Header Ads

Resenha – O que é mito #ProjetolendoPrimeirosPassos

 

 “Medusa” de Jacek Malczewski


Segundo o autor Everaldo Rocha, no livro O Que é mito, Editora Brasiliense, “O mito é uma narrativa. É um discurso, uma fala (..)”, ou seja, a forma como socialmente nos expressamos e nossas relações sociais. Apesar disso, o autor também afirma que construir o conceito de mito não é tão definitivo e fácil.

 

Mas, o mito é também um fenômeno de difícil definição. Por trás dessa palavra pode estar contida toda uma constelação, uma gama versificada de idéias. O mito faz parte daquele conjunto de fenômenos cujo sentido é difuso, pouco nítido múltiplo. Serve para significar muitas coisas, representar várias idéias, ser usado em diversos contextos. Qualquer um pode, sem cerimônia, utilizar a palavra para designar desde o "mito" de Édipo ao "mito" Michael Jackson, passando pelo "mito" da mulher amada ou da eterna juventude. O mito é também uma palavra que está em moda. Um conceito amplo e complexo, por trás de uma palavra chique.

 

Assim, para compreender melhor esse conceito, é preciso antes uma análise mais detalhada, segundo o autor, “montar um quebra-cabeça”, para que a própria noção de mito não se perca em qualquer discurso, em qualquer narrativa. De forma que a primeira reflexão proposta por Rocha é o conceito do Dicionário Aurélio em que o mito não tem uma linguagem direta, é permeado de sentido figurado, faz parte da vida social, histórica e/ou filosófica de um povo.

 

Há um outro ponto da definição do dicionário que parece importante. É o que ele chama de sentido figurado. O mito é uma "coisa inacreditável". Algo "sem realidade". Em outras palavras: o mito é mentira. Este é um dos usos mais freqüentes da palavra no cotidiano. Ouvimos constantemente frases como: "Ah! isso é mito". Como quem diz que isso é mentira, "cascata", coisa irrelevante. Outra frase muito comum é "esses são os seus mitos particulares", no sentido de ser o seu delírio, ou a sua viagem ou a sua fantasia. Se, por aí, o mito está identificado com a mentira, evidentemente ele é o oposto da verdade. Quem fala o mito não fala a verdade.

 


Nesse caso, a análise do mito não é unilateral sob o prisma da verdade ou mentira, mas sob uma eficácia interpretativa tão comum, por exemplo, na Psicanálise, Antropologia, Psicologia Analítica, etc.

 

Em última instância, a própria idéia de verdade é um conceito discutível. Muitos pensadores acreditam que ela não exista e que o que chamamos verdade não passe, no fundo, de uma versão bem-sucedida sobre um determinado acontecimento. Nesse sentido, procurar saber se o mito diz estritamente a verdade torna-se uma tarefa, na melhor das hipóteses, inútil.

 

Dessa forma, o autor considera três pontos fundamentais na compreensão do mito: origem, verdade e interpretação; saindo do foco do que é mito para quem é o mito. “Uma sociedade se expressa e uma forma existencial se perpetua, é o mito com seus enigmas e desafios”. Somente com o "trabalho de campo" que o mito ganhou novas noções de estudos, visto que se estuda a sociedade em seu dia a dia, assumindo três dimensões: "naturalista", "animista" e "mito e ritual" como esforço de compreensão intelectual sobre o mito.

 

O mito, como vimos, não possui sólidos alicerces de definições. Não possui verdade eterna e é como uma construção que não repousa no solo. O mito flutua. Seu registro é o do imaginário. Seu poder é a sensação, a emoção, a dádiva. Sua possibilidade intelectual é o prazer da interpretação. E interpretação é jogo e não certeza.

 

O autor, ao longo do livro, dialoga com várias vertentes para explicitar como o mito se materializa e é uma veia social, existe, é real e se alimenta da nossa capacidade interpretativa.

 

Este livro foi selecionado para Leitura do Projeto Primeiros Passos em parceria com o blog Na Literatura Selvagem, que resenhou o livro O que é Cultura, de José Luiz dos Santos, para acompanhar essa e outras resenhas, clique aqui.


20 comentários:

  1. Oi Lilian, sua linda, tudo bem?
    Essa é uma boa indicação para obter conhecimento. Ainda lembro dos tempos de escola, dos trabalhos em grupo, em que fazíamos pesquisa na biblioteca. Muito legal o projeto de vocês. Sua resenha ficou ótima.
    beijinhos.
    cila.

    ResponderExcluir
  2. Ah, eu ADOREI esse tema e a forma como discorreu a respeito do livro escolhido. Eu concordo bastante com o autor a respeito de como definir o Mito. Fantástico!!! São tantas formas de encarar, de enxergar, de acreditar e de criar mitologias. Fiquei fascinada com a resenha.
    Beijocas

    ResponderExcluir
  3. Muito bom saber mais sobre mito confesso que muita coisa eu não sabia. Amando esse projeto.

    ResponderExcluir
  4. Oie, Lilian! Muito legal esse seu projeto com a Val. Achei seu tema da vez muito interessante. Essa obra, com toda uma análise sobre Mito e suas definições. Fiquem bem reflexiva e curiosa a partir do seu texto.

    ResponderExcluir
  5. Uau. Achei super interessante abordar um assunto tão instigante quanto o conceito amplo do que é mito. Acho bacana explorar o conceito que vai além da forma como socialmente nos expressamos e nossas relações sociais. Ótimo saber mais sobre.

    ResponderExcluir
  6. Tem tantos anos que li esse título, mas infelizmente não tenho uma edição física dele. Achei genial da primeira vez que li. Mlr, tô tão empolgada com nosso projetinho hehehe
    Toda vez que escuto o termo, só lembro daquela desgraça que tá no poder e o quão simbolico se torna o MITO em ser uma mentira, a "Cascata".

    Küss tschüss

    ResponderExcluir
  7. Gostei muito de como é visto o mito , como ele pode ter várias formas além da que nos vemos no cotidiano , como é criado as mitologias. E esse projeto é simplesmente incrível.

    ResponderExcluir
  8. Deve ser uma leitura super construtiva. Mas o ideal para entender a definição de mito é compreender a mudança do pensamento, a multiplicidade do termo se deriva do fato que "mythos" significava discurso. Discurso puro e simplesmente. Mas, com o decorrer da mudança do pensamento na Antiguidade, "lógos", que provém de "légo", verbo dizer, também significando "discurso", trouxe uma outra concepção da construção do discurso e aí foi se indo. Muito bom, deve ser uma leitura maravilhosa.
    Mas mito, como você mostrou, está longe de significar mentira (algo que entendemos hoje).

    ResponderExcluir
  9. Eu adorei conhecer um pouco sobre o que significa mito, eu não sabia muita dessas coisas. Já estou interessada em aprender mais e também conhecer essa obra, as citações foram incríveis.

    ResponderExcluir
  10. Olá, muito pertinente e atual essa discussão sobre mitos, é bom observar o quanto pode ser dúbio esse conceito e o como muitas pessoas usam de forma equivocada. Abraços.

    ResponderExcluir
  11. Olá!

    Nunca tinha parado para pensar realmente no significado da palavra e nem no seu uso banalizado no nosso dia a dia, cheio de "mitos". Vou procurar esse título e me aprofundar mais, pois achei seu post muito interessante e instrutivo.

    Beijos
    Leitura Terapia

    ResponderExcluir
  12. Olá, achei a leitura totalmente diferente de tudo que já vi na literatura, fiquei super curiosa para ler e conhecer mais, gostei bastante das considerações feitas sobre a obra.

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma