Header Ads

Resenha – A Noite da Espera: fragmentos de um Brasil em transe





“Nem tudo é suportável quando se está longe”

Primeiro livro da série O lugar mais sombrio, A Noite da Espera, de Milton Hatoum, Companhia das Letras, é um romance de formação sobre uma mãe ausente, um pai severo, Ditadura Militar no Brasil e Martim, narrador nostálgico e expatriado. Exilado em Paris, o narrador fragmenta sua história entre São Paulo, Brasília e Paris, nos anos de 1960 e 1970, e o golpe da separação familiar.
  
Um expatriado pode esquecer seu país em vários momentos do dia e da noite, ou até por um longo período. Mas o pensamento de um exilado quase nunca abandona seu lugar de origem. E não apenas por sentir saudade, mas antes por saber que o caminho tortuoso e penoso do exílio é, às vezes, um caminho sem volta

Quando os pais de Martins, Lina e Rodolfo, se separam, ele e o pai saem de são Paulo para morar em Brasília. Longe da mãe e tendo que suportar o ódio do pai “Rodolfo estava enlouquecendo, percebia sintomas de loucura nos gestos e atitudes dele, e me perguntava quem, ou o quê, ele odiava.”, o narrador entra num mar de angústia e depressão no núcleo do caos, Brasília.



O Brasil passava por um golpe Militar que resultou em retrocessos, perseguições, mortes e corrupção. Martin, na verdade, não tinha muita noção do que acontecia, mas precisava sobreviver em meio a uma sociedade em transe e sentimentos conturbados, timidez, namorada, amigos, escola, faculdade. Rememorando características comuns do romance de formação, como: o repudio ao patriarcado, a atuação instituições em acadêmicas (neste caso, a UnB), afinidade com a arte, declarações eróticas e intelectuais, vida profissional e relação com a vida política.

O leitor se apropria da história pelas lembranças de Martins em Paris, em 1978. Entre “cadernos, fotografias, cadernetas, folhas soltas, guardanapos com frases rabiscadas e diários de amigos, quase todos distantes; alguns perdidos, talvez para sempre” que ele resolve reorganizar “Comecei a datilografar os manuscritos: anotações intermitentes, escritas aos solavancos: palavras ébrias num tempo salteado”.

Um pai ressentido e opressor; um país reprimido e violentado. A saudade da mãe carinhosa e cumplice que largou o marido para ficar com um artista; um país que precisa resgatar sua liberdade e perspectiva coletiva da figura materna. A angústia das memórias e a vida em conflito. São estes elementos que permeiam a obra e criam suspense em torno da relação de Martim com a mãe



A Noite da Espera chega num momento decisivo que o retrocesso nos assola e de como ainda colhemos frutos podres dos Anos de Chumbo. A Democracia no Brasil, ‘uma jovem frágil e atormentada pelas descobertas da vida’, necessita de proteção. A história fragmentada de Martim é a representação da traumática história do Brasil silenciada por ‘vinho tinto de sangue’.
Como beber dessa bebida amarga?

19 comentários:

  1. Olá!

    Por um instante eu pensei que pudesse ser a história do autor, mas conforme fui lendo mais a resenha percebi que não. De qualquer forma, parece ser um livro capaz de nos fazer refletir bastante sobre o nosso passado, presente e futuro. E, apesar de eu não ler muito esse tipo de livro, o achei bem interessante. Adorei a dica!

    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Até hoje ainda não li nenhum livro desse autor, não por falta de interesse, e sim por falta de tempo mesmo. Gostei bastante da premissa desse romance, até porque ele tem uma carga histórica bem forte, algo que gosto muito.
    Dica anotada! =)
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Livros que trazem elementos históricos são sempre muito interessantes. Gostei muito do enredo do livro por associar a estoria do personagem com a realidade do país na época da ditadura militar. Gostei muito da sua resenha e guardarei a dica!

    Beijos,
    Conta-se um Livro

    ResponderExcluir
  4. Oiii
    Esse livro parece ser realmente muito bom, ainda mais por explorar os problemas do pais.
    Bjus

    ResponderExcluir
  5. Gostei da proposta da estória, a qual relata as esperiencias de vida desse protagonista. Tenho a impressão de ser um livro bem interessante, não só para conhecer mais sobre esse periodo do Brasil como o desenrolar, o desfecho final do mesmo. Vou colocar na minha lista de livros pra ler.

