Resenha – A Vida em Espiral




15 novembro 2017



Tratar temáticas de grande repercussão, por vezes, pode ser um tiro no pé, a possibilidade de o texto ser mais um manual sensacionalista é forte, isso, porque temos uma formação cartesiana e capitalista. Mas, esse não é o caso de A vida em Espiral, de Abasse Ndione, escritor africano do Senegal.

Nem terminamos o chá. Pegamos o Simca para ir a Ximbé, a praia de Sambey Karang. A maconha e a maneira de obtê-la foi o único assunto de nossa conversa durante o trajeto. O espectro de dias sombrios se perfilava no horizonte. Com Dappassa agora atrás das grades, a última fonte tinha secado, e a escassez da maconha era pior que a de água.”

Amuyaakar Ndooy, taxista, diante da escassez da yamba (maconha) devido a criminalização, junto com seus amigos – Bukari, Laay Goté, Badara e Yaba Xanca – que passavam boa parte do tempo fumando e filosofando, decide comercializar de forma ilegal a yamba, tornando-se traficante.

Já se passava de três da manhã. As trinta balas que eu tinha posto em circulação se esgotaram rapidamente. Tive de voltar em casa para me reabastecer. Eu atraía clientes como uma manga atrai moscas!”

 Ndooy então passa de uma vida simples de taxista que vive com a mãe, irmã e filha, para experimentar o poder e dinheiro que o tráfico podem trazer. Ele também vai se defrontar com o sistema que privilegia a classe alta, enquanto um reles traficante é preso e submetido a tratamento desumano em sua punição, o mesmo não acontece com pessoas poderosas envolvidas no mesmo sistema corruptivo.  

A história de Ndooy começa pela necessidade de consumo, depois, pela necessidade do dinheiro e por fim, chegamos uma teia política e social que beneficia a um pequeno grupo e como tudo isso interfere em suas relações pessoais. Para além do tráfico, violência, corrupção, relações amorosas e familiares, ao leitor também é dada a oportunidade de conhecer a história, geografia, religiosa e cultural do Senegal pela voz de um homem africano negro.


No momento que a discussão sobre legalização e descriminalização do uso da maconha ganha destaque no Brasil, a Editora Rádio Londres traz uma obra que tem como ponto norteador os efeitos da criminalização da maconha em solo africano. No entanto, a proposta do autor em momento algum é se posicionar contra ou a favor, mas trazer uma narrativa crua e direta de um contexto que envolve uma problemática que precisa ser vista sob a luz consciente da bioética.


15 comentários:

  1. Extraordinário! É isso! Fazer refletir não é tomar partido, mas esclarecer, colocar! Que bárbaro isso... Adorei sua abordagem e como também coloca suas impressões sobre o livro!

    ResponderExcluir
  2. Que demais esse livro menina, eu fico tão feliz que tu sejas parceira deles, realmente o assunto abordado sobre a maconha é uma revolução, porque tem tantas opiniões entre contra e a favor, que é difícil de agradar a todos, ótima resenha e dica anotada, amei essa capa.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  3. Oi, tudo bem? Me interessei muito pelo livro, tanto pelo fato de o autor ser negro (e falar a da cultura africana), tanto por falar desse assunto que, infelizmente, as pessoas ainda não entendem muito bem e acabam tachando-o de imoral. Quero muito continuar a ler mais livros de autores negros e acho que este me parece muito pertinente para gerar uma reflexão social, tão escassa hoje em dia, né. Sua resenha tá muito convidativa, apesar de sucinta :)

    Love, Nina.
    http://ninaeuma.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Olá, tudo bom?

    Eu ainda não conhecia essa obra ou esse escritor (e a sua história). Acredito que ele aborda os assuntos, como a legalização da maconha, de uma outra perspectiva e que pode ser elucidante em outros pontos. Além disso, pode trazer um pouco de conhecimento sobre a realidade de Senegal, local que eu não tenho muitas informações sobre.

    Enfim, adorei a resenha e agradeço a indicação :)
    Abraços.

    ResponderExcluir
  5. Tenho vontade de ler mais literatura africana. Ainda não conhecia esse livro. Interessante a temática que ele aborda.

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    O texto ficou muito bom e repleto de assuntos para refletirmos. Acho que quando conseguimos colocar nossos pensamentos sem depreciarmos o assunto fica muito mais agradável mediante a diversidade da realidade de cada lugar.
    Gostei de conhecer mais dessa realidade que o autor trouxe em sua obra.
    Leria com certeza!
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  7. Com certeza o ponto forte do livro é não tomar partido, e sim esclarecer e colocar a pessoa ara refletir sobre o problema.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  8. O início de sua resenha descreve com exatidão o que sinto quando vejo livros do tipo, me fazendo sempre desistir da leitura.
    Pelo que pude compreender, a história de Ndooy é a realidade em todo lugar que se tem o tráfico de drogas, ou qualquer coisa
    que seja proibido por lei. Parece ser um excelente livro, espero um dia ler.

    Beijos.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Um livro deveras interessante, com temas tão importantes assim, deve ser uma leitura muito rica e fiquei curiosa pra conhecer a ambientação, nunca li um livro que se passa no Senegal. Ultimamente tô querendo me aproximar desses livros que trazem essas características mais diferentes e novas pro meu acervo e essa parece ser uma boa dica. A resenha ficou ótima!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Uau, que história interessante! Gostei bastante da proposta do autor e de nos dar a oportunidade de conhecer esse importante fato histórico. A sua resenha está incrível, obrigada pela dica. Bjss!

    ResponderExcluir
  11. Isso eu achei bastante legal: não se posicionar, apenas apresentar a história. Apesar de ser bem diferente dos livros que eu costumo ler, fiquei interessada, sim. Parece ser uma obra que nos faz pensar bastante.

    ;*

    ResponderExcluir
  12. Olá.
    Não conhecia o livro, essa é a primeira resenha que leio. Infelizmente não é um livro que eu não curto muito, não leria por não ser meu gênero, mas eu achei muito interessante, principalmente por ser um autor africano, de uma cultura tão diferente. Eu simplesmente gostei da resenha.

    ResponderExcluir
  13. OOlá, tudo bem? Nossa que interessantíssimo o assunto, ainda mais vindo de uma história de um país que estou me situando mais sobre o mesmo. De fato bate com a atualidade das discussões no Brasil. Gosto desta questão dele ser imparcial sobre o que escreve. Dica mega anotada!
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  14. Oie
    muito legal esse tipo de historia onde há apenas esclarecimento do que houve e não a opinião pois assim acabamos criando a nossa própriae não apenas influenciados pelo autor

    beijos
    http://www.prismaliterario.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Olá! Ainda não conhecia esse livro. Difícil mesmo tratar de temas polêmicos assim.
    Gostei bastante da sua resenha, da forma clara e direta com que tratou o assunto.
    boas leituras, bjooooooo

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma

 

SKOOB

Arquivo do Blog

Direitos autorais

Copyright © 2015 • Poesia na alma