Resenha – Ninfeias Negras




22 abril 2017



Ninfeias Negras, Editora Arqueiro, é o primeiro livro que leio do Michel Bussi. Apesar de ser uma obra de mero entretenimento, posso dizer que o autor me enganou, mas não de forma pejorativa. Isso, pois, o livro exige do leitor, no mínimo, cuidado nos detalhes. Tal qual fazemos ao apreciar uma obra de arte.

"O crime de sonhar eu consinto que seja instaurado"

Três mulheres, um crime horrível, segredos e, obviamente, investigação policial. São esses os elementos básicos do enredo para que o leitor comece a montar o quebra-cabeça. A questão é que durante o desenrolar da história, muita coisa para tirar a nossa atenção vai acontecer.

‘Sinopse: Giverny é uma cidadezinha mundialmente conhecida, que atrai multidões de turistas todos os anos. Afinal, Claude Monet, um dos maiores nomes do Impressionismo, a imortalizou em seus quadros, com seus jardins, a ponte japonesa e as ninfeias no laguinho. É nesse cenário que um respeitado médico é encontrado morto, e os investigadores encarregados do crime se veem enredados numa trama em que nada é o que parece à primeira vista. Como numa tela impressionista, as pinceladas da narrativa se confundem para, enfim, darem forma a uma história envolvente de morte e mistério em que cada personagem é um enigma à parte - principalmente as protagonistas. Três mulheres intensas, ligadas pelo mistério. Uma menina prodígio de 11 anos que sonha ser uma grande pintora. A professora da única escola local, que deseja uma paixão verdadeira e vida nova, mas está presa num casamento sem amor. E, no centro de tudo, uma senhora idosa que observa o mundo do alto de sua janela.’

A sinopse já diz muito sobre o enredo, mais que isso é spoiler, ao menos, para mim, enquanto leitora. O que a sinopse não diz, é a overdose de Claude Monet que teremos do decorrer de cada página. O que para uns pode ser motivador e para outros, um desgaste.

Claude Monet foi um pintor francês impressionista. Entre seus trabalhos de sucesso, estão "Camille Doncieux" e "A Varanda à Beira Mar Perto do Havre". Como disse, essa overdose de Claude Monet pode ter um efeito negativo quanto positivo, e isso é a arte, nem a todos agrada. No entanto, acredito que isso também é o escape, a enganação, a forma de ludibriar o leitor, confundi-lo entre o que é imaginário e real, vencê-lo pelo cansaço e chegar ao final triunfante.

Deixo aqui também a minha experiência com a leitura, primeiro, não é possível dizer tudo o que desejo sobre o enredo, em minha perspectiva, é falar demais. Eu peguei o livro depois de várias leituras pesadas, que me deixaram triste, melancólica, a velha ressaca literária. Não faça isso. Pois, apesar de ser uma obra de entretenimento, o leitor precisa de disposição, caso contrário, torna-se uma leitura maçante.


É um bom livro, foge de alguns clichês do gênero, aliás, transcende o próprio gênero, faz uma boa relação com a arte, todos os elementos são colocados de forma para trazer o leitor para um jogo, em alguns momentos ficará cansado, irritado, deslumbrado e ao final, surpreso.

24 comentários:

  1. Bom, pelo menos terminar surpresa já é algo significativo. Eu sou fã das artes em geral, gosto da paz que elas transmitem como se fosse uma grande fuga da realidade onde o que pode ser cansativo pode acabar sendo tremendamente inspirador... A leitura assim como escrever precisa de uma dose de realidade e de sonhos para dar sentido ao que nos torna curiosos ao seu conteúdo, me pareceu uma leitura interessante e no final até mesmo com sentido. Acredito que é do meu gosto!Vai para a lista, beijos!

    ResponderExcluir
  2. Primeiramente já amei a resenha 😍 eu fiquei super curiosa pelo livro, vou procurar para ler imediatamente

    ResponderExcluir
  3. Olá Lilian, tudo bem?
    Amei a sua resenha e fico feliz que você tenha sido "enganada" positivamente pelo autor
    Infelizmente essa obra mão me atrai e pelo menos por enquanto eu não leria, mas fico feliz que você tenha curtido a leitura. Já estou no aguardo das suas próximas dicas. Beijos

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Sua resenha me deixou bem curiosa para conhecer a obra.
    Esse lance do autor criar um jogo e maneiras de "distrair" o leitor do foco principal para no final surpreender, me interessou bastante. Ainda mais por fugir de clichês do gênero.
    Com certeza pretendo ler.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Olá, eu nunca imaginaria o enredo livro pelo seu titulo. É o tipo de livro que tem vários elementos que gosto, especialmente a arte. Monet é um dos artistas que mais admiro. Vou aceitar sua dica e lê-lo sem estar preso a outras leituras. Bjs

    ResponderExcluir
  6. Gostei muito de ver outra visão sobre esse livro. Só vejo elogios puros sobre a narrativa, sem apontar onde podem estar os defeitos para um outro tipo de leitor. Adorei saber a relação com a arte (que é a sua cara analisar, né :D) e vou ler o livro com mais cuidado agora.

    ResponderExcluir
  7. Finalmente né Lilian, só vi babação de ovo em outras resenhas que você nem imagina, antes eu estava louca para ler a história e descobrir esse mistério e pensei que no enredo teria algo sério e envolvente, mas não, vejo que não passa enrolação e não leria, ótima opinião.
    Abraços

    ResponderExcluir
  8. Olá!
    Eu estou doida pra ler esse livro. Gostei muito das suas observações. Sabe que as vezes fico em dúvidas com algumas resenhas lidas pois me parece que alguns querem apenas agradar as editoras ao invés de darem verdadeiras opiniões.
    Espero que a leitura funcione pra mim, mas certamente com esse enredo sei que vou demorar a terminar a leitura.
    Beijos!

    Camila de Moraes.

    ResponderExcluir
  9. Oi Lilian, concordo contigo que para alguns as partes sobre a arte do pintor serão meio cansativa, mas felizmente não aconteceu​ comigo. É que final surpreendente, em nenhum momento suspeitei dele.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  10. Eu adorei esse livro, achei o começo mais cansativo mas ao final eu percebi que tudo tem um motivo, tudo está ligado e tinha que ser assim mesmo. Mas realmente pode ficar maçante para alguns dependendo do momento em que se vá ler.

    ResponderExcluir
  11. Olá Lilian, tudo bem?

    Adorei a sua resenha e desde o lançamento quero ler Ninfeias Negras. Achei interessante elencar como ponto negativo os momentos cansativos e também ter clichês, mas que no final das contas, você curtiu. Gostei das observações!
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Eu desejei ler essa obra desde que li a sinopse, mas ainda não tinha lido nenhuma resenha. Eu achei a história muito legal, e fico feliz que você tenha nos passado a sua opinião sincera ao dizer que leu o livro após um ressaca literária e que o leitor precisa de disposição para ler a obra. Esse envolvimento com as artes só me deixa ainda mais instigado a ler o livro, além do fato de que adoro esse gênero! Beijos do Wes ^^

    ResponderExcluir
  13. Olá!
    Eu li algumas resenhas sobre o livro e fiquei bem interessada até por Monet está envolvido (pelo menos a obra) rs
    Já baixei o arquivo em e-book mas ainda não consegui ler e folgo em saber que o gênero traz um enredo surpreendente que acho até pelo que entendi que o final faz valer a leitura! rs

    ResponderExcluir
  14. Oi! Estou com muita vontade de ler esse livro, mesmo podendo achar algumas partes cansativas. Estou curiosa com o desfecho rsrs

    bjs
    www.livrosdabeta.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  15. Tirando a parte do Monet, me interessou bastante. Não que não aprecie arte, mas não descrições tão lojas assim durante a história, principalmente de mistério. Mas provavelmente lerei se tiver oportunidade.
    Bjs

    ResponderExcluir
  16. mlr, eu gostaria de ler pela referência ao artista, embora possa soar cansativo em alguns momentos...
    espero me entreter com ele sem me irritar com uma ou outra caracteristica da narrativa...
    bjs :D

    ResponderExcluir
  17. Olá, tudo bem? Confesso que já estava de olho para colocar esta obra em minha lista de desejados, e após a sua resenha, que me impressionou muito, com certeza irei colocá-lo. Irei encarar esta leitura hahahha! Adorei a resenha, está maravilhosa. Parabéns!

    Páginas incríveis

    ResponderExcluir
  18. Oi, Lilian!
    Esse livro está na minha lista de leitura desde que conferi a primeira resenha dele. No entanto, não me canso de conhecer um pouco mais essa obra através do ponto de vista dos outros. Achei bacana o ver por aqui e mais ainda que gostou. Em breve pretendo fazer a leitura dele <3

    ResponderExcluir
  19. Nossa, o primeiro parágrafo da sua resenha já me chamou a atenção. Fiquei curiosíssima com essa leitura que parece ser bastante minuciosa.
    Dica anotada! Parabéns pela resenha!

    Beijo

    ResponderExcluir
  20. A resenha ficou interessante, não não faz muito meu gênero literário, mas gosto de me surpreender no final das leituras.

    ResponderExcluir
  21. Acho bem legal essa ideia do autor criar essa distração em meio ao enredo. Que bom que no final a leitura foi uma ótima surpresa. Acho interessante essa relação com a arte, mas não é um livro que leria no momento.
    Bjim!
    Tammy

    ResponderExcluir
  22. OIe,
    Adorei a resenha!
    Todo mundo está falando super bem desse livro e você me convenceu de que preciso lê-lo! Só de falar que ele surpreende e transcende o gênero já fiquei apaixonada.
    Beijos
    Blog Relicário de Papel

    ResponderExcluir
  23. Oi Lilian, sua linda, tudo bem?
    Eu já gosto de uma bela trama policial, mas o autor me ganha fácil se ele for capaz de me enganar. E enganar é uma arte. Colocar pistas falsas, nos manter presos em tramas quando o principal está acontecendo bem diante de nosso nariz e não nos damos conta, é incrível. Não vejo a hora de ler. Sua resenha ficou ótima!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  24. Oi Lilian, eu não canso de dizer que eu acho seu blog um arraso. Tanto por ser super minimalista (ADORO), quanto pela qualidade do seu conteúdo. Realmente a Arte não é para todos. Adorei sua resenha, eu já tinha vontade de ler esse livro, pois meu tipo favorito de livro é o suspense policial. Com esta resenha primorosa (e nada reveladora), posso dizer que aumentou muito minha vontade de ler. Parabéns pelo excelente conteúdo! beijos
    Jo Scarreiro

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma

 

SKOOB

Arquivo do Blog

Direitos autorais

Copyright © 2015 • Poesia na alma