Header Ads

teu rosto é semelhante à noite / al berto

 

escrevo-te

pelo corpo sinto um arrepio de vertigem

que me enche o coração de ausência pavor e saudade

teu rosto é semelhante à noite

a espantosa noite de teu rosto!

corri para o telefone mas não me lembrava do teu número

queria apenas ouvir a tua voz

contar-te o sonho que tive ontem e me aterrorizou

queria dizer-te porque parto

por que amo

ouvir-te perguntar quem fala?

e faltar-me a coragem para responder e desligar

depois caminhei como uma fera enfurecida pela casa

a noite tornou-se patética sem ti

não tinha sentido pensar em ti e não sair a correr pela rua

procurar-te imediatamente

correr a cidade duma ponta a outra

só para te dizer boa noite

ou talvez tocar-te

e morrer. 


(Al Berto, 1948 - 1997, pseudónimo de Alberto Raposo Pidwell Tavares, foi um poeta português.)


Nenhum comentário

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma