BEIJO – DE LUCIANO JOSÉ




11 abril 2017
Collage by Raf Graphics




Beijar o outro é tornar-se rei do planeta cuspe. É divertido quando se beija por longo tempo e a baba escorre no canto da boca. Para alguns é frustrante, foi mais uma saliva que escapou da guerra de línguas. Aos que reclamam do beijo do seu companheiro, é simples: muda-se o língua-já. Há o chamado rolo compressor, onde se podem inverter as direções e citar também um importante clímax bucal, quando nossa língua toca a úvula da amada, produzindo sensações de termos alcançando um novo clitóris. Há momentos em que a fome aperta e às vezes beijamos na esperança de encontrar alguns resíduos alimentícios: pedacinhos de feijão, fiapo de carne... outras vezes lutamos inutilmente contra quatro inimigos: cáries, cigarro, cebola, cabo de guarda-chuva. O beijo é legal! E para sorte de todos, quase nunca pensamos nisso quando beijamos. 

(Livro Intromissão do Poema, de Luciano José)

23 comentários:

  1. Beijar e beijar, eis que aqui encontro mais uma beleza de texto que tu trouxeste Lilian, é impossível não me sentir atraída a querer conhecer e ler mais desse autor Luciano, parabéns pela escolha da vez.
    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Nunca mais verei o beijo de forma romântica depois desse texto. hahahahaha!!
    O meu o primeiro beijo foi uma aguaceira danada.
    Abs
    Nizete
    Cia do Leitor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk adorei o comentário

      Excluir
  3. Que sensacional. Por via das dúvidas, vamos beijar e beijar e deixar de pensar nessas coisas não é mesmo? Porque se pensar nas coisas desagraveis que a língua pode encontrar, ninguém mais beija.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkkkkk né?
      E logo eu que sou impressionável...

      Excluir
  4. Menina do céu, não sei se era para ser uma reflexão, mas eu ri horrores desse texto. Terminei com um eca bem grande com o negocio dos restos de feijão e ... enfim
    Bem, beijar é bom né? Só espero não lembrar dessa texto na próxima vez que for dar um beijo kkkkkkkkkkkk
    Amei o post
    :*

    ResponderExcluir
  5. Olá, tudo bem?
    Adorei o texto reflexivo, e confesso que ri muito!
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  6. Hey, Lilian!

    Eitaaaa... esse texto acabou com o romantismo e a beleza do beijo! rsrs

    :D


    ResponderExcluir
  7. "Beijar o outro é tornar-se rei do planeta cuspe." , meu Deus, o beijo nunca será o mesmo a partir de agora, amei demais!

    ResponderExcluir
  8. Olá tudo bem?
    Nossa Beijo para mim nunca mais será o mesmo depôs dês poema .
    Kkk

    ResponderExcluir
  9. Oii
    Nossa que texto! achei ele bem engraçado kkk
    Abraços;**
    http://FebredeLivro

    ResponderExcluir
  10. hahahaha lembrando aqui do dia que tu recitou ele no Sarau, e a reação das pessoas com ele. <3

    ResponderExcluir
  11. Ah não Lilian, esta baba do beijo não caiu muito bem... Como vou encarar o beijo agora depois desta??? Voltar a beijar de boca fechada... kkkkk #sqn
    Bjs

    ResponderExcluir
  12. Nossa que delícia de poesia... me fez lembrar tantos beijos que já dei e recebi... Parabéns!
    Beijokas!

    ResponderExcluir
  13. Lendo isso eu fiquei pensando sobre duas coisas. Primeiro é que preciso ler mais coisas sobre esse autor e segundo, que não verei mais o beijo da mesma maneira, sauhausa. Sério, como proceder depois disso? kkkk

    ResponderExcluir
  14. Olá,

    Nunca ri tanto com um texto como com esse, acho que não é muito legal pensar sobre isso na hora que está com o love, né.

    ResponderExcluir
  15. Olá, tudo bem? Nunca mais pensarei em um beijo da mesma forma HAHAHAHA que forma diferenciada de escrever sobre um. Gostei hahaha
    Beijos,
    http://diariasleituras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  16. Oiii
    Que texto legal sobre o beijo... Concordo: para a nossa sorte, a gente nunca pensa sobre o que é o beijo enquanto estamos beijando.. kkkkk Ainda bem!!!!
    Um Beijo!!!]
    kkkk

    ResponderExcluir
  17. Acabo de descobrir uma nova versão do beijo que eu ainda não conhecia, e bem real, nada romântica !!!
    Que legal você compartilhar, bjoooooooo

    ResponderExcluir
  18. Olá, eu não conhecia o autor, mas gostei da forma como ele descreve, um tanto cômica.

    ResponderExcluir
  19. Oi, tudo bem?
    Gostei do texto!
    Sou to time que se frustram com a baba escorrendo hahaha
    Bjs

    ResponderExcluir
  20. Olá!
    Adorei poder conferir essa poesia aqui! Realmente o beijo é uma coisa muito interessante de ser descrita, e adorei essa veia um pouco cômica do autor.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  21. Ola, tudo bem?
    "Beijar o outro é tornar-se rei do planeta cuspe"
    ADOREI !!!!!
    Lembrei da história que uma amiga me contou que o meu Crush na época da adolescência babava demais e tinha que beijar ele com babador kkk
    Não conhecia este autor, me identifiquei muito com este texto, gostei bastante.
    Beijos, Larissa (laoliphant.com.br)

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma

 

Fanpage

Seguidores

Compre aqui

Compre aqui
Livro Mulheres que não sabem chorar

Link Me

Curta também:

Parcerias

De olho

Arquivo do Blog

Direitos autorais

Google+ Followers

Autora dos livros O Céu é Logo Ali, Mulheres Que Não Sabem Chorar e Desconectada. Em seus livros ela aborda temas como sexualidade, liberdade, amor, preconceito, homossexualidade, violência sexual e alcoolismo. A escritora mantém um blog literário e está sempre bem informada sobre questões sociais que acontecem em nosso país. É defensora da tese de que todos são diferentes e merecem ser tratados com equidade. Ela adora escrever sobre temas que incomodam e diz não ter medo do preconceito. Trabalha no movimento social e acredita que a educação é capaz de trazer mudanças significativas ao país.

Siga-nos por e-mail

Copyright © 2015 • Poesia na alma