Header Ads

Resenha – Tudo o que poderíamos ter sido

 

ILUSTRAÇÃO DE SR. GARCÍA


Tudo o que poderíamos ter sido, de Zeka Sixx, Editora Coralina, era o livro da leitura de fevereiro, mas, antes disso, se mostrou uma leitura tão rápida e fluída que foi prematuro, ou uma rapidinha, entendedores entenderão.

 

Classificado como literatura pornográfica ou erótica, o livro promete desde a sinopse e não engana, é sexo, droga e rock. Ainda na sinopse, como bem colocado, três personagens imaturos, que, ao que parece, lutam para permanecerem no lugar de jovens, são o retrato de uma geração (diga-se de passagem, uma parcela).

 

No primeiro capítulo, quando o leitor se depara com a personagem Lola, o humor ácido, erotismo e exibicionismo são características bem exploradas com diálogos estruturados o que torna a leitura tão rápida quanto a rapidinha da própria personagem, com a diferença que a rapidinha dela é de merda (entendedores entenderão), já a do leitor, é: quero mais. Lola, apesar de cativante, é só uma jovem sofrendo por uma paixão de cu.

 


César é a típica ‘desgraça da humanidade’, o perfeito filhinho de papai formado em direito, o condicionamento familiar da vida perfeita, profissão perfeita e essa merda toda, mas que para ele também é bastante confortável. afinal,  papi e mamis pagam todas as despesas extras, o salário do sacana é para sexo e farra.

 

Por fim, e não menos sacana, poderia dizer a doce e romântica Júlia, mas, estaria mentindo, não é por ter terminado o namoro acertadamente por questões políticas e sofrer por isso, que a torna menos ‘porra louca’ que os outros ou fútil.

 

O ‘porra louca’ para descrever os personagens é apenas um adjetivo para também sua liberdade sexual, não há razão para serem pudicos e isso não os torna excêntricos. Há, de forma marcante, a liberdade sexual das mulheres em relação ao sexo expresso nas personagens, ao menos na ficção, elas podem e não é isso que as define. E talvez essa liberdade tão bem expressa torne a obra imoral para muitos, principalmente os românticos.

 

Apesar disso, esses personagens fazem parte de um contexto histórico, geográfico, econômico, social. Estão imersos nesses contextos a ponto de mudar a vida deles, em comum, eles possuem a inabilidade para enfrentar os problemas da vida adulta e a classe social deles reverbera nisso.

 

O sexo colérico é explorado em sua forma crua e contribui para trazer a característica máxima dos personagens, eles são o que são e isso significa que eles não estão preocupados em ser politicamente corretos ou agradar. Apesar de não saírem do lugar de conforto, eles têm fome de tudo e são a geração da mente punhetera. Vale frisar que, apesar dos personagens, o livro é para adultos em corpo, mente, espírito, intelecto, etc. Ou seja, amebas acima dos 18 anos podem se escandalizar, ter um infarto e morrer. 

6 comentários:

  1. uhauahsuashuasha pensando nas amebas ashaushauhu
    perfeita tua colocação na resenha.
    Foi um leitura bastante fluída pra mim tbm.
    Zeka manja muito bem nos diálogos de seus personagens <3

    ResponderExcluir
  2. Oi Lilian!!

    Menina eu dei uma gaitada tão alta com a primeira frase da resenha hahahahah e depois que fui lendo o resto dela fui rindo ainda mais e adorando tudo o que estava lendo, eu não conhecia esse livro, mas, com essa temática eu estou totalmente interessado por ele agora!! Amei a resenha!!

    Beijos!
    Eita Já Li

    ResponderExcluir
  3. Oi Lilian!!

    Morri de rir com seu texto HAHAHAHAH Parece ser uma leitura bem peculiar e bem legal de se fazer, não conhecia o livro mas agora já tô precisando dele pra ontem! Adorei teu texto, ficou incrivel!! <3

    ResponderExcluir
  4. Oi Lilian.

    Amei sua resenha e como eu ri dela também. Principalmente como você apresentou os personagens e os assuntos que o livro aborda, até fiquei com vontade de conferir este livro de perto. Vou adicioná-lo na lista de desejados. Parabéns pela resenha.

    Bjos

    ResponderExcluir
  5. Olá, tudo bem? Eita que parece um assunto intenso. Apesar de sempre estar acostumada a ler livros eróticos, parece que esse traz uma perspectiva diferente. O que me deixa instigada. Gostei do que a obra aborda, por isso quero ler. Ótima resenha!
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Oi Lilian, tudo bem?
    Esse não é só mais um romance hot, senhoras e senhores. É algo muito além e isso me soa bem interessante, considerando a quantidade de livro parecido nesse ponto que pipoca na Amazon e no Wattpad, alguns sendo o topo do top do trash. Esse sem dúvida tem um diferencial forte.
    Um beijo de fogo e gelo da Lady Trotsky...
    http://wwww.osvampirosportenhos.com.br

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma