Header Ads

Resenha – Trópico de Câncer




“Eu havia lido o mais terrível, mais sórdido,
mais magnífico manuscrito que
já havia caído em minhas mãos”
(Jack Kahane, sobre Trópico de Câncer)


Trópico de Câncer, Henry Miller, publicado originalmente em 1934, traz Joe, alter ego do autor, um expatriado estadunidense sem dinheiro que narra suas experiências boêmias e mais sórdidas entre bêbedos e prostitutas na França. Proibido nos Estados Unidos por quase trinta anos, assim como o sucessor Trópico de Capricórnio, por ser considerado obsceno, pornográfico, “imundo” e “asqueroso”.

E este aqui? Este não é um livro. É uma difamação, uma calúnia, uma falta de caráter. Não é um livro no sentido comum da palavra. Não, este é um longo insulto, uma cusparada na cara da arte, um chute na bunda de Deus, do Homem, do Destino, do Tempo, do Amor, da Beleza, do que você quiser. Vou cantar para você, meio desafinado talvez, mas vou. Cantarei enquanto você grasna, dançarei em cima do seu cadáver sujo.

Sim, Miller é obsceno e também transgressor e um dos nomes que influenciou a geração beat. Seus livros por muitos anos sofreram censura em vários países e ainda hoje são incompreendidos. Em 2017, a Editora José Olympio lança nova edição de Trópico de Câncer e Tópico de Capricórnio que selecionamos para o projeto 2018 degenerado.

Na noite passada, Bóris descobriu que estava com piolhos. Tive que raspar o sovaco dele e, mesmo assim, a coceira continuou. Como alguém pode ter piolhos num lugar tão bonito como esse? Mas não interessa. Não fossem os piolhos, Bóris e eu jamais nos conheceríamos tão intimamente. 


Tópico de Câncer fala de liberdade sexual sem a intenção de excitar, mas chocar; rompe com ideias medíocres que aprisiona o corpo e a mente, e tem uma linguagem crua, suja e direta. O mesmo estranhamento que causava em época de seu lançamento, ainda pode ser visto hoje, para uns, uma obra de arte; para outros, algo moralmente inescrupuloso e ainda há aqueles que o entende como trivial. Vale frisar a contribuição de Anaïs Nin na publicação de Trópico de Câncer, primeira pessoa a produzir uma crítica a obra e financiar a primeira edição.

Em um mundo paralisado com introspecção e constipado por delicadas refeições mentais esta exposição brutal do corpo substancial é como uma corrente vitalizante de sangue. A violência e obscenidade estão inalteradas, como manifestação do mistério e dor que acompanham o ato de criação. (Anaïs Nin)

Joe vivencia tudo que está no limbo, aquilo que uma sociedade centrada na convenção da moral e bons costumes assassina, condena. Porém, ao condenar, se atrofia, se mata, é repressora.

Emerson disse que ‘a vida é o que o homem pensa o dia inteiro’. Sendo assim, minha vida não passa de um grande intestino. Eu penso em comida o dia inteiro e ainda sonho com ela à noite


A fome, que persegue o personagem sem dinheiro, talvez não seja apenas fisiológica, mas a fome de instintos, o levando a outro extremo pela necessidade de buscar alimento ao espírito. Vivenciando o estado obsessivo do que deve ser demonizado, a fome cessa e resgata o homem da conjuntura fragmentada, da leitura maquinizada, o retorno ao estado original, o homem integral. 

50 comentários:

  1. Olá, não conhecia o livro e não sei se consigo realizar uma leitura tão... peculiar, mas enfim, tua resenha despertou minha curiosidade e vou amadurecer a ideia.
    Bjos
    Vivi
    http://duaslivreiras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, vivi!
      é um livro peculiar pela originalidade e por ter influenciado uma geração inteira pelo mundo, mas concordo com você, é necessário que nós, enquanto leitores, estejamos preparados para certas leituras visto que, às vezes, perdemos oportunidades com a leitura por não estar pronto naquele momento. Bom, quando lê, me diz o que achou.

      Excluir
  2. Olá
    Imagino como um livro com esse conteúdo deve ter chocado na época, assim como outras obras "não adequadas". Muito bom ser lançado novamente,agora com leitores diferentes,mentes diferentes,pensamentos diferentes.
    Gostei do post.
    Bjus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Chocou tanto que foram trinta anos de briga na justiça para ser publicado em alguns países, mas ainda hoje a mentalidade é bem tacanha e alienada para compreender a dimensão filosófica da obra. Obrigada pelo comentário ^^

      Excluir
    2. De nada linda. Estou curiosa para ler....

      Excluir
  3. Oi, Lilian. Nossa, eu não conhecia o livro e pelo que eu li na resenha é uma obra completamente diferente e que realmente deve chocar os leitores, fiquei curiosa para ler.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, choca e encanta, o cara é o ícone de uma geração... Espero que leia ^^

      Excluir
  4. Tenho muita curiosidade para ler tal livro, acho que ele é o precursor de Charles Bukowski, uma escrita que conheço e gosto muito. Por mais chocante que possa ser eu acho que a escrita é realista, bem nua e crua. Ótima dica.

    Abraços.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como não amar Buk? 💙💙💙💙💙 sim. Foi o mestre para Bukowski e outros

      Excluir
  5. Despertar interesse, despertou rs não vou negar. Mas não sei se conseguiria ler. Não pelo conteúdo em sim, mas pela forma que ele expôs (sem censura), só pelos quotes que vc selecionou me deixou sem reação rs e acredito que estes ainda foram os mais leves, não? rs

    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 😂😂😂😂😂😂 sim, são trechos leves. Não diz 10% do livro

      Excluir
  6. Oi Lilian! Achei a premissa desse livro bem interessante, com certeza é o tipo de leitura que choca e acaba sendo proibida mesmo. Mas acho que no momento não seria uma leitura que me agradaria.
    Beijos
    Mari
    Pequenos Retalhos

    ResponderExcluir
  7. Oiii Lilian

    É um livro de vivencias mesmo feito pra chocar e pra jogar na cara da sociedade aquela verdade que escondiam pra debaixo do tapete, estava lá, sabiam que existia, mas fingiam que não, principalmente na época que o autor viveu. Não sei se leria porque ainda tenho duvidas de se seria mesmo meu tipo de livro, mas acho a dica interessante, diferente, pra quem realmente ousa arriscar com certeza.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  8. Ola,
    Já tinha ouvido falar do livro mas não sabia exatamente do que se tratava, pelo que li ele me parece um tanto o quanto filosófico não sei se estou errada. Esse linguajar mas sujo, com palavrões me incomoda um pouco em qualquer tipo de livro, então não sei se me agradaria como um todos, além das ideias contidas no livro li apenas uma que já me desagradou "um chute na bunda de Deus?", não sou fanática religiosa, mas isso não soou bem para mim. Por esses pontos realmente deixo passar a dica dessa vez.
    Beijos
    Raquel Machado
    Leitura Kriativa
    https://leiturakriativa.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 'Chute a banda de Deus' foi a melhor parte para mim. Uma crítica de excelência ao puritanismo e a indústria que igrejas se tornaram capazes de controlar a vida é o corpo humano, atrofiando tudo, tornando pessoas em robôs em nome de Deus. Eu iria mais longe e digo, 'queime Deus na fogueira'. Sobre a questão filosófica é fusível a influência de Nietzsche. De qualquer forma , tem que ser um leitor no mínimo aberto para sair da concepção cartesiana e transcender as idéias.

      Excluir
  9. A escrita do autor também influenciou Caio Fernando Abreu, li outra versão em tempos de faculdade e debatemos num grupo de leitura na época. Não é para o fracos, tem que ter base para entender. Muito mais que ficar no clichê 'gostei' 'não gostei'. Os gênios têm valor, têm de ser lidos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi. Fico feliz que acompanha meu trabalho aqui e no tumblr, concordo, não dá para se perder na idéia 'gostei ' e 'não gostei '.

      Excluir
  10. Trópico de câncer não pode ser reduzido a pornografia ou erotismo, é muito, muito mais que isso. Gostei de sua resenha. Também li alguns comentários aqui, não tenho coragem de visitar alguns desses que se dizem de leitores. #medo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi. Nara. Você sempre acompanhando nossa fanpage, Obrigada por vir aqui comentar. Concordo que não dá pra reduzir a pornografia , é muito mais amplo. Sobre os comentários, acredito que alguns também vão se incomodar com o seu. Mas aqui todos são livres a escolher a melhor forma de se expor...

      Excluir
  11. Oi Lilian, caramba, 30 anos sendo proibido? Mas que bom que agora já está disponível para todos que quiserem ler.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ne isso. Detesto esse tipo de censura na arte.

      Excluir
  12. Oi, Lilian!

    Eu tenho esse e-book no meu leitor há muito tempo e sempre fico pensando que é hora de ler. Acho que estou atrasada, mas é difícil ler tudo o que se quer ao mesmo tempo, nem dá... Mas, essa sua resenha maravilhosa me fez ter mais vontade de ressuscitar o livro da estante, ou seja, da biblioteca digital... rsrsrsrs. Bela postagem!
    Abraços,
    Drica.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Dri. Quando ler, me diz o que achou e se fizer resenha, me convida para ler.

      Excluir
  13. Olá!
    Pelo visto mesmo depois de trinta anos parece que ainda choca algumas pessoas. Confesso que terei que amadurecer a ideia de ler um livro "obsceno e transgressor". Mas, como tudo na minha vida é um desafio... Assim seja. :)
    Foi bom conhecer um pouco do que se trata o livro.
    Nizete
    Cia do Leitor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Legal. Espero que leia um dia e me relate a experiência

      Excluir
  14. Interessante essa última citação. Gostei da capa da edição nova. É uma obra que tenho vontade de ler.

    ResponderExcluir
  15. Oi, Lilian
    Me interessei nesse livro quando o vi. Pela sua resenha dá para ter certeza da carga crítica que a obra carrega. O autor toca em pontos necessários. Adoro livros assim.
    Ótima dica!

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, espero que leia e depois me diz o que achou

      Excluir
  16. Uau! Um livro um tanto quanto polêmico, acho que por ter sido censurado despertou ainda mais minha curiosidade para lê-lo hahaha

    www.estante450.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  17. Olá tudo bem? não conhecia a obra mais preciso lhe confessar que não seria meu gênero de leitura e se me arriscasse a tentar talvez não compreenderia a grandiosidade filosófica da escrita, sou um tanto devagar nesse quesito, mais adorei saber mais sobre o livro de forma geral para os de intelecto mais profundos é uma ótima dica leitura!

    ResponderExcluir
  18. Olá Lilian!
    Sempre trazendo ótimas dicas pra gente. Caramba 30 anos de briga na justiça?
    Acho formidável como de uns tempinhos pra cá as leituras estão sendo mais aceitas pelo público e principalmente as editoras apoiando novos e velhos gêneros literários. Trópico de Câncer deve ser um livro bem intenso.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  19. Já vi muitos comentários sobre o Trópico de Capricórnio, mas não cheguei a lê-lo. Livros pornográficos e chocantes li na minha adolescência (escondido do meu pai) da Adelaide Carraro. Quanto à sua resenha, parabéns, está excelente, mas não me senti atraída pela obra. Prefiro, agora, outros gêneros.

    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adelaide está em minha lista para um outro tipo de postagem :D aliás, há alguns dias estava tentando lembrar o nome dela e seu comentário me salvou hahahahahhahaha

      Excluir
  20. Fiquei interessadíssima no livro. Já ouvir falar da obra de Miller, mas ainda não tive o prazer de ler. Vou anotar todos autores degenerados que você indicar aqui. Quero ler todos.

    Beijos

    ResponderExcluir
  21. Oi, tudo bem?
    Não conhecia o livro e fiquei bem curiosa, parece ser um livro questionador, sobre regras e convenções sociais e também sobre moral Me interessei!Obrigada pela dica e já está anotada!
    http://colecionandoromances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  22. Oie
    Guria, eu adoro livros assim, livros que conseguiram quebrar algum paradigma da época em que foram lançados. Eu ainda não conhecia a obra, mas gostei muito da premissa!
    Beijos <3

    ResponderExcluir
  23. Oi, Tudo bom?
    Não conhecia o livro, mas narrativas assim, fiquei muito interessada na trama, achei a capa linda e resenha maravilhosa, espero ler um dia também.
    Beijos, Joyce de Freitas.

    ResponderExcluir
  24. Olá!

    Não conhecia, mas para fugir da zona de conforto e conhecer novos pontos de vista, a leitura é super válida. Obrigada pela dica!

    ResponderExcluir
  25. Oi Lilian.

    Eu tenho muita curiosidade de ler Trópico de Câncer e Tópico de Capricórnio e com sua resenha a ansiedade de conhecer a história aumentou. Não restou nenhuma dúvida que preciso ler este livro, pois você deixou informações bem interessantes sobre ele. Parabéns pela resenha.

    Bjos

    ResponderExcluir
  26. OOi, Lilian!
    Já ouvi/li algo sobre o autor; no entanto, nunca li um livro dele e nem mesmo conhecia esse. Parece ser uma obra bastante chocante, e ao mesmo tempo maravilhosa. E que capa mais lindaaa!
    Dica anotada, nem que seja para outro momento.

    ResponderExcluir
  27. Parece um livro bacana, embora acho que não faz nem um pouco meu estilo e eu não gostaria. Mas achei interessante a discussão dos temas relevantes, e também ver o quanto ele gerou polêmica, levando inclusive sensuras.

    ResponderExcluir
  28. Um livro polêmico que adoraria ler. Gostei de lê sua resenha a respeito da obra. Não conhecia o livro mas adorei a dica.

    ResponderExcluir
  29. Miller era um gênio [e um sortudo por ter tido um romance com Nin uashuahasuh]
    pretendo ler esse mas só depois que ler o de Capricórnio, que ja tenho na estante...
    falou em transgressão, eis-me aqui kkkkkkkkkkkkkkkk
    <3

    ResponderExcluir
  30. Confesso que o livro me interessou, mas fiquei com um pouquinho de medo desse "sem censura" haha, parece algo muito original e a edição nova é linda.
    www.belapsicose.com

    ResponderExcluir
  31. Olá,
    Confesso que não sei se conseguiria fazer a leitura de uma obra tão diferente e crua na forma de desenrolar a trama, mas fiquei bem curiosa para conhecer um pouco mais sobre Joe e sua vida boêmia.
    A edição ficou muito bonita.

    LEITURA DESCONTROLADA

    ResponderExcluir
  32. Oie
    nossa, que livro diferente, muito legal saber do que se trata, temas tão tabus, já pelo título percebe-se que é algo peculiar, gostei muito e vou anotar a dica para variar um pouco o gênero que leio

    beijos
    http://www.prismaliterario.com.br/

    ResponderExcluir
  33. Já ouvi muitas pessoas falando dessa obra. Não sabia que ela tinha sido proibida nos EUA! Confesso que não faz muito meu estilo de livro e tenho quase certeza que não gostaria da leitura, então deixo a dica passar. Os Delírios Literários de Lex

    ResponderExcluir
  34. UAU!
    Eu não conhecia o livro mas já fiquei mais do que empolgada e querendo ler (as duas obras), principalmente pelo seu comentário de que foi lançada a muitos anos atrás, proibida por tantos outros e ainda assim trás ideias que ainda são consideradas transgressoras e incompreendidas. Adoro livros que fogem do convencional e que quebram padrões.
    Com certeza entrou na minha lista!
    Beijinhos,
    Lica

    ResponderExcluir
  35. Oi.
    Tudo bom?
    Eu achei esse livro bem diferente, mas não seis e iria ler pois foge totalmente dos gêneros que gosto, mas da para entender o motivo de ter ficado anos sem poder ser comercializado nos Estados Unidos.
    Beijos

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma