Resenha – Parem de falar mal da rotina




15 março 2017



Parem de falar mal da rotina, de Elisa Lucinda, Lua de Papel, 200 páginas, publicado em 2010, é a versão da peça teatral de mesmo nome. Elisa Lucinda recebeu, em 2002, um convite de Amir Hadad, que dirigia o Teatro Carlos Gomes, pensando num texto para uma plateia de horário alternativo. A referência para tal, veio do obvio, a rotina, porém, o obvio transformado em arte.

Mas isso é só uma gota, um pingo no mar do cotidiano. O mundo é muito animado, e eu vou perder? Não vou perder mesmo! Muita coisa cabe dentro de um pequeno momento e muitos enredos e desfechos no grande palco da vida acontecem a cada espaço dentro do tempo. É só a gente se entregar à estreia daquela fração de tempo e seus fatos. Tudo é fato. Tudo ebule, tudo pulsa calado e é o processo. Até paisagem. Com palavras, tento tirar foto do fato.

Ela tira o peso maçante de uma rotina rígida e humaniza com leveza e bom humor. E a receita é tão simples quanto respirar, interagir com o ambiente que nos cerca. Viver a rotina passa a ser um ato transgressor.

Palavra também serve para tirar fotografia do momento.”

Ela não se refere a rotina das máquinas, mas a rotina da vida. Todo dia gente morre, gente nasce. Todo dia flor morre, flor nasce. Todo dia o vento sopra. E todo dia tudo é poesia...

O certo é que venho me especializando no ofício e quanto mais a vida passa, mais me interessa o mundo.”

Não há rebuscamento das palavras, tão pouco das ideias. Mas a propriedade e maneira simples de dizer dá ilustração ao dia a dia que, de mecanizado, em detrimento da sociedade líquida, torna-se humanizado.

Enquanto oferecemos nossa bajulação aos poderosos, enquanto a humanidade sopra os ciscos dos ternos da elite que manda e paga, aos invisíveis anônimos essa mesma humanidade oferece o desprezo.”

Elisa propõe o exercício de olhar para pessoas, ouvir pessoas, independentemente de cor, classe social, sexo. Ajudar pessoas, talvez. É amor. É festa. É atenção. Calmaria. É natureza. Ela sugere que devemos ‘rotinizar’ nossa atenção ao mundo, mas o mundo-natureza, o mundo organismo vivo. E nós, seres humanos, não estamos no topo da cadeia alimentar, nós somos parte de um sistema muito maior que nós, que nosso ego, que nossa gana por pseudo poder.

A CONTA DO SONHO

Quanto custa um sonho?
Alguma coisa ele sempre custa,
muitas vezes coisas ele custa,
outras vezes outros sonhos ele custa.
Não importam os percalços, os sacrifícios,
os espinhosos enredos.
Não importa,
uma vez vivido,
o sonho está sempre num ótimo preço!


Somos uma teia.  E Elisa Lucinda diz isso intercalando o texto com muita poesia. Infelizmente, não tive o privilégio de assistir à peça, mas esse é um livro que leio ao menos uma vez por ano, assim, recordo o quando a rotina da Vida pode ser poesia.

34 comentários:

  1. Oii. Encontro calma na rotina. E se aprendermos a ver a poesia escondida no cotidiano, nos abrigaremos ainda mais na paz do que é corriqueiro. Claro que não podemos dispensar certa energia à novas experiências, mas, enquanto vermos beleza no que é comum estaremos mais plenamente satisfeitos com a vida.
    Não vi a peça é não conhecia o livro, mas me interessou muitíssimo.
    Obrigada por apresentá-lo.
    Bjsss
    Luana
    www.umasegundaopiniao.com

    ResponderExcluir
  2. Oie! Gostei muito de saber que tem um livro que aborda a rotina. É o que vivemos o tempo todo né, e pra alguns pode parecer chato, mas, confesso que gosto da rotina rs. Tento aproveitar o máximo dos momentos simples, de cada minuto do dia. Fiquei muito interessada no livro e vou adicionar na minha lista de desejados. Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Além disso, é um livro divertido, eu sempre dou risadas ^^

      Excluir
    2. Além disso, é um livro divertido, eu sempre dou risadas ^^

      Excluir
  3. OOoi Adorei saber que além de abordar o nosso cotidiano, me pareceu um livro super divertido!procuro aproveitar cada segundinho da vida!
    beijos

    ResponderExcluir
  4. Olá; eu já li alguns textos da Elisa Lucinda, mas ainda não conhecia esse livro baseado na peça. É uma leitura que eu faria, especialmente por trazer uma outra forma de lidar com a rotina como temática.

    ResponderExcluir
  5. Não conhecia o livro. Adorei a resenha, gosto de livros que falando do cotidiano e fiquei super interessada em ler.

    Bjos.https://fonteliterarias.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Se eu não tivesse livro a sua resenha não teria me interessado pelo livro. Gostei da dica e de saber que é a versão para a peça teatral, que eu também não conhecia.

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Adorei conhecer sobre este livro. Temos que nos adaptar sempre a nossa rotina e amar sempre todos os momentos da nossa vida, pois eles são únicos e tudo faz parte.
    Um beijo e muito obrigada pela dica maravilhosa e com certeza terei o maior prazer em lê-lo.

    ResponderExcluir
  8. Que livro encantador Lilian, fiquei feliz de encontrar logo de primeira a resenha em seu blog, sempre trazendo ótimas indicações para nós.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  9. Já li esse livro emprestado de uma amiga e gostei bastante, nunca tinha lido nada além do que é convencional para mim que são os romances. Adorei suas resenha sobre ele.

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    Que livro diferente! Não tenho costume de ler poesia, o que é uma pena, já que tenho certeza que vai ao encontro da proposta desse livro: o de olhar o mesmo com outros olhos.
    Beijos!
    Gatita&Cia.

    ResponderExcluir
  11. Olá!
    Não conhecia esse livro, mas gostei do tom que a autora deu associado a sua resenha ficaram ótimas e reflexivas. A rotina me cansa, mas ao mesmo tempo não vivemos sem ela. Estamos tão habituados a falar sobre a rotina e nossa falta de tempo para as coisas que as vezes deixamos passar tantas coisas belas dentro do nosso próprio dia a dia.
    Adorei a dica!
    Beijos!

    Camila de Moraes.

    ResponderExcluir
  12. O exercício de olhar as pessoas, com este vício em tecnologias que andamos vendo, como este simples gesto está ficando difícil...
    Bjs

    ResponderExcluir
  13. Olá, não conhecia a autora, adorei sobre a temática basear-se na rotina. É um tema pouco abordado e que tem muito a se dizer. Beijos!!

    ResponderExcluir
  14. Oi. Não sabia da peça,mas fiquei muito interessada pelo livro. Tenho bastante dificuldade em me adaptar à rotina, então preciso dele pra ontem rsrs
    Na verdade, acredito que todos deveriam seguir os exemplos dele, pois parece que ele ensina, ou pelo menos procura ensinar a ver o mundo de modo leve.
    Quero ler assim que possível.
    Beijos :*

    ResponderExcluir
  15. Olá, tudo bem?
    Não conhecia o livro e somente há pouco tempo descobri que a Elisa também escreve.
    Se visse esse livro em qualquer outro lugar, acho que não me interessaria muito, mas sua resenha cheia de paixão abriu meus olhos.
    Parece um livro bem reflexivo :)

    ourbravenewblog.weebly.com

    ResponderExcluir
  16. Não conhecia mesmo! Parece fazer refletir com humor. Eu não gosto de rotina mas não sei viver sem ela. É confortável rs preciso então ler este livro pra me tirar dessa zona.

    ResponderExcluir
  17. deve ser uma leitura maravilhosa... quando tiver por ai vou dar uma lida nele :D
    só pelas quotes percebo que vou me agradar da poética da escrita de Lucinda...

    ResponderExcluir
  18. Olá! Parece ser um livro bem encantador. Gostei do poema, achei lindo demais. Legal as reflexões que ela nos mostra, beijos!

    ResponderExcluir
  19. Eu não conhecia o trabalho e achei encantador através da sua resenha. <3

    ResponderExcluir
  20. Oi!
    Gostei muito da sua resenha, não conhecia o livro. Porém, não sei se leria, apesar de ter gostado bastante, passo a dica dessa vez :)

    Bjs!

    ResponderExcluir
  21. Olá!

    Conheço a Elisa, mas não conhecia nem a peça nem o filme. Estou encantada com a premissa. Espero que eu leia, porque rotina também merece um pouco de romance...

    ResponderExcluir
  22. Olá Lilian, tudo bem?
    Gostei da sua resenha, eu particularmente não conhecia a obra. Gostei da sua dica, anotada e espero ler em breve essa obra da Lucinda que parece ser encantadora. Deve ser uma leitura maravilhosa!
    Bjuss

    ResponderExcluir
  23. Olá, tudo bem?
    Adorei a sua resenha, esse livro é uma ótima dica de leitura, os quotes me deixaram apaixonada!
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  24. Olá! Gostei bastante da proposta da obra e de como a repetição dos eventos cotidianos são vistos por outros ângulo. Vale a pena a leitura e a análise do tema. Ótima sua resenha, muito bom você compartilhar, bjooooo

    ResponderExcluir
  25. Olá, Lilian.
    A Elisa Lucinda é uma pessoa que eu conheci primeiro por seu trabalho como atriz e só agora estou tomando contato com esse lado escritora dela.
    Fiquei interessada por esse livro, nem tanto pelo tema, muito porque foi ela que escreveu. Sem contar que essa capa é muito linda!
    Abraços.

    ResponderExcluir
  26. Oie tudo bem? Eu não tinha conhecimento do livro ainda e fiquei encantada, parece ótimo e bem poético, né?

    ResponderExcluir
  27. Olá!
    Conheço a Elisa Lucinda, mas não conhecia o espetáculo nem o livro. E que inspirador!
    Esse texto, "A conta do sonho" é complementarmente simples e extraordinário.
    E é isso mesmo: encontramos a beleza nas pequenas coisas.
    Lindo!

    ResponderExcluir
  28. Olá!
    Ainda não conheço a autora e nem o livro, mas achei bem interessante esse tema de tratar da nossa rotina com bom humor. Adorei a sua resenha, ótima dica.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  29. Tu sempre traz ótimas indicações e esse é um livro da Elisa que eu estava querendo faz muito tempo. Tanto pelo conteúdo quanto pelas temáticas inspiradoras. Ainda mais porque sou apaixonada por duas coisas que vc citou: teatro e poesia.

    ResponderExcluir
  30. Oie
    que legal parece ser o livro para amantes desse gênero, gostei da resenha e dos pontos que você destacou, parece ser bem interessante para quem procura se engajar em leituras mais assim

    beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  31. Olá!
    Já tinha visto esse livro antes, mas não tinha lido nada sobre e gostei de saber mais!
    Rotina é tão cansativo e sempre colocamos a culpa na coitada rs' quero conferir pois parece ser bem leve!

    Beijos!
    blogdatahisblogspot.com.br

    ResponderExcluir
  32. Oi, Lilian ^^
    Desconhecia o livro e a peça mas fico muito feliz em saber do que se trata o enredo.
    Com essa vida corrida o ser humano esqueceu e largou o cuidado para com a natureza, só sabe explorará modificando o nosso verde natural. Mal eles sabem que a natureza grita para ser cuidado/preservada.
    Hoje não estou podendo criar essa rotina para uma criação verde até porque o ambiente onde me encontro não tem por perto mas espero conseguir seja através de uma criança de planta ou flor.
    A galera tem que parar para refletir e ver que rotinas não são ruins, são sistemas para nos encontrarmos.
    Parabéns pela resenha da obra e continue relendo. Sempre. ^^
    Bjs

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma

 

SKOOB

Arquivo do Blog

Direitos autorais

Copyright © 2015 • Poesia na alma