Header Ads

Poesia de Luiz Leitão – 2018 Degenerado

by imagem Kristin Baugh Shiraef




A CAGADA

Certa vez, para dar uma cagada,
Ou por outra, passar um telegrama,
Embarafustei por uma reservada
De um café que eu nem sei como se chama.

Entro e, ao cagar, sorte danada:
Num dos papéis sujos de merda e lama
Vejo o retrato da mulher amada,
Por quem meu peito e coração se inflama.

Nisto, interrompo minha caganeira,
Pego o retrato dela e boto na algibeira,
Satisfeito, sorrindo e suspirando.

Que porco! – hão de dizer – mas eu protesto.
Porque assim procedendo, no meu gesto,
Provei que gosto dela até cagando.


Poema de Luiz Leitão (1890 – 1969) retirado do livro Antologia da Poesia erótica brasileira, de Elaine Robert Moraes (org.) para o projeto 2018 degenerado. Você também escreve poesia ou pequenos contos eróticos e quer participar do projeto? Escreva para  poesianaalmaliteraria@hotmail.com

20 comentários:

  1. Oiieee

    Aii eu sou um fiasco pra poesia, sério mesmo, não consigo ler entrelinhas e nem ler na alma do autor, então fico boiando mesmo entre as palavras...haha. Não conhecia essa poesia, achei no minimo interessante, é diferente...

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  2. Olá!

    Confesso que eu cheguei a dar risada com esse poema. Não sou uma pessoa muito chegada à poemas, mas esse foi bem divertido (não sei se a intensão foi essa, mas foi o que houve). haha Adorei!

    Abraços

    ResponderExcluir
  3. Oi, tudo bem?
    Adorei a imagem, já o poema nem tanto. É até engraçado, mas só isso! Já a imagem é impactante! Adorei a ideia do projeto, vou pensar sobre o assunto! Gostei do post!

    ResponderExcluir
  4. Eu gosto muito de poesias, mas não cheguei a gostar desse. Me pareceu aquelas piadas antigas que meu pai e avô contavam e repetiam anos e anos. Não sei se a intenção tenha sido causar essa estranheza, mas acredito que não tenha sido criado para ser algo bonito, não é verdade?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exato. Nem toda poesia tem de ser bonita ou romântica. A Pínkola, ao tratar da Deusa Bulbo, faz uma excelente análise sobre esse tipo de poesia, causos, etc. e sua importância.

      Excluir
  5. Olá!
    Eu gosto de poesia, essa é meio escatológica, diferente das que já li, também acabei dando risada rs
    Não sei como analisaria esse tipo de poesia. :)
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem cada poesia clássica e erótica que dá para morrer de tanto rir kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Excluir
  6. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk adorei. Muito amor. Quero alguém pra fazer isso comigo tb :P
    ausahUSHAushaU

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk você não tem noção do quanto dou risada lendo esse livro.

      Excluir
  7. Oi tudo Bem? Eu ri com esse poema, mas não sei nem como comentar sobre ele, não é bonita de se ler, mas vamos que vamos!! Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E tem coisa melhor que rir? significa que você sentiu o poema, isso é lindo. Obrigada por comentar ^^

      Excluir
  8. Olá Lilian!
    Confesso ter dado boas gargalhadas com essa poesia.
    Não posso dizer que é profunda, mas no mínimo excêntrica. Enfim, valeu pelo entretenimento.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já eu , conseguiria fazer uma análise dela com base na psicanálise, porém, como você bem mencionou, melhor a diversão 😊😊😊😊😊

      Excluir
  9. Ou Lílian, eu mais ri do que propriamente gostei do poema... Não foi pela falta de beleza, mas não gostei muito desta vez.
    Bjs Rose

    ResponderExcluir
  10. Nossa eu ri demais com esse poema, que bom que ele gosta dela até em situações constrangedoras como essa. Apesar de estar em momento de profunda concentração ele parou o que estava fazendo para lembrar da mulher amada, isso só pode dizer alguma coisa a respeito do nosso eu lírico. Enfim, foi ótimo para descontrair!

    beijinhos!

    ResponderExcluir
  11. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk amar até na merda, um caldo de fossa para demonstrar amor verdadeiro, essa escolha distinta que gera estranhamento ao leitor é digno para não se perder na ideia de erotismo

    ResponderExcluir
  12. Olá!
    Eu não tenho o costume de ler poesias e confesso que, por vezes, não as compreendo, mas essa me fez rir, juro. Esse é o amor mais completo que já vi sendo descrito.
    Adorei o poema.
    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Ao mesmo tempo que é engraçado é um tanto perturbador uma poesia com este tema rs.
    Mas na verdade não precisamos ter um tema 'limpo' para termos uma boa poesia, não é mesmo?

    Debyh
    Eu Insisto

    ResponderExcluir
  14. O que eu posso dizer?
    Não gostei e nem foi por conta do tema, embora talvez seja por conta dele que não tenha me feito pensar em ler/reler para talvez mudar minha opinião...
    Mas eu e a poesia não temos o melhor dos relacionamentos, então...rs

    ResponderExcluir
  15. OIe
    hahahha achei um poema bem contraditório, pois ao mesmo tempo que me fez rir também me deixou meio triste, muito interessante, adorei a sacada de palavras

    beijos
    http://www.prismaliterario.com.br/

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma