Header Ads

lilian farias / corpo-símbolo

 
Ouve-me (Listen to me), 1979.
Helena Almeida



Estou poeta porque
Assim nasci e não há
Outro estado que
Me defina.

(Lilian Farias)

10 comentários:

  1. Incrível! Quem me dera ter o dom de escrever que nem tu! Amo tanto seus livros e sei que são extremamente importantes para a sociedade que estamos vivendo.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  2. Olá, tudo bem? Eita, que poesia mais impactante e incrível, principalmente por ser tão boa com poucas palavras. Adorei!

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
  3. Em poucos palavra você conseguiu expressar muitas coisas. E impressionante como a poesia pode nos tocar a alma, e quem somos, de forma a nos transforma positivamente. A cada poema, e texto que me deparo por aqui, cada vez mais fico mais encantada.

    ResponderExcluir
  4. Oi, tudo bem?!

    Olha, queria eu nascer com esse dom de falar pra ser ouvida! Mas acho que meu dom é só ler e ouvir a voz dos outros. Adorei!!

    ResponderExcluir
  5. Eu adoro a sua escrita, sua poesia, seu blog! Você é uma pessoa muito talentosa e gosto demais de acompanhar o seu trabalho.

    ResponderExcluir
  6. Olá é um dom que admiro muito, poucos o possuem, parabéns pelo trabalho!

    ResponderExcluir
  7. Olá!

    Esse é um dom lindo e um dom que graças a Deus você possui e o utiliza com maestria!

    Parabéns!

    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Olá,
    Que curto e direto. Gostei muito, principalmente quanto a parte de 'estou' e não 'sou' no começo.

    Debyh
    Eu Insisto

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    Que poema lindo e que com poucas palavras fala tanto e transmite tantos sentimentos e reflexões. Parabéns, adorei!

    ResponderExcluir
  10. agora lilis é poeta? adoro <3
    você já nasceu poeta e percebi isso lendo mulheres <3

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma