mariana. A solidão opcional do Zaratrusta, aquela que chega no momento exato para nos socorrer. Precisamos aprender a conviver conosco mesmos, mesmo que isso machuque. Abraço e obrigado pelo comentário.

      Excluir
  9. Que texto maravilhoso. Me fez parar por alguns instantes e refletir sobre a minha própria solidão e sobre a questão de modo geral. A cyber-solidão é algo que tem me chamado bastante a atenção, porque é a nossa realidade. Cada vez mais nos aprisionamos ao isolamento, quando deixamos de ter contato próximo com as pessoas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ana Paula. A cybersolidão é a mais nova modalidade de se mascarar, mas, como eu disse não condeno os cybersolitários e até faço companhia para alguns, sei do sofrimento de muitos deles. Obrigado pelo comentário e abraços.

      Excluir
  10. Que texto incrível, impecável e que expressa muito bem a realidade de hoje em dia. A internet esconde muita coisa e, dentre elas, o verdadeiro estado de espírito de quem está navegando.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia, Beatriz. Pois é, o estado de espírito dos internautas mais das vezes não é o expressado nas suas postagens, mas ao interagir com eles nós, talvez, amenizemos suas solidões. Abraço e obrigado pelo comentário.

      Excluir
  11. [...] Estranhamente a conectividade tem se mostrado uma manufatura de produzir solidões virtuais, são rsrsrs, kkkk, hehehe, rerere e carinhas felizes que escondem buábúabúas, snifssnifssnifs [...] Ótimo texto, muito do que li nele retrata a sociedade que se preocupa com as aparências e esquecem de si mesmas.

    ResponderExcluir
  12. Olá!
    Estou apaixonada pelo seu texto. Muitas pessoas se sentem só, algumas de uma forma boa, outras de forma ruim. Tento sempre estar com pessoas que eu gosto perto de mim, do que adianta estar rodeada de muitas pessoas e sentir que não pertence à aquele lugar? Irei me sentir como se do mesmo jeito estivesse só!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ana Caroline. Fico muito feliz por você ter gostado e acho muito legal a sua preocupação em estar perto de quem ama, essa é uma estratégia valiosa para espantar a soidão ruim. Abraço e obrigado pelo comentário.

      Excluir
  13. Oi!
    Que texto incrível! Me fez pensar muito acerca da solidão e suas faces, como é ruim se sentir só mas que também há sempre um momento em que todos querem estar só, se é que isso faz sentido.
    Nunca ouvi o termo cybersolidão mas é impossível não conhecer seu significado ou mesmo vivê-lo vez ou outra.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Larissa. É estranho querer a solidão de vez em quando porque somos cobrados a interagir o tempo inteiro, entretanto eu, particularmente acho completamente normal e até produtivo. Abraço.

      Excluir
  14. Olá, como vai?
    Adoro esses textos que tocam fundo na alma da gente.
    Gosto da solidão em certo momentos, como se fosse uma meditação sabe?! Acredito que estar só nem sempre é ruim.
    Pra mim muitas vezes a a solidão é um estado de espírito, esta só com várias pessoas do lado, como se o anjo negro da solidão pousasse nas minhas costas.
    Eu amei seu texto.
    Parabéns.
    Beijo
    https://qadulta.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Poliana. "como se o anjo negro da solidão pousasse nas minhas costas". Frase perfeita sobre a sensação da solidão. Obrigado pelo comentário. Abraço.

      Excluir
  15. Que texto lindo, amei. Eu por muitas vezes me sinto sozinho, e sinto que a solidão é a minha única companheira da vida toda, eu não acho isso bom, mas também acho que algumas vezes a solidão é necessária para refletir.
    "As solidões, mesmos as necessárias e contemplativas, são dolorosas."
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Artur. A solidão é realmente dúbia, mas devemos aprender a lidar com ela da melhor forma. Abraço e obrigado por comentar.

      Excluir
  16. Que texto maravilhoso! Senti suas palavras tocarem em minha alma...
    Solidão sempre rende textos, poemas, músicas maravilhosas!
    Parabéns, você tem muito talento com as plavras ;)
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Diane.Obrigado pelos comentários e pelo elogio. Realmente o sofrimento é, paradoxalmente, mais produtivo que os momentos felizes. Abraços. Conheça meus livros Crimes do Tarô e Outros Tempos.

      Excluir
  17. O texto ficou perfeito!
    Eu mesma adoro solidão, mas ao mesmo tempo, não gosto de me sentir sozinha.
    Depende do momento em que me encontro. Na verdade, prefiro o meio termo.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia,Aline. Pois é, solidão e ser só são realmente estados de espírito. Abraços e Obrigado pelo comentário.

      Excluir
  18. Mano of the sky! Que texto incrível!
    Não tenho nem muito o que falar porque vc já disse tudo. Queria até escrever a fio aqui, mas não vem palavras de tão sem palavras que fiquei hahah

    Abraços
    bit.ly/DesconstruindoV

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Erick, bom dia. Ficar sem palavras é o primeiro passo para descobrir novas e importantes palavras. Obrigado pelo comentário. Abraços.

      Excluir
  19. Aliás, a pior solidão é aquela em que estamos rodeados de pessoas. Tem horas que eu preciso é gosto da solidão, são aqueles momentos que preciso me encontrar, resgatar a paz que perdi.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A solidão nas multidões é a pior de todas, a mais cruel e preocupante, mas precisamos aprender a lidar com todas as solidões. Abraço e obrigado pela participação.

      Excluir
  20. Olá, nossa ótima texto! Uma boa reflexão sobre a complexidade da solidão. Passei um período bem solitário uns anos atrás e via como isso incomodava as pessoas na minha rede social: elas não queria ler sobre isso,queriam apenas pessoas felizes, cheias de momentos alegres, coisa que eu não estava sentindo no momento e não iria expressar uma mentira. Há até um video sobre isso, me sentia ainda mais só quando recebia comentários negativos sobre minhas postagens... era a cibersolidão que o texto fala. Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gleyse, bom dia. É a emergência da felicidade, precisamos ser completos e felizes todo o tempo e ninguém aceita menos do outro. Porém, temos todo o direito de não aderir a isso e a manter nossa solidão. Abraço.

      Excluir
  21. Que texto maravilhoso, parabéns! Para mim, um mínimo de solidão é fundamental para a manutenção da saúde psicológica do indivíduo. Gostei muito da leitura, foi bastante inspiradora.

    Tatiana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pela participação. E concordo com você, a solidão em doses homeopáticas faz bem e alimenta a criatividade e a paz. Abraços.

      Excluir
  22. Olá Leonardo, tudo bem?

    Está de parabéns, achei o texto incrível, é uma bela reflexão sobre a solidão e sua complexidade. Eu apesar de ser rodeado de familiares, eu acabei me excluindo um pouco, me isolando e isso é algo que estou tentando mudar, mas não é fácil!
    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo elogio, Saga Literária. Todos passamos por isso, é preciso diminuir a distância das pessoas porque elas também sofrem com nossa ausência e a solidão que lhes impomos. Abraço.

      Excluir
  23. Olá Leonardo.

    Parabéns pelo texto, pois é bastante inspirador. Acho que é normal sentir solidão. Algumas pessoas gostam e até acham necessário para aprendizado ou para observar melhor ao seu redor. Cada um interpreta á sua maneira e algumas pessoas fazem de tudo para escapar dela fazendo coisas absurdas para não ficar só.

    Bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Kênia. É verdade, algumas pessoas fazem qualquer coisa para superar a solidão e com isso muitas vezes se ferem mais do que precisariam, mas até isso é uma maneira de lidar com a tal da solidão. Abraço e obrigado pelo comentário.

      Excluir
  24. Adorei o texto! Me emocionou muito, a solidão é algo que temos que aprender a lidar...
    Achei uma bela reflexão!
    Abs e parabéns

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde, Carla. Obrigado pelo comentário. Aprender a lidar com a solidão é uma das coisas mais difíceis que existem, porém necessárias. Abraço.

      Excluir
  25. Olá, tudo bem?
    Nossa que textão lindo!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Rayanni. Fico feliz que você tenha gostado. Obrigado por comentar. Abraço.

      Excluir
  26. Que tema mais ricamente abordado Leonardo! Acho, que querendo ou não, a solidão faz parte desse pacote chamado vida. Parabéns!

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá. Achei bem legal essa coisa do "a solidão faz parte desse pacote chamado vida", poético. Obrigado pelo comentário. Abraço.

      Excluir
  27. Olá!
    Acho que estou vivendo esse momento de solidão agora.. Estou em casa e desempregada, então passo bastante tempo sozinha.
    Mas também existe aquela solidão interna, que eu também vivencio. Que é quando parece que mesmo em um mar de gente ainda noa sentimos sós..

    Beijos

    ooutroladodaraposa.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá. Essa solidão forçada é bem difícil, entretanto tenho certeza que você é uma pessoa produtiva e que esse tempo sozinha não é tempo intelectualmente perdido. Abraços e obrigado por comentar.

      Excluir
  28. Mas minha gente... que texto, hein!?
    É muito interessante essa visão da solidão. Ou melhor, as várias visões. Sempre quando tocamos no assunto ou refletimos sobre, a grande maioria se refere à solidão em não estar com alguém, de estar desacompanhado de um parceiro(a). Quando, na verdade, a mais preocupante (e mais importante), sabemos, é a solidão interior, consciente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Livrai-nos da solidão. Desculpe a brincadeira. A solidão consciente e interior causa preocupação em especial às pessoas que nos amam e estão próximas, mas não entendem a importância dessa postura. Abraços.

      Excluir
  29. Oiee ^^
    Que texto incrível. Nunca tinha parado para pensar que pudessem existir vários tipos de solidão, e, lendo o seu texto, fui me lembrando de alguns livros e alguns personagens. Acho que, não fossem os momentos de solidão, nunca pararíamos para refletir sobre quem realmente somos, né? Claro, muitas são dolorosas, como você mencionou, mas acho que vale a pena, né? E não é como se pudéssemos fugir disso *-*
    MilkMilks ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dryh, boa tarde. Obrigado pelo elogio e pela gentileza do comentário. As solidões são realmente dúbias, por vezes cruéis, mas necessárias e até podem mesmo valer à pena. Abraço.

      Excluir
  30. A solidão às vezes é boa é necessária mas eu odeio, não gosto de ficar só, de não ter companhia, pra mim é torturante! Gosto de multidão, de gente por perto, de conversar, de estar junto kk texto incrível!

    MEMÓRIAS DE UMA LEITORA

    ResponderExcluir
  31. Olá!
    Ao iniciar o texto, não esperava ver as reflexões pertinentes de um psicanalista acerca dá solidão. Foi um grata surpresa.
    Acho interessantíssimo a diferença entre estar só é ser solitário. Minha vida inteira procurei encontrar esse equilíbrio, já que minha personalidade sempre me dragou ao recolhimento. Possivelmente, esse é o motivo de ser apaixonada por literatura.
    Obrigada pela ótima companhia.
    www.gatitaecia.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tatiana, boa tarde. Que legal que você ficou surpresa de forma boa, obrigado pelo seu comentário e acho que vou pensar sobre se, de repente, não sou apaixonado por escrever como uma maneira de "fugir" da solidão. Abraços.

      Excluir
  32. Hey, Leonardo!

    Caramba, que post lindo!

    "Entretanto fica o paradoxo: quem escreve ou quem lê na verdade não está só, mas acompanhado pelos personagens e seus dramas e alegrias."

    A vida é repleta de paradoxos, né? Mas acredito mesmo que a tão falada solidão seja o maior deles. Uns gostam de solidão, outros a temem. Alguns, mesmo rodeados de pessoas, se sentem sós; outros, ainda que sozinhos, não a conhecem.

    "As solidões, mesmos as necessárias e contemplativas, são dolorosas." Penso que são mais necessárias que dolorosas. E muitas vezes agradáveis. :)

    Nossa, esse post daria assunto para semanas! rsrs

    Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Sandra. Os paradoxos são sempre bem vindos né? rsrs Assim a vida fica mais complexa, mas também mais completa. Infelizmente não temos uma semana para conversar sobre isso, mas prometo que voltarei ao tema em uma nova oportunidade. Abraço e obrigado.

      Excluir
  33. Ahhhhh eu sempre vejo coisas incríveis relacionadas ao Leonardo e com toda certeza adoraria conhecer a escrita dele de seus livros, em relação a postagem de hoje fiquei encantada Lilian, você sempre me conquista.
    Beijinhos da Morgs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Morgana. Puxa! Emocionado com essa declaração. Muito obrigado pelas gentis palavras e espero que você realmente possa conhecer meus livros sem se decepcionar rsrs. Abraços.
      P.S.: Os dois livros (Outros Tempos e Crimes do Tarô) estão disponíveis na Amazon.com

      Excluir
  34. Que post lindo! Eu sou uma pessoa que necessito sempre de um pouco de solidão, para recarregar as energias, para refletir, mas uma coisa é a solidão que a gente procura, outra é a solidão imposta, que nos faz desamparados...Amei!

    www.livrosemretalhos.com.br

    ResponderExcluir
  35. Olááá
    que post lindo, gostei da citação sobre Dom casmurro, eu me envergonho de ainda não ter lido e tenho muita vontade pois parece um clássico e tanto, enfim, adorei o post, muito bom

    beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Catharina. Não se envergonhe, eu também só li Dom Casmurro há dois anos, confesso rsrs e vale muito à pena. Obrigado pelo comentário. Abraço.

      Excluir
  36. Uau!

    Tocou o ínfimo do meu ser.

    Nunca me deparei com palavras tão belas, singelas e, ao mesmo tempo, tão carregadas e abarrotadas de significados e sentimentos.

    Nunca refleti sobre o real significado da solidão!

    Virei fã! Obrigada por compartilhar conosco algo tão raro e precioso!

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Amanda. Minhas palavras ficam felizes e encabuladas pelas suas palavras. Muito obrigado. Abraços.

      Excluir
  37. Olá,
    "Mas que coisa mais triste" foi a primeira coisa que pensei, depois realmente percebi que tem que ser triste mesmo. Solidão é algo/estado triste. Amei o texto.

    http://euinsisto.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Debyh. A tristeza realmente está lá, mas ela é necessária para valorizar a felicidade que, se não é diária e perene, vai nos brindar por diversas vezes na vida. Abraços e obrigado por comentar.

      Excluir
  38. Leonardo, que texto incrível!
    Adorei sua maneira de escrever.
    Tive um grande aprendizado durante a leitura do seu texto.
    Concordo demais como a literatura está ligada com a literatura.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Déborah, bom dia. Obrigado por comentar e fico muito feliz que você tenha gostado. Abraço.

      Excluir
  39. Excelente texto amigo escritor. O tema tb tem sido refletido por mim ultimamente. Gostei mt das várias formas de como foi definida,a solidão. Precisamos desse contato íntimo conosco, só assim seremos uma boa companhia para o outro. 👏👏👏👏👏👏👏👏

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Socorro, bom dia. Legal lhe ver aqui. Obrigado por comentar e um elogio vindo de você tem um peso enorme. Abraços.

      Excluir
  40. Olá!

    Que texto, hein! Apesar de ler textos com a mesma temática do seu, nunca tinha parado pra pensar em como estamos sozinhos, mesmo estando na internet. Adorei suas palavras, parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Kamila. Realmente é um tema apaixonante e inesgotável. Obrigado por comentar. Abraço.

      Excluir
  41. Nossa, que texto profundo e maravilhoso. Já o salvei nos favoritos. Apesar do tema ser um tanto quanto pesado, você o abordou de forma leve e delicada o que me fez me apaixonar ainda mais por sua escrita. Leria todos os seus textos, com todo prazer.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Joyce, bom dia. Puxa! Fiquei emocionado em saber que você já conhecia outros textos meus, que legal. Obrigado por comentar e a responsabilidade para os próximos fica ainda maior, espero corresponder. Abraço.

      Excluir
  42. Olá Leonardo.
    Que lindo texto, reflexivo.
    Ironicamente e paradoxalmente, a solidão é a maior companheira que temos, daquela persistente de que mesmo entre tantas pessoas ou em grupo, ela se faz presente. Eu particularmente, gosto dela, é muitas vezes através da companhia da solidão que posso ter a companhia de mim mesma. Em contrapartida, por vezes é dolorosa e por isso é bom quando se encontra alguém com quem possa partilhar essa solidão e estar junto mesmo que em silêncio.
    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Nati. Que bom que você gostou, é muito legal quando percebemos que tocamos as pessoas, mesmo que a distância. Obrigado por comentar. Abraços.

      Excluir
  43. Olá!
    Esse texto ficou simplesmente maravilhoso! Adorei essa abordagem da solidão que você tomou, de fato me deixou pensando bastante sobre ela. Parabéns!
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Carolina. Obrigado pelos elogios, fico feliz que tenha gostado. Abraços.

      Excluir
  44. Olá Leonardo!
    Que texto mais lindo. A princípio parece que estamos lendo ou escrevendo sozinhos, mas sempre estamos rodeados de personagens incríveis e conhecendo mundos diferentes. Quando voltamos para realidade sabemos que não conseguimos compartilhar esse mundo com todos e isso nos passa certa solidão, mas não é uma coisa negativa. Amo ler no meu cantinho, pois com um livro nunca me sinto só.
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  45. Oi, Suelen. Acho que é isso mesmo, nos livros estamos sempre acompanhados, rodeados de personagens, mas na vida real também, cabe a nós decidir quais "personagens" da vida real autorizamos a fazer parte da nossa solidão. Abraço e obrigado por comentar.

    ResponderExcluir
  46. Oii, tudo bem?
    Eu amei esse texto, e do meu ponto de vista a solidão as vezes é ruim e te deixa pra baixo, mas em outras vezes ela é libertadora. Depende muito de pessoa pra pessoa e de momento pra momento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Giovana. Que bom que você gostou. E como está sua solidão hoje? Pra baixo ou libertadora? Obrigado por comentar. Abraço.

      Excluir
  47. Olá...adorei a postagem. Confesso que sou daquelas que não vêem a solidão como um problema. Todos precisamos de um tempo só para nós...assim é possív refletir sobre nossas ações, nos organizar e fazer algo que gostamos. Temos que ter nosso espaço.

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Raquel. Somos dois, a solidão nos facilita na reconstrução diária e nos dá, por incrível que pareça, energia para prosseguir. Abraços.

      Excluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma

 

SKOOB

Arquivo do Blog

Direitos autorais

Copyright © 2015 • Poesia na alma