    ResponderExcluir
  6. Olá, tudo bem?
    Antes de trocar de curso, cursei um ano de história e cheguei a ler algumas coisas sobre a ditadura. É algo que abre nossa mente mas ao mesmo tempo nos deixa deprimidos, principalmente quando fazemos links com a atualidade. Mas não posso deixar de ficar com muita vontade de ler A Noite de Espera, ainda mais quando feito de lembranças assim.
    Beijos <3

    ResponderExcluir
  7. Olá, tudo bem?
    Eu conheço esse livro, já li algumas resenhas sobre "A Noite da Espera", parece ser uma boa leitura, acho interessante ter elementos históricos no livro, isso é algo positivo aos meus olhos. Eu confesso que não li qualquer livro do autor, mas querendo ter essa experiência agora em 2018!
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Gosto dessas narrativas autobiográficas, ainda mais quando destaca momentos históricos e importantes para um país. Sem dizer que os elementos que permeiam a obra são perfeitos para despertar curiosidades no leitor.
    Não posso deixar de mencionar sobre a minha satisfação em ver a música do Chico Buarque na resenha. Parabéns, ficou perfeita.

    Abraços.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oi, tudo bem? A história me cativou demais, porque amo ler sobre esse período histórico, apesar de, claro, não ser um período bonito. Ainda não li nada do Milton, apesar de quase ter lido Dois irmãos, na época do vestibular. Com certeza, vou colocá-lo na minha wishlist :) Gostei muito da sua resenha.

    Love, Nina.
    www.ninaeuma.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Eu ainda não conhecia o livro e fiquei interessada pela leitura dele, acho que não devemos esquecer o que aconteceu e a leitura dessa obra deve ser algo que nos agregue muito conhecimento.

    ResponderExcluir
  11. Olá!
    Não li nada desse autor e gostei muito de saber que o livro aborda um tema tão interessante e indispensável como esse. Eu sei coisas sobre o Golpe Militar que li na época da escola e que meus pais falam, mas tenho muita vontade de ler uma obra que nos apresenta isso. Vou, sem dúvidas, anotar a dica desse livro e amei sua resenha!
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Olá!
    Eu não conhecia essa história, mas lendo sua resenha fiquei imaginando que deve ser uma leitura com um choque de realidade bem grande, principalmente se formos pensar nos dias de hoje que sinceramente vai de mal a pior. Não é uma leitura que me chama atenção, mas para os apreciadores do gênero deve ser bem empolgante.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  13. Ola,
    Não conhecia a obra, infelizmente estamos passando por períodos bem conturbados realmente e ter livros como esse realmente fazem a gente parar e pensar. Fico imaginando se todo mundo realmente lesse parasse e pensasse, se teríamos o Brasil do jeito que temos, com tanta corrupção, onde cada um só quer saber do seu e o que "importa é tirar o seu da reta". É lamentável vivermos em um terra como essa e termos atitudes assim ao nosso redor.
    Beijos
    Raquel Machado
    Leitura Kriativa
    http://leiturakriativa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  14. Adorei a resenha, principalmente porque gosto de histórias que se passam nessa época no Brasil. Parece algo bem reflexivo qque requer muita atenção. Eu já estava querendo realizar essa leitura, mas depois da sua resenha vou passá-lo na frente

    ResponderExcluir
  15. Olá!

    Quero muito ler esse livro, o farei assim que tiver oportunidade, livros assim que contam a história do Brasil são ótimos para entender os mais diversos momentos de nosso país.

    ResponderExcluir
  16. Olá!
    Não conhecia o livro, mas pelo que vi na sua resenha o tempo em que se passa é bastante interessante, um ótimo tema pra ser relatado. Adorei a resenha, a premissa é bastante interessante. Com certeza leria esse livro, mas ainda irei pesquisar mais sobre ele. Parabéns pelo post.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  17. Oi Lilian, como está?
    A premissa desse livro é nada menos que maravilhosa e extremamente necessária nesses dias em que o nosso país está vivendo uma muito grave tentativa de retrocesso por gente mal intencionada ao extremo. Com certeza está nos meus futuros desejos.
    Abraços e beijos da Lady Trotsky...
    http://galaxiadeideias.com
    http://osvampirosportenhos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  18. Olá,
    Realmente a obra está no seu 'momento' atual, desde o retrocesso até outras questões. Não tenho costume de ler o gênero, mas eu leria por conta também da história que envolve a família.

    Debyh
    Eu Insisto

    ResponderExcluir
  19. Oie
    que premissa mega interessante, eu adoro esse tipo de livro que retrata temas tão fortes ainda mais quando envolve familia e opressão, espero com certeza ler em breve, adorei ver a musica do chico no post hehe

    beijos
    http://www.prismaliterario.com.br/

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma