Resenha – Viva a Vagina - liberdade pra dentro da cabeça e do prazer




03 janeiro 2018



“Tenha orgulho de tudo o que seu corpo é capaz
e seja paciente com os esforços dele”

Por que conhecer a nossa vagina é uma ação emancipatória? A quem interessa que os órgãos genitais femininos sejam um tabu à própria mulher? Essas questões abrem espaço para muitas reflexões e pode ser um ponta pé inicial para entender nosso corpo socialmente.



Afinal, quem lucra quando o nosso corpo é um pecado inexplorado? Você já pensou em sua vagina? Tocou? Olhou? Sabe como é? “(...) acreditamos que a chave para a boa saúde sexual é o conhecimento de como o corpo funciona”. Conhecer o próprio corpo é um ato revolucionário, e isso está intrinsecamente relacionado à saúde.

As escolhas que as mulheres fazem com relação ao próprio corpo e à sexualidade fazem parte de um contexto maior. Forças culturais, religiosas e políticas querem pautar essas escolhas, sejam ligadas a uso de preservativos, aborto, identidade de gênero ou práticas sexuais.”

Viva a Vagina, de Nina Brochmann e Ellen Stokken Dajl, Editora Paralela, 307 páginas, é um manual que ousa em desmitificar e desmistificar ideias que cercam a vagina. Não é algo inovador, mas a forma correta,  é mostrar com consciência o que temos desde que o mundo é mundo, isso implica em romper com conceitos enraizados que por vezes demonizam o corpo ou que nos coloca como ‘inapropriadas’, entende-se por sem posse, de nossa própria genitália dando o poder ao outro de entender o que é nosso.  

Em nossa busca, deparamos com ginecologistas renomados que desprezaram nossas perguntas a respeito do hímen, julgando-as sem importância. Para nós, discutir questões como essa, que podem ter consequências sérias para a vida das mulheres, é primordial. Por isso procuramos aqui contar a verdade sobre essa dobra de mucosa que chamamos de hímen.”

Além disso, há também uma excelente reflexão sobre a hegemonia masculina em pesquisas médicas. Para ser honesta, sempre fico um pouco receosa com alguns homens/médicos descreverem a dor do parto com tanta convicção com base no que aprenderam de outros homens/médicos.

Outros mitos não são extremamente prejudiciais, mas tornam evidente que é hora de dar um basta na hegemonia masculina na pesquisa médica. O fato de mulheres se queixarem de nunca terem conseguido um ‘orgasmo vaginal’ mostra como a compreensão da sexualidade feminina tem sido definida pelas necessidades do homem através dos tempos. O orgasmos vaginal propriamente não existe. Torcemos para que as mulheres possam parar de se sentir inferiores por precisar de outras que não a penetração.”

Há visivelmente uma problematização da temática saúde sexual da mulher e explicações detalhadas sobre a estrutura e função dos órgãos genitais internos e externos com imagens e orientações de como ver o aparelho genital, ciclo menstrual, tipos de absorvente, TPM, prevenção, gravidez, sexo, orgasmo, etc. 


Tudo isso de forma simples e fluída, por vezes cômica, o que tonar o livro acessível ao grande público, além de mulheres, obvio, profissionais da saúde, educadores, pais (entende-se responsáveis legais), adolescentes, Todos.

32 comentários:

  1. Parece um bom livro mesmo, até por conta da forma simples que encara e explica temas como ciclo menstrual, prevenção, sexo entre outros. Uma leitura assim faz todos saírem ganhando em conhecimento e informação.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  2. Que livro mais emponderador. Queria que todas as mulheres soubessem que ele exite e que podemos e devemos nos conhecer de outra forma, não tão masculinizada como é hoje em dia.

    ResponderExcluir
  3. Olá
    Interessante a proposta do livro, não sei quando leria , mas não deixaa de ser interessante. Vou indicar para umas amigas que estão estudando na area da saude, quem sabe elas possam ver o tema com outros olhos.
    Bjus
    Jis Rocha
    Blog Cá Entre Nós

    ResponderExcluir
  4. Que legal! Eu queria este livro e acho que ele é realmente necessário. Lembro-me de uma situação, quando ainda era criança. Num acidente de bicicleta eu acabei fazendo um corte feio na vagina. Eu sentia muita dor e para aliviar eu me tocava, ajudava. Minha mãe dizia que eu vazia isso enquanto dormia. Mas um dia minha vó me pegou fazendo isso e eu apanhei tanto e não sabia o porque, depois disso, minha mãe passou a me criticar também, dizendo que era errado. Mas aquilo era o aliviava a minha dor, o que eu podia fazer? E no fim, fiquei me culpando por um tempão, por algo que tinha NADA de errado. Triste.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Mari. Essas histórias, infelizmente, são comuns devido a uma educação machista e pautada no fundamentalismo, aos poucos, unidas, conseguiremos nos libertar da culpa e contribuir para novas e antigas gerações. Obrigada por seu comentário.

      Excluir
  5. Adorei! Já me divertir lendo a resenha, mesmo sabendo que o assunto é sério. Eu assisti os monólogos da vagina e me rachei de rir. Anotado para compra. Bjs

    ResponderExcluir
  6. Oie. Tudo bom?
    Eu estou chocada com esse livro, pois parece inovador. Nunca tive contato com mulheres e relações emporadoras em obra, mesmo que seja relacionada ao nosso próprio corpo. E como é necessário pensar e ajudar a desmitificar tantas observações absurdas que se tem tendencia a fazerem conosco. Amei a ideia do livro. Fico com uma extrema vontade de o ler.
    Beijos.
    Blog; https://fanficcao.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  7. Oie amore,

    Falei sobre poesia por conta do nome do blog...!
    Quanto ao livro, achei bem interessante. De fato os órgãos tanto femininos quanto masculinos ainda é tabu em qualquer roda de conversa.
    Mais bacana ainda é ver que o livro traz imagens sme pré conceitos.
    Adorei a resenha!

    Beijokas!
    www.facesdeumacapa.com.br

    ResponderExcluir
  8. Olá, tudo bem? Nossa, que livro mais diferente, rs! Parece ser uma daquelas obras bem importantes que todas deveriam ler, sem dúvidas. Gostei muito da tua resenha e fiquei curiosa!

    Beijos,
    https://duaslivreiras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Nunca li nada do tipo, mas além de parecer bem humorado ele parece ser bem direto e de fácil compreensão. talvez seja uma boa pedida para meninas que estão entrando na fase das descobertas, nada melhor do que informação.
    Gostei muito de conhcer o livro e saber um pouco sobre ele.

    Beijos.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Oi, tudo bom?
    Que livro sensacional! Acho uma pena assuntos como esse, que são tão importantes e naturais, ainda sejam considerados tabus. Espero que isso se altere com o tempo, o que parece já estar acontecendo.
    Pela maneira como você descreveu, junto com os trechos e fotos, parece ser algo bem leve e divertido de se ler mesmo.
    Amei sua resenha.
    Até mais o/

    ResponderExcluir
  11. Olá tudo bem? Queria ler esse livro desde que vi sua capa pela primeira vez mais não imaginei ser uma leitura como a que você mencionou, fiquei mais curiosa ainda parecesse ser leve e extrovertida o que faz toda a diferença quando falamos sobre certos assuntos, beijos!

    ResponderExcluir
  12. Olá, muito bom seu post. Que bom saber que esse livro existe e torço para que muitas pessoas o leiam e possamos diminuir os tabus e os preconceitos em torno do corpo da mulher, pois é importantíssimo se conhecer.

    ResponderExcluir
  13. Eu adorei esse livro, sinceramente é uma leitura que todas as mulheres deveriam fazer para entender mais sobre seus corpos e desmentir todos os boatos que correm no Facebook de vez em quando.
    Já quero mais livros nesse estilo para 2018, com certeza a editora acertou na publicação

    ResponderExcluir
  14. Oi, tudo bem?
    Eu já tinha visto esse livro por aí, e achei a proposta bem interessante. Acho muito absurdo que um assunto que é natural, faz parte do corpo feminino, ainda seja tabu em pleno século XXI. Mas o que esperar de uma sociedade que julga uma mulher amamentando em público, por exemplo? Infelizmente, ainda vivemos em um mundo machista.
    Apesar do assunto ser tão relevante, não sinto que é um estilo de leitura que me atraia por enquanto. Estou mais na vibe de ler romances ou livros de fantasia. Mas vou deixar a dica anotada para ler em outro momento.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  15. Uma ótica dica de leitura! Nós, mulheres, somos ensinadas desde a infância coisas que acabamos descobrindo mais tarde não serem como achávamos, acredito que uma leitura como essa ajude muito alguém que está se descobrindo, mas serve para qualquer idade.

    ResponderExcluir
  16. Olá, tudo bem?
    Eu nunca tinha visto esse livro, mas acho que o tema precisa ser trabalhado e discutido. Eu sempre vejo as pessoas falando sobre o órgão masculino e discutindo sobre ele, mas, quando a mulher fala sobre o dela, não tem o mesmo direito, sabe? É um livro que eu seria, sem dúvidas.
    Beijos

    ResponderExcluir
  17. Olá, eu não conhecia esse livro, mas já amei, parece ter um linguagem divertida e trazer coisas bem legais para diminuir nossos próprios preconceitos com nosso corpo. Adorei a dica.

    ResponderExcluir
  18. mlr, eu fiquei bem curiosa pra ler... tu sabe bem como lido com algumas dessas questões do nosso corpo, ne? haghasauhasuhsuashuash acho que seria uma maneira interessante de compreender alguns mecanismos da minha feminilidade hahahah
    bjs...

    ResponderExcluir
  19. Você trouxe uma reflexão bem interessante aqui. E até me lembrei de algumas coisas... Há umas semanas escrevi uma resenha de Big Mouth, que é uma série animada da Netflix e ela veio pra cutucar em alguns assuntos como esse, da mulher conhecer o próprio corpo. São personagens no início da adolescência aprendendo a lidar com a puberdade, uma época que é bem difícil pra algumas pessoas lidarem. Vi MUITA gente dizendo que era uma série de extremo mal gosto por trazer esses assuntos, mas são coisas necessárias de se conversar, ainda mais quando são adolescentes tendo que lidar com transformações físicas, hormonais e emocionais. A proposta do livro que você fala é totalmente válida... temos sim que falar mais de vagina, quebrar essa estrutura exclusivamente falocêntrica do nosso convívio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu amo quando alguém faz comentários que acrescentam, vou assistir a série, não tenha dúvidas, pena as pessoas acharem que o corpo é pecado indo, inclusive, de contra a ideia de criação divina

      Excluir
  20. Adorei o tema do livro. Por se tratar de algo que ainda tem gente que insiste em não conversar sobre. Parabéns pela resenha.

    ResponderExcluir
  21. Oie
    meu deus, que hino de livro e que hino de resenha, fico muito feliz de vc trazer esse tipo d eobra e questionamento por aqui, com certeza é um livro que todas a mulheres deveriam ter conhecimento, não sabia da existência do livro mas já quero para ontem

    beijos
    http://www.prismaliterario.com.br/

    ResponderExcluir
  22. Olá!
    Que livro mais interessante e com assuntos ótimos para mesas de debates. Infelizmente ainda é considerado como tabu em muito lugares e em muitas famílias, o que é uma pena. Quanto mais falarmos mais espaço ganhamos e com isso mais duvidas poderão ser tiradas. Sem contar na fluidez e facilidade que a narrativa propõe.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  23. Oi Lilian! Tudo bem?
    A ideia desse livro definitivamente é excelente, além de necessária, pois como a Maria Luíza disse no comentário dela, ainda vivemos em um mundo muito machista. É simplesmente absurdo que, em pleno século 21 ainda consideremos o corpo e suas partes como um tabu. O mais triste são as próprias mulheres muitas vezes reproduzindo esse pensamento retrógrado.
    Abraços e beijos da Lady Trotsky...
    http://rillismo.blogspot.com
    http://osvampirosportenhos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  24. Olá,
    Que maravilhoso esse livro, e você está de parabéns por compartilhar ele conosco. Infelizmente quando o assunto é vagina é um tabu enorme, lembro que só quando fiquei 'grande' com uma certa idade que meus familiares começaram a conversar comigo com uma certa tranquilidade.

    ResponderExcluir
  25. Gostei da indicação. Acho muito bom que esse tipo de leitura, principalmente para pessoas leigas sobre o próprio corpo - isso ainda existe - desmitificarem todo o tipo de história da carochinha que de alguma forma foi contada.
    Bjos
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir
  26. Olá, tudo bem? Eu já havia visto este livro em outra postagem e achado muito interessante também. É assunto que precisa ser mais debatido abertamente, sem ter aquela sensação de tabu. Afinal, que mal tem? Irei procurar saber mais sobre a obra. Obrigada pela dica!

    Beijos,
    Blog Luna literária

    ResponderExcluir
  27. Oi tudo bem?

    Não conheço esse livro. Parece ser um livro com uma leitura bastante reflexiva e complexa. Gostei de saber sua opinião sobre o mesmo. Adoro livros assim que nos fazem refletir.

    Um forte abraço

    ResponderExcluir
  28. Olá
    Não conhecia o livro e me surpreendi bastante. Acho um assunto muito importante e que todas as mulheres deveriam explorar e conhecer mais, é libertador ser conhecedor do próprio corpo e aceita-lo como é.

    Beijos

    ResponderExcluir
  29. Ri, mas fiquei chocada, do trecho em que disse que os homens descrevem a dor do parto pela maneira como ouviram de outros homens. Baita verdade triste. Mas está mudando, somos cada vez mais nossas. E que a luta continue...
    Bjs
    Luana

    ResponderExcluir
  30. Olá! Ainda não conhecia esse livro mas parece ser bom e informativo.
    Acredito que vale a pena compartilhar a indicação de leitura.
    Ótima resenha, bjo

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma

 

SKOOB

Arquivo do Blog

Direitos autorais

Copyright © 2015 • Poesia na alma