Poetas, poesias e outras sublimidades – Por Leonardo Nóbrega




08 novembro 2017
By imagem - collagebyburbemm



O quanto a poesia está entranhada simbioticamente em nós? Como a poesia permeia nossas emoções e completa, alivia, colore, adocica, ilumina nossas vidas. Nos faz ter insights, fala por nós e para nós, nos aquece em dias frios e acompanha solitários.

Há alguns dias, em uma conversa surgida pela passagem do dia do poeta (20 de outubro), um amigo escrivinhador me perguntava o que era, para mim, a poesia e o que faria de alguém um poeta. Confesso que não me considero capaz de elucubrar uma resposta satisfatória para uma questão de tamanha envergadura, talvez, exatamente por não ser poeta, por não escrever poesia desde da adolescência quando todos viramos poetas, bobos por musas eternas que desvanecem na semana seguinte.

Aliás, um prato preparado com esmero também é um tipo de poesia, e quem cozinha sabe bem disso, a alquimia que é a transformação de ingredientes aleatórios em uma refeição é poética pura.

Porém, como era uma conversa informal entre camaradas que têm em comum o gosto pela pena e o amor, pela boa poesia, tentei me aproveitando da solidariedade não julgadora do amigo, esboçar algo sobre o espinhoso tema. Repito que não sou formado nos bancos dos cursos de Letras, não sou academicamente especialista nesse assunto, então peço aos que o são que releguem algo tecnicamente imperfeito, afinal estamos falando de poetas e a imperfeição, nesse caso, é uma enorme virtude.



Principiando poetas e poetisas (polêmicas à parte, gosto desse termo, acho sonoro e forte) são seres iluminados e extraordinários. Os escritores, de uma forma geral, são seres inquietos, provocadores, questionadores, ácidos. São pessoas com uma mente fértil, um raciocínio apurado e para quem as palavras se oferecem. Já o poeta, ah, o poeta! O poeta além de carregar todas essas características (ou esse carma, sei lá) tem o incrível superpoder de pensar com o coração, de vomitar emoções vindas das dobras mais profundas e escondidas do ser. Para eles as palavras vão além do oferecimento, elas se desnudam, deitam nas suas camas, ceiam em suas mesas e se deixar usar transformadas, mais das vezes, em punhais frios que nos penetram provocando ambiguamente dores agudas e alívios serenos. O poeta é, então, para mim, um ser que transborda, que não cabe em si, que precisa inexoravelmente transpor os limites (dele próprio, do sofrimento, da angustia, da ansiedade). É alguém irremediavelmente sensível, perceptível, observador e quase sempre sofredor (eu disse quase).

Poesia e melodia quando se enlaçam perfeitamente é como um abraço apaixonado

A produção do poeta pode ser o poema, o soneto, a poesia entre outros escritos. Acontece que, da mesma forma que o poeta é escritor, mas também difere desse, a poesia é uma construção escrita, mas que também pode ser vista em outras manifestações artísticas, diferente do poema que é, essencialmente, uma manifestação escrita, uma construção textual.

A poesia, eu diria, está mais ligada as emoções e provocações que nos inflige do que nas rimas, ritmos ou métrica. A poesia pode estar em uma fotografia, pintura, escultura, canção, desenho. Pode ser uma frase, um verso ou várias páginas, a poesia fala diretamente à alma, é sublime e faz bem ao espírito. A poesia nunca está pronta e não pertence ao poeta, mas àquele que se apropria dela por dialogar com seu íntimo, curar suas feridas, adoçar seu dia.



Uma poesia é como uma prece para um deus possível, um livro de poesias (boas poesias) é um livro sagrado, uma exposição de arte pode ser um templo. Mas, para mim (repito: para mim) nenhum tipo de poesia supera aquela que nos é dada em forma de canção. Poesia e melodia quando se enlaçam perfeitamente é como um abraço apaixonado, como uma comida bem preparada. Aliás, um prato preparado com esmero também é um tipo de poesia, e quem cozinha sabe bem disso, a alquimia que é a transformação de ingredientes aleatórios em uma refeição é poética pura. Segundo os costumes ciganos, colocamos na comida as emoções que carregamos no momento do preparo, então não cozinhamos, fazemos poesia na cozinha. Somos mais do que chefs somos poetas.

Não sei se meu interlocutor generoso e paciente entendeu meu modo de achismo do que é um poeta e uma poesia, mas acredito que essa conversa também pode ter inspirado algum poema, soneto ou mesmo alguma poesia.





40 comentários:

  1. Hey, Leonardo!

    Nossa, que texto fantástico!
    Eu gosto muito de poesia. Hoje não tenho o hábito de ler tantas, mas da minha adolescência até a mina época de faculdade eu li muitas! Sou apaixonada por Fernando pessoa.
    E você, meu amigo, arrisque-se, sim, a poetizar, sem se preocupar com técnica nenhuma. A poesia não se pode "fabricar", apenas sentir.
    Seu texto está maravilhoso. Parabéns!

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sandra. Muito obrigado por suas palavras gentis e de incentivo. Xêro.

      Excluir
  2. Que texto maravilhoso gente, nada melhor que ler algo de quem que entende do assunto, sabe o que é poesia, consegue interpretá-la, fiquei encantada!
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  3. Que texto lindo!

    Realmente, concordo que os poetas são seres iluminados e extraordinários, e nossas relações com as produções destes poetas são muito particulares, causadoras de diferentes efeitos e sentidos por vezes difíceis de se explicar... é só sentimento!

    Até mais,
    www.decaranasletras.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado por suas palavras e seu sentimento. Xêro.

      Excluir
  4. Meu querido amigo, obrigado pela poesia melodiosa do seu texto. Obrigado por conseguir dizer em prosa a poesia de tantos outros versos.

    ResponderExcluir
  5. OI,
    É bem verdade né? A poesia esta impregnada até nas nossas desgraças, amargurars , alegrias, conquistas, parir... VIVER!
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Olá, tudo bem? Caramba, que demais este texto, ficou incrível! Eu adoro ler poesias, mesmo que às vezes não consiga acompanhar a profundidade que o autor quer nos passar. Adorei!

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Que texto fantástico e muito bem escrito. Até eu que não tenho costume de incluir poesias em minhas leituras diárias, fiquei maravilhada com a forma que você discorreu o texto e a leveza que nos envolve fez com que eu desejasse conhecer mais desse universo.
    Parabéns!
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Book Obsession. A boa poesia sempre é inspiradora, por isso sou bem seletivo nesse gênero hehe. Xêro

      Excluir
  8. Olá!! :)

    Confesso que não costumo ler muita poesia, e muito muito raramente um livro de poesia. No entanto, gostei imenso de ler o seu texto!! :)

    Adorei a forma como o conduziu e escreveu. Muitos parabéns por isso!

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  9. Olá, Leonardo.
    Nossa que texto incrível, gostei muito der ler! Eu amo poesia e acho poesia com melodia uma combinação perfeita demais.

    ResponderExcluir
  10. Oi Leonardo.

    Realmente,a poesia está ligada com as emoções e os escritores são seres inquietos, provocadores e questionadores. Pena que tem um tempo que não dedico a poesia,especialmente a poesia em forma de canção. Com melodia que coseguideiixeeuando se enlaçam perfeitamente é como um abraço apaixonado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kênia, prazer ter você aqui.Tá na hora de parar e voltar a ouvir música sem pressa, apenas ouvir. Xêro.

      Excluir
  11. Ola,
    Ótima resenha e reflexão.Infelizmente, eu particularmente não sou fã desse tipo de texto, mas concordo que são palavras que parecem que saem da alma das pessoas.
    Beijos
    Raquel Machado
    Leitura Kriativa
    leiturakriativa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Sou obrigada a concorda com o Leonardo, não há união mais feliz que uma melodia e um poema. São almas gêmeas que se unem para nunca mais se separarem.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Fabrica dos Convites. As canções são o tipo de poesia que me fascina. Xêro.

      Excluir
  13. Ah como adorei a diferença entre escritores e poetas, demais! Nunca li nada a respeito e olha isso.. que coisa mais linda: “O poeta além de carregar todas essas características (ou esse carma, sei lá) tem o incrível superpoder de pensar com o coração, de vomitar emoções vindas das dobras mais profundas e escondidas do ser.”
    PA-RA-BÉNS, Leandro por este texto maravilhosamente incrível.

    Bjo
    Tânia Bueno

    ResponderExcluir
  14. Oi!
    Que texto lindo! Admito que não sei nada sobre poemas e poesias mas amo demais quando ela se junta com uma melodia e ou mesmo quando a vejo escrita pelos muros da cidade. É uma coisa linda de se ouvir, ver e ler.
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Larissa. Ver poesia nos muros da cidade é muito inspirador mesmo. Xêro.

      Excluir
  15. Olá, Leonardo!
    Que lindo seu texto! Essa é uma verdade que pouco sabemos, com amor fazemos poesia em quase tudo.
    Muita sensibilidade seu texto, parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leticia, oi. Obrigado pelas suas palavras,é isso mesmo, com amor fazemos poesia e com poesia fazemos amor. Xêro.

      Excluir
  16. Olá Leonardo, adorei seu texto, não leio muito poesia, mas acho que ela esta além da sonoridade das palavras e sim nos sentimentos que ela desperta no seu leitor *-*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jéssica, obrigado pelo seu comentário e leia mais poesia, vc vai gostar rsrs. Xêro.

      Excluir
  17. Seu texto é sensacional. Eu nunca fui muito ligada a poesia, mas sempre quis me envolver mais com esse tipo de escrita. Adorei a forma como você se expressou no seu texto, é profundo e verdadeiro.


    http://laoliphant.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Débora. Legal que você gostou. Xêro.

      Excluir
  18. Oi, Leonardo! Confesso que eu nunca consegui criar um poema ou poesia na minha vida haha, mas admiro e sempre fico encantada com a forma dos autores de criar textos há cada dia mais inovadores, emocionantes e reflexivos. É realmente fascinante e você expressou muito bem a sua opinião sobre o poeta e a poesia. Ótimo texto, bjss!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jennifer, somos dois rsrs. Sou romancista e poesia é meu calcanhar de Aquiles. Xêro.

      Excluir
  19. Oi Leo. Gosto muito de poesias, seu texto ficou muito bom parabéns. Acho lindo a forma com que a poesia transmite nossos sentimentos.

    Um forte abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Nilton. Obrigado por suas palavras. Abraço

      Excluir
  20. Oie
    que legal saber mais sobre os poemas e a obra pois não tenho muito contato no meu dia a dia então as vezes me deparar com um é muito bom. Adorei o post

    beijos
    http://www.prismaliterario.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado por suas palavras, Catharina. Xêro.

      Excluir
  21. Olá, tudo bem Leonardo?

    Achei o texto muito bonito, confesso quando era novo eu escrevia poemas e poesias, mas esse foi um hábito que perdi com o passar dos anos, acho que fato muito bonito quem escreve, sempre são mensagens reflexivas e emocionantes!
    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Saga Literária. Eu também escrevi algumas, mas nunca cheguei a publicar. Abraços

      Excluir
  22. Oiii!

    Que texto mais amorzinho! É tão lindo expressar aquilo que sentimos por algo através das palavras. Fiquei encantada!

    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ana Paula. Obrigado por suas palavras e pelo encantamento. Xêro.

      Excluir
  23. Olá,

    É interessante ver como outros acham e pensam sobre uma determinada coisa. Realmente é difícil fugir da poesia, ela é algo que está sempre em nossas vidas.

    Beijos,
    oculoselivrosblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Thayenne, muito legal que você gostou e realmente não dá pra fugir: somos poesia. Xêro

      Excluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma

 

SKOOB

Arquivo do Blog

Direitos autorais

Copyright © 2015 • Poesia na alma