Header Ads

Daqui dou o viver já por vivido / Olga Savary

 


Sextilha Camoniana

 

Daqui dou o viver já por vivido.

Quero estar quieta, sozinha agora,

igual a uma cobra de cabeça chata,

ficar sentada sobre os meus joelhos

como alguém coagulado em outra margem.

Daqui dou o viver já por vivido.

 

(Olga Savary, 1933 – 2020, foi escritora, poeta, contista, romancista, crítica, ensaísta, tradutora e jornalista brasileira)


16 comentários:

  1. Olá!
    Achei um poema de despedida, de um dia findado, ou de uma vida ceifada. De certo modo, tranquilo, mas melancólico.
    bjos
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir
  2. Ai que poema bonito.
    Parece uma carta de despedida de alguém, mas ao mesmo tempo que é triste, é algo muito sincero e puro.
    adorei a escolha, muito boa!

    ResponderExcluir
  3. Olá, tudo bem? Não conhecia essa poeta ainda, mas achei o poema bem melancólico, e fiquei curiosa para ler mais coisas dela.

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
  4. Olá,
    Achei triste, como se fosse uma despedida.
    Aos poucos estou tentando entrar no mundo da poesia, mas não é algo fácil rs.

    ResponderExcluir
  5. Oiii!

    Que lindo e triste ao mesmo tempo... Gostei da divulgação!

    Beijinhos,
    Ani
    www.entrechocolatesemusicas.com.br

    ResponderExcluir
  6. Interessante,um poema bem curtinho que nos faz pensar em muitas coisas, vou dar um google na autora.

    ResponderExcluir
  7. Olá! Eu não tenho o costume de ler poesias e achei o texto muito bonito e melancólico! Esse ano li algumas que me emocionaram muito e recomendo eles para você, estão escritas no livro "Tudo Nela Brilha e Queima".

    ResponderExcluir
  8. Não tenho o hábito de ler poesias, mas gosto como elas passam diversas emoções através das palavras. Essa eu ainda não conhecia.

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma