Header Ads

Tudo o que poderíamos ter sido





O autor Zeka Sixx lança seu terceiro livro Tudo o que poderíamos ter sido, confira a sinopse 



Porto Alegre, abril de 2016. Em meio aos dias tensos que sucederam à votação do impeachment, três jovens sem planos para o futuro — ou mesmo para o presente — se apaixonam e desapaixonam, enquanto flertam com outras tentações e procuram, sem muito esforço, entender se a manjada tríade sexo, drogas e rock ‘n’ roll ainda é a única resposta para o vazio e a desesperança. Lola domina a noite da cidade como uma rainha, entornando toneladas de drinques enquanto digere uma paixonite por um cara que não lhe dá notícias. César tenta se adequar aos novos tempos, que ele não quer realmente compreender, pois deseja, no fundo, que tudo seja simples como antes. Júlia quer se reinventar, após se ver forçada a terminar um relacionamento por divergências políticas. “Tudo o que Poderíamos Ter Sido” é a fotografia de uma geração já nem tão jovem assim, cujo maior pesadelo é simplesmente amadurecer.

Livro no site da Editora Coralina e no Skoob .

Se quiser conhecer um pouco mais do trabalho do autor, clique aqui.

3 comentários:

  1. Oi, tudo bem?
    Eu não conhecia esse livro ainda, mas fiquei super curiosa para ler. Primeiro pelo contexto, logo após o impeachment. Segundo que parece abordar questões enfrentadas por muitos jovens e quero ver como isso foi retrato no livro. Adorei a indicação e vou adicionar na lista de desejados.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Achei a premissa apresentada na sinopse muito interessante e com certeza é um livro que desperta interesse em ler.

    Cheiros
    Tânia Bueno

    ResponderExcluir
  3. Já ouvi falar dessa obra, mas confesso que não me chama muita atenção. De qualquer forma, para quem curte o gênero, certeza que vai adorar!

    Beijos,
    Blog PS Amo Leitura

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma