Header Ads

Resenha – Vidas Secas – Projeto Literatura: Veredas

 


Recentemente, o Poesia na alma juto com os canais @Lendoebebendo, @NaliteraturaSelvagem e @somaisumaleatorio se uniram em prol da Literatura Clássica Nacional. Com o projeto Literatura: Veredas, idealizado @NaliteraturaSelvagem e @somaisumaleatorio e organizado por todos, a cada dois meses, lemos um Clássico e fazemos um bate-papo ao vivo no YouTube. O primeiro livro escolhido foi Vidas Secas, de Graciliano Ramos, publicado originalmente em 1938.

Em Vidas Secas, os capítulos são independentes, pois, sua publicação inicial foi em forma de contos para um jornal da época. O primeiro conto foi Baleia que, em virtude do sucesso, fez com que Graciliano contasse a história dos outros componentes da família. Apesar das veias que ligam os capítulos, eles podem ser lidos de forma independente. 

O autor retrata a vida de Fabiano, Sinhá Vitória, os dois filhos, um papagaio e Baleia, a cachorra, fugidos da Seca, no Sertão Nordestino, tentando encontrar um lugar que para sobreviver. Durante a caminhada, já exaustos e angustiados pela forme, cercados de urubus também famintos, decidem comer o papagaio. até que encontram uma terra para se assentar e Fabiano consegue um emprego como Vaqueiro.


Fabiano é um homem rústico e de poucas palavras, não teve acesso a educação formal e não pode oferecer isso aos filhos. Sinhá Vitória sonha com uma cama mais confortável para dormir. E os filhos, sem nome, sofrem a aflição de não saber o que é o inferno. Por fim, Baleia que é considerada um membro da família.



Graciliano por meio das imagens e descrições das cenas explora aspectos psicológicos da miséria, do sentimento de não pertencimento, da esperança, segurança, a exemplo da cama de Sinhá Vitória. Assim essa família vive um ciclo de seca e chuva; vida e morte; esperança e miséria retratada na sequência dos capítulos.


Quem desejar saber mais sobre o projeto, basta entrar em contato com um dos organizadores no instagram. Quem desejar assistir a live com o bate-papo do livro, clique aqui

12 comentários:

  1. Oi!!

    Nossa, eu lembro que li esse livro quando eu tava no ensino médio, naquela época doida de prestar vestibular HAHAHAHA
    Eu não lembro muita coisa da história hoje em dia, mas até hoje eu tenho um carinho por essa história, eu gostei muito de como tudo foi contado. Adorei a ideia do projeto!!

    ResponderExcluir
  2. Oi Lilian!

    Menina eu ainda não le Vidas Secas, mas é quase uma obrigação ler esse livro, espero conseguir ler em algum momento. Sempre sofro com esses livros todos que quero ler e mas parece que e nunca tem tempo o bastante kkkkkk. Não conhecia o projeto, acredito que ele deva ter alguns livros que eu quero ler, mas, também uns que não quero tenho muita dificuldade com literatura clássica brasileira.

    Beijos!
    Eita Já Li

    ResponderExcluir
  3. Olá,
    Eu assisti a live ao vivo hehehe.
    Foi muito bom relembrar o livro e gostei muito das questões abordadas!

    ResponderExcluir
  4. Olá, tudo bem? Eita que lembrou minha época de vestibulando e li duas vezes esse livro hahaha que projeto maravilhoso e que escolha de título perfeita. Sucesso na empreitada <3
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Olá!!! Não é meu tipo de leitura, por isso não conhecia. Mas gostei muito da resenha e achei bem o interessante, quem sabe eu não leia futuramente.

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Olá!!! Não é meu tipo de leitura, por isso não conhecia. Mas gostei muito da resenha e achei bem o interessante, quem sabe eu não leia futuramente.

    Beijos

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma