Uma lista para empoderar




13 março 2017



Pensar no dia internacional da mulher é me sentir incomodada e fazer incômodo. Haja vista o contexto histórico da data que nasce da morte. Morte essa que impeliu alguns direitos que temos hoje. No entanto, esses direitos não são nada diante dos fatos: ‘A cada 11 minutos, uma mulher é estuprada no Brasil; A cada 5 minutos uma mulher é agredida no Brasil; Uma mulher é morta a cada 2 horas no Brasil’. ‘Feminicídio subiu 75% nas regiões Norte e Nordeste entre 2003 e 2013, revela Banco Mundial’. ‘Mulheres negras e indígenas são as maiores vítimas’.

Ter consciência do contexto em que estamos inseridas é o primeiro passo para romper com essa estrutura arcaica. Ter consciência é o primeiro ato de empoderamento.

“Só é possível pensar com profundidade sobre o que se sabe, por isso se deve aprender algo; mas também só se sabe aquilo sobre o que se pensou com profundidade.” (Schopenhauer)

Pensando nisso, preparamos uma lista de livros que são mais que informativo, são para empoderar. Vale ressaltar que esta é apenas uma pequena lista, durante no ano, indicaremos mais livros... 

MONÓLOGO DAS VAGINAS

É um livro profundamente inovador e que dá voz a um coro de histórias extravagantes, comoventes, luxuriosas e integramente humanas. Segundo Eve Ensler, sua preocupação com a questão da vagina e com o que as mulheres pensam a respeito dela foi o mote para realização de entrevistas com 200 mulheres de diferentes idades, profissões e nacionalidades. Ela descobriu que o assunto continua sendo encarado como um verdadeiro tabu pela maioria das mulheres. Após a leitura deste livro, jamais tornaremos a ver o corpo feminino com os mesmos olhos.


FEMINICÍDIO
Uma análise sociojurídica da violência contra a mulher no Brasil


Lendo este livro, garante a autora, Eve Ensler, ativista e dramaturga premiada, jamais tornaremos a ver o corpo feminino com os mesmos olhos. A peça foi produzida no Brasil sob a direção de Miguel Falabella. Duzentas mulheres falam da anatomia feminina.
Em todos os lugares do mundo, todos os dias, mulheres são vítimas de assassinatos pelo simples fato de serem mulheres. E aqui chegamos ao objeto de estudo desta obra: a análise da problemática do feminicídio, com ênfase no caso brasileiro. Ela é escrita por uma juíza que se confrontou com essa forma de violência não por meio, inicialmente, da leitura de livros ou devido a participação em pesquisas que é a forma como costumamos nos aproximar de uma temática no meio acadêmico, mas sim pelo seu árduo e muitas vezes frustrante trabalho de magistrada, que se depara com mulheres vitimizadas por essa violência. A autora escutou seus relatos, muitas vezes pensou e decidiu por elas. E essa experiência a fez confrontar-se com aquilo que as diversas teorias feministas do direito denominam de invisibilidade da violência e de negação de direitos, que ocorre por força da atuação de uma série de mecanismos complexos de tutela de valores machistas, que marcam o desenvolvimento de nossas sociedades patriarcais. O nosso sistema de justiça não se subtrai a essa realidade, ao contrário, é local de produção e reprodução da discriminação da mulher, conforme é comprovado pela extensa literatura especializada.


MULHERES QUE CORREM COM OS LOBOS
Mitos e histórias do arquétipo da mulher selvagem





Sensações de vazio, fadiga, medo, depressão, fragilidade, bloqueio e falta de criatividade são sintomas cada vez mais frequentes entre as mulheres modernas, assoberbadas com o acúmulo de funções na família e na vida profissional. Esse problema, no entanto, não é recente, acredita a psicóloga junguiana Clarissa Pinkola Estés. Ele veio junto com o desenvolvimento de uma cultura que transformou a mulher numa espécie de animal doméstico. Através da interpretação de 19 lendas e histórias antigas, entre elas as de Barba-Azul, Patinho Feio, Sapatinhos Vermelhos e La Llorona, a autora identifica o arquétipo da Mulher Selvagem ou a essência da alma feminina, sua psique instintiva mais profunda. E propõe o resgate desse passado longínquo, como forma de atingir a verdadeira libertação. Técnicas da psicologia junguiana e algumas formas de expressão artísticas ligadas ao corpo podem ajudar na tarefa, mas a compreensão da natureza dessa mulher selvagem, com todas as características de uma loba, é uma prática para ser exercida ao longo de toda a vida.


A CIRANDA DAS MULHERES SÁBIAS


Autora do clássico "Mulheres que Correm com os Lobos", a psicanalista e poetisa premiada Clarissa Pinkola Estés faz em seu novo livro uma profunda e comovente homenagem à maturidade feminina, reverenciando as matriarcas, e a força dessas mulheres que souberam acumular sabedoria no decorrer de suas vidas. Em linguagem rica em metáforas, semelhante às antigas histórias contadas de mães para filhas e netas, a obra apresenta os encantos deste "arquétipo misterioso e irresistível da mulher sábia, do qual a avó é uma representação simbólica".
Sob um filtro especial, misto de psicanálise e coração, Clarissa caminha pela representação contida desde as avós da mitologia e dos contos de fada àquelas anônimas, para chegar às avós de suas tradições familiares. Ao final, as nove preces de gratidão por todas as mulheres mais maduras e as que virão a ser, arremate perfeito ao prazer da leitura destas 120 páginas, um sabor doce de saudade e nostalgia dos cafunés múltiplos - carinhos, histórias e conselhos - que só as avós sabem dar.

O SEGUNDO SEXO


O segundo sexo foi publicado originalmente em 1949 e consagrou Simone de Beauvoir na filosofia mundial. A obra, no entanto, não ficou datada e tornou-se atemporal e definitiva. Este boxe traz a divisão original em dois volumes. No primeiro volume, a autora aborda os fatos e os mitos da condição da mulher numa reflexão fascinante. Já no segundo, Simone de Beauvoir analisa a condição da mulher em todas as suas dimensões: sexual, psicológica, social e política. Uma obra fundamental, que inaugurou um novo modelo de pensamento sobre a mulher na sociedade.

PELAS MULHERES INDÍGENAS
Índios na Visão dos Índios


Este livro é um convite a todas as mulheres para pensarem sobre o sentido de ser mulher em uma sociedade patriarcal. É um livro para todas nós e todos nós sentirmos sobre a importância de termos um mundo onde as mulheres sejam respeitadas e reconhecidas em seu valor, sua singularidade e sua força. É um livro feito pelas mulheres indígenas, contando as histórias de seus povos e de muitas delas. Esperamos que ele semeie uma nova esperança dentro do coração de todas as mulheres indígenas. A esperança por um mundo justo, harmonioso e amoroso. Um mundo onde os direitos das mulheres indígenas sejam respeitados e em que elas possam realizar seus sonhos, viver com liberdade e dignidade. O livro é um dos resultados do projeto Pelas Mulheres Indígenas, idealizado pela ONG Thydêwá, contando com a parceria da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República e Secretaria de Políticas para as Mulheres da Bahia, para juntos cuidarem de um processo de 18 meses de fortalecimento das mulheres indígenas, com cinco encontros presenciais e aprendizado a distância. O projeto visa a conscientização sobre os direitos das mulheres e empoderamento das mulheres indígenas. Neste título se encontram dois tipos de conteúdos: nas páginas brancas com fotos coloridas, estão relatos e histórias de vida inspiradoras; nas páginas rosas com desenho, está a Cartilha contra Violência, que tem a finalidade de alertar para o problema da violência conjugal e fornecer informações para apoiar mulheres que estão em situação de violência.

SEJAMOS TODOS FEMINISTAS


Chimamanda Ngozi Adichie ainda se lembra exatamente do dia em que a chamaram de feminista pela primeira vez. Foi durante uma discussão com seu amigo de infância Okoloma. “Não era um elogio. Percebi pelo tom da voz dele; era como se dissesse: ‘Você apoia o terrorismo!’”. Apesar do tom de desaprovação de Okoloma, Adichie abraçou o termo e começou a se intitular uma “feminista feliz e africana que não odeia homens, e que gosta de usar batom e salto alto para si mesma, e não para oshomens”. Sejamos todos feministas é uma adaptação do discurso feito pela autora no TEDx Euston, que conta com mais de 1,5 milhão de visualizações e foi musicado por Beyoncé. 

GÊNERO
Uma Perspectiva Global


Como podemos compreender o gênero no mundo contemporâneo? Que diferenças psicológicas existem hoje entre mulheres e homens? Como as masculinidades e feminilidades são produzidas? E qual a relação entre as questões de gênero e preocupações globalizadas como a mudança ambiental e a reestruturação econômica?Raewyn Connell, uma das acadêmicas mais importantes do mundo nesse campo, aqui se junta com Rebecca Pearse para responder essas e outras questões. O livro oferece uma introdução acessível aos estudos modernos de gênero, cobrindo pesquisas empíricas de todas as partes do mundo, além de teoria e política. Assim como introduz o campo, as autoras fornecem um poderoso arcabouço contemporâneo para a análise do tema, com atenção especial forte às questões globais, destacando o caráter multidimensional das relações, as pontes entre a vidapessoal a estruturas organizacionais de larga escala, e apontam como as políticas de gênero se transformam em situações de mudança. Gênero é uma produção acadêmica engajada que se move da experiência pessoal em direção a problemas globais, oferecendo uma perspectiva única sobre as questões de gênero da atualidade.

GÊNERO, PATRIARCADO, VIOLÊNCIA



Gênero, patriarcado, violência analisa este problema social, utilizando o conceito de patriarcado como elemento central para esclarecer o debate e abrir novas perspectivas de entendimento da questão. Heleieth Saffioti, uma das mais respeitadas estudiosas do assunto, nos proporciona um olhar instigante sobre a violência contra mulheres, mostrando como ela espelha também a opressão masculina. Este livro faz parte da Coleção Brasil Urgente.


 MULHERES, RAÇA E CLASSE




O livro Mulheres, raça e classe, da intelectual e feminista estadunidense Angela Davis, amolda-se, com precisão cirúrgica, a essa definição. Publicado em 1981, logo se converteu em referência obrigatória para se pensar a dinâmica da exclusão capitalista, tomando como nexo prioritário o racismo e o sexismo. Ordena-se sobre um arco de temas inescapável para compreendermos o modo de funcionamento das sociedades marcadas pela tragédia da escravidão moderna (o papel da mulher negra no trabalho escravo; classe e raça na campanha pelos direitos civis das mulheres; racismo no movimento sufragista; educação e libertação na perspectiva das mulheres negras; sufrágio feminino na virada do século; estupro e racismo; controle de natalidade e direitos reprodutivos; obsolescência das tarefas domésticas).
A perspectiva adotada por Davis realça o mérito do livro: desloca olhares viciados sobre o tema em tela e atribui centralidade ao papel das mulheres negras na luta contra as explorações que se perpetuam no presente, reelaborando-se. O reexame operado pela escrita dessa ativista mundialmente conhecida é indispensável para a compreensão da realidade do nosso país, pois reforça a práxis do feminismo negro brasileiro, segundo o qual a inobservância do lugar das mulheres negras nas ideias e projetos que pensaram e pensam o Brasil vem adiando diagnósticos mais precisos sobre desigualdade, discriminação, pobreza, entre outras variáveis. Grande parte da nossa tradição teórica e política (Gilberto Freyre e Sérgio Buarque de Holanda, para ficarmos em poucos exemplos) insiste em confinar as questões aqui tratadas por Davis na esfera privada, como se apenas desta proviesse sua solução.
A iniciativa da Boitempo de traduzir esta obra, ainda não publicada no Brasil, desponta como uma inestimável contribuição para disseminar as ideias imprescindíveis de Angela Davis (sabemos o quanto ela vem sendo estudada e difundida pelo feminismo negro e por setores da academia) e oferecer, assim, angulações e perspectivas pouco ou nada exploradas pelos empreendimentos voltados à compreensão da nossa intrincada realidade. Como aconselha Bobbio, para não sermos induzidos a crer que a história, a cada ciclo, recomeça do zero, é preciso ter paciência e saber escutar as lições dos clássicos. Em tempos sombrios, esse conselho soa como urgência política.

40 comentários:

  1. Dos citados só li Sejamos todos feministas, e é uma leitura extremamente esclarecedora e necessária. Preciso procurar os outros indicados 😉
    Bjsss
    Luana - www.umasegundaopiniao.com

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Gostei muito do seu post e da lista que você citou só conheço Os monólogos da vagina e fique muito interessada em ler Feminicídio. Obrigada pelas dicas maravilhosa e parabéns pelo lindo blog.
    Beijos.
    Cássia Pires

    ResponderExcluir
  3. Olá ^^
    Que post necessária e super informativo!
    Deveria ser evidente para todos que só podemos opinar sobre um assunto complexo quando estudamos pois corremos o grave risco de generalizar e isso é completamente equivocado.
    Pessoas aprendendo sobre o feminicídio e combatendo o machismo é necessário e precisa de muita discussão e matérias abordando estudos e análises.
    Muito obrigado pelo post e vivam contra a violência feminina e em geral. Sempre!
    Abraços.

    ResponderExcluir
  4. Olá ! adorei as dicas. Eu já conhecia alguns superficialmente. E amei A CIRANDA DAS MULHERES SÁBIAS. Este eu não conhecia e quero muito ler. bjs

    Bia

    http://entrepaginasemuitashistorias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Eu nunca li MONÓLOGO DAS VAGINAS mas eu assisti a peça e quando descobri que tinha o livro fiquei louca! é uma das minhas leituras obrigatórias para esse ano.

    ResponderExcluir
  6. Que post maravilhoso! O empoderamento feminino é uma questão muito importante e que deve sempre ser debatida. Adorei o post! Beijos, Carol!
    www.brincandodeolivia.com

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Não conhecia a maioria dessas super dicas.
    É um bom tema pra ser abordado e acho que alguns serve de leitura obrigatória não apenas para nós mulheres, mas para homens também.
    Beijos!

    Camila de Moraes.

    ResponderExcluir
  8. Olá! A maioria desses livros não conhecia, mas um que já está na minha lista de leitura faz tempo é o Sejamos todos feministas.Beijos'

    ResponderExcluir
  9. Olá,
    Achei interessante a sua lista e com temas fortes.
    Não conhecia nada do que foi indicado e vou procurar mais a respeito dos que me interessaram.
    Beijos
    Sorteio do Livro Louco por Você

    ResponderExcluir
  10. Olá,
    O Empoderamento feminino é um tema tão importante que é passado despercebido na nossa sociedade! Confesso que não conhecia essas obras! Já quero ler os livros da Chimamanda!
    Beijos.
    Meu Livro Fantástico | Facebook

    ResponderExcluir
  11. Olá! Adorei ler este post e a lista de livros selecionados eu estou com quase 50 anos e nunca tinha parado pra pensar profundamente na palavra feminismo e tenho aprendido muito com minha filha (28 anos).
    Os Monólogos da vagina me chamou a atenção pq assisti uma peça do Falabella com este nome, a primeira versão com Zezé Polessa e Claudia Rodrigues. Vou procurar este para ler!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida, obrigada por teu comentário, adoraria ver uma postagem em seu blog falando sobre seu processo com o feminismo e sua filha. Parabéns por essa relação mãe e filha <3

      Excluir
  12. Olá tudo bem?
    Adorei o post relacionado as mulheres e fiquei com muita vontade de ler Monólogo das Vaginas, achei o título hilário e a premissa parece ser bem interessante.
    Feliz dia das mulheres super atrasado ♥

    ResponderExcluir
  13. Lilian, concordo com você por ser um dia que incomoda e é muito bom para incomodar.
    Afinal, como você mesmo disse ele surgiu da morte.
    Ainda não li nenhuma das indicações, mas já anotei algumas sugestões.

    ResponderExcluir
  14. Que post incrível!

    Já havia ouvido falar de alguns dos livros citados, mas nunca cheguei a ler, seu post me fez ter muito mais interesse por isso, obrigada.
    http://fonteliterarias.blogspot.com.br/

    Sucesso.

    ResponderExcluir
  15. Meu Deus, estou salvando essa lista para já!!!!!!
    Li tantas notícias ruins nesses últimos dias envolvendo mulheres que chegam a dar nó no estômago...
    Os livros pareceram interessantes demais!! Vou procurar alguns sim e saber mais sobre os assuntos.

    ResponderExcluir
  16. Olá!
    Nossa, quantos livros eu não conhecia! Desta lista apenas "MONÓLOGO DAS VAGINAS" que ouvi falar.
    Ótimo posta pra ser apresentado na semana da Mulher.
    Abs
    Ni
    Cia do Leitor

    ResponderExcluir
  17. Olá,
    Conheço alguns dos títulos que foram citados, mas acredita que ainda não li nenhum deles?! Pois é, uma vergonha.
    Alguns deles estão na minha lista de leituras e adicionei outros para tentar fazer a leitura ainda esse ano, como Monólogo das vaginas.
    Achei bem interessante as informações que você nos apresentou logo no início com estatísticas e isso choca muito. Uma pena que isso está longe de terminar com a sociedade machista que vivemos. Mas ainda há esperanças de um mundo melhor para todos nós.

    LEITURA DESCONTROLADA

    ResponderExcluir
  18. Oie tudo bem?

    Primeiramente parabéns pelo post incrivel! precisamos de mais assim, ainda não conhecia nenhuma dessas obras, o que pe uma vergonha, pois é muito importante conhecer cada vez mais obras que são um manifesto a nossos direitos!

    Bjs Jany

    www.leituraentreamigas.com.br

    ResponderExcluir
  19. Oi Lilian, o único dos seus indicados que já li foi Sejamos Todos Feministas, que apesar de curto e rápido, é ótimo. Estava mesmo procurando uma leitura do gênero, e não sabia qual ler, por isso suas indicações vieram a calhar.
    Bjs

    ResponderExcluir
  20. Oi, tudo bem?
    Adorei totalmente a sua postagem super especial! Adorei toda a lista, e um dos livros que li e amei foi SEJAMOS TODOS FEMINISTAS, essa autora é um arraso demais! Gosto bastante dela e quero ler mais obras dela! Espero ter oportunidade em breve!

    Beijos,
    Lu - http://justificou.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  21. Oie
    sejamos todos feministas é maravilhoso. O de gênero parece ser incrível, adoro esse tipo de assunto então deve ser uma leitura bem informativa e interessante. parabéns pela lista maravilhosa

    beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  22. Olha, parabéns pelo post! E obrigada por listar esses livros MA-RA-VI-LHO-SOS dos quais eu só li um - Sejamos Todos Feministas - e já conhecia Mulheres que correm com os lobos. Anotei todos os outros que ainda não conhecia e com certeza vou ler! Beijão

    ResponderExcluir
  23. Oi, achei ótimo da ideia do post. E o melhor foi que você não só indicou bons livros como também falou um pouco sobre a atual realidade em que vivemos. Muito triste saber desses números. :/

    http://porredelivros.com

    ResponderExcluir
  24. Mais uma vez o blog arrasou com o post!
    Vi muitos homens nessa data parabenizar as mulheres e tudo mais, no entanto, a grande maioria costuma tratá-las como lixo, mas enfim, não vim comentar sobre isso. Vim falar sobre as sugestões que foram ótimas. Não conhecia nenhum desses livros, mas gostei bastante e pretendo ler em breve e indicar para algumas pessoas.

    ResponderExcluir
  25. Post maravilhoso!! Da lista, conhecia apenas "Mulheres que correm com os lobos", que é perfeito! Já anotei os outros títulos, pois quero ler todos.

    bjs
    www.livrosdabeta.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  26. Olá, tudo bom?
    Adorei o texto, destes livro não li nenhum ainda, mas Sejamos Todos feministas está aqui me esperando. E realmente estas estatísticas são horrendas, é muito triste saber disso.

    Bjux ;)
    Entrelinhas

    ResponderExcluir
  27. MONÓLOGO DAS VAGINAS e SEJAMOS TODOS FEMINISTAS já eram livros que me deixaram curiosa na época de lançamento, essa postagem veio reforçar esse desejo. Agora acrescentei PELAS MULHERES INDÍGENAS. Obrigda pelas dicas.

    Nara Dias
    www.viagensdepapel.com

    ResponderExcluir
  28. Oi!
    Lendo seu texto, que por sinal está excelente, me dei conta de que nunca li nenhuma das suas indicações ou mesmo outros livros que abordassem o assunto, o que me deixou bastante constrangida. Por isso vou mais do que acatar suas sugestões de leituras e expandir um pouco a minha zona de conforto.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  29. Oi, tudo bem?
    Uma lista com livros bem interessantes! Sejamos Todos Feministas está gratuito no Amazon!
    Bjs

    ResponderExcluir
  30. Oi, tudo bem?

    Conhecia todos, à exceção de Feminicídio, A ciranda da mulheres sábias e Pelas mulheres indígenas. Só tive oportunidade de ler o da Chimamanda, mas ainda quero muito ler algo da Angela e justamente esse me despertou bastante interesse ;)

    O que mais adorei durante a semana da mulher foi conhecer mais livros que falem das mulheres <3 Acho sempre válidas essas dicas, por mais "clichês" que possam soar. Tem muita gente que ainda não tem acesso ou consciência de que a literatura pode oferecer conhecimentos sobre a igualdade de gênero.

    Love, Nina.
    http://ninaeuma.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  31. Maravilhosa a sua lista. Inclusive já li alguns livros mencionados, e gostei muito das leituras. Já li Mulheres que correm com lobos, Sejamos todos feministas, O segundo sexo e Monólogos da vagina. Este último traz relatos bem emocionantes. Já coloquei os demais na minha lista. Fiquei bem interessada por A ciranda das mulheres sábias. Ótimas dicas!

    Tatiana

    ResponderExcluir
  32. Postagem maravilhosa! Infelizmente não tive a oportunidade de ler nenhum desses livros, mas espero fazer isso o mais rápido possível! Obrigada pelas dicas! <3

    ResponderExcluir
  33. Olá!

    Que texto maravilhoso! Obrigada pelas dicas e tentarei ler todos!!

    ResponderExcluir
  34. O Segundo Sexo e Sejamos Todos Feministas já estavam na minha lista. Obrigada por acrescentar novos títulos sobre esse assunto! É importante que tenhamos todas essas informações e consciência desses dados. É desesperador, também. Sufoca. Assusta. Causa medo. Estamos expostas a tanto mal... Seria incrível se os homens que provocam tudo isso também tivessem acesso a essas leituras (muitos deles tem, né? nossos governantes e tal...), ou que pelo menos tomassem consciência dos horrores que ajudam a provocar. Amei seu post!

    ResponderExcluir
  35. Post interessante com bastante dica de leitura para o tema proposto.
    Parabéns!

    Ana Souza
    https://literakaos.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  36. De todos os livros que você citou o único que eu já conhecia é "Sejamos todos Feministas", porém ainda não li mas sei que é extremamente bom. "Mulheres que Correm Com Os Lobos" me pareceu muito bom também, na verdade todos. Essas estatísticas que só crescem me deixam assustada. Ontem fiquei sabendo que uma conhecida, que também estava no nosso meio literário, foi morta por seu ex companheiro que não aceitou o fim do relacionamento. Não sei onde vamos parar com tanta violência, tanto descaso, sofrimento e dor. Gosto de olhar o seu blog e perceber que você sempre está falando de empoderamento, incentivando nós mulheres conhecermos mais sobre esse assunto.

    ResponderExcluir
  37. Olá!
    SEJAMOS TODOS FEMINISTAS é um livro que vi muito na blogosfera e tenho certa curiosidade em ler ele. Nossa situação tem muito o que melhorar, mas para isso temos que mudar a mente do nosso país. É um trabalho ardo, mas que se todos fizer a sua parte a gente consegue.
    Vou tentar ler ao longo do ano os livros indicados.
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  38. Quanto livro maravilhoso! Acho que alguns tem nomes um pouco... Fortes... Mas coml não me importo com isso leria do mesmo jeito kkk. Beijos.

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma

 

SKOOB

Arquivo do Blog

Direitos autorais

Copyright © 2015 • Poesia na alma