Header Ads

Resenha – Triângulo no ponto

 



Triângulo no ponto, de Eros Grau, Editora Nova Fronteira, foi uma de minhas trocas no sebo aqui da cidade. Esse também foi meu primeiro contato com o autor, até então, totalmente desconhecido para mim. O ex-ministro do Supremo Tribunal Federal explora em seu primeiro romance o que se tenta socialmente jogar na sombra.



Conhecido por ser um romance erótico, Triângulo no ponto, traz a história de três homens diferentes, Rogério, Xavier e Costa, envolvidos no mesmo cenário, o ápice da Ditadura Militar. A repressão da época é revisitada por cada personagem e suas percepções mais instintivas e primitivas são exploradas nesse cenário.

 

“Éramos felizes, não havia maconha nem drogas ao nosso alcance. Nem computadores à nossa disposição. por isso éramos mais livres, naturais. Nossa tragédia pessoal estava em sofrermos de um mal de classe imprensada entre a dos ricos nos atazanando, nos empurrando para baixo, sem nos aceitar em seus weekends, e a classe operária, em cujo nome uns poucos se arrogavam o privilégio de falar e que a maioria desdenhava”.  

 

Os três personagens são por essência provocadores e desafiadores, se encontram no tempo pela vivência comunista na Ditadura, por serem da mesma geração, formação acadêmica, amor à poesia, paixões e o próprio amor. Eles se distanciam pelas escolhas, o rumo que a vida de cada um segue afetada pela repressão quase trinta anos depois.


12 comentários:

  1. Nossa, confesso que também nunca tinha ouvido falar desse livro, mas adorei o contexto. Atualmente eu tô lendo um romance lésbico que se passa na ditadura também e tô gostando bastante da ambientação.
    Já tô aqui pesquisando mais sobre esse livro, parece ser uma leitura super intensa e emocionante, já quero! Adorei a dica!

    ResponderExcluir
  2. Caramba, Lili. Que belo achado de sebo. Nunca tinha ouvido falar mas ja quero ler assim qhe possível. Tu sabe que eu curto tramas ambientadas nesse período.
    Deve ser uma leitura formidável.
    Tschüss

    ResponderExcluir
  3. Caramba, Lili. Que belo achado de sebo. Nunca tinha ouvido falar mas ja quero ler assim qhe possível. Tu sabe que eu curto tramas ambientadas nesse período.
    Deve ser uma leitura formidável.
    Tschüss

    ResponderExcluir
  4. OIieee

    Eu não conhecia esse livro, fiquei curiosa e interessada por causa dos personagens e do período histórico retratado, é sempre bom entender o que foi a época da Ditadura pra gente aprender e acho que com três perspectivas diferentes deve ser bem envolvente. Nesse momento não sei se leria porque ando super desapegada de leituras assim, mas quem sabe futuramente.

    Beijos, Ivy

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  5. É incrível como sebo sempre nos rende excelentes achados, né? Hahaha eu nao conhecia a obra e pra ser sincera não sei se compraria por puro impulso, mas agora lendo um pouquinho mais me peguei bastante curiosa a respeito dessa narrativa.

    ResponderExcluir
  6. Olá.
    Não conhecia o livro e nem o autor, mas fiquei curiosa para saber como autor transformou um livro erótico dentro de um tema e uma época tão pesadas. Gostaria de ter tido um pouco mais das suas sensações e sentimentos com a história, para saber o que posso esperar, mas, mesmo assim, gostei da resenha e fiquei instigada a procurar sobre o livro.

    www.sonhandoatravesdepalavras.com.br

    ResponderExcluir
  7. Olá!

    Adoro trocas em sebos, pena que estou desfazendo dos meus livros físicos e não tenho mais ido (devido a pandemia também). Achei a premissa interessante, mas um pouquinho confusa, não sei se faz meu tipo e como é meu primeiro contato com a obra e com o autor não tenho com o que comparar. Vou dar uma olhadinha por ai e quem sabe eu não me interesse mais.

    Beijos
    leitura-terapia.blogspot.com

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma