Header Ads

Resenha ~ Flores de Alvenaria

 



Sérgio Vaz é conhecido como o poeta da periferia e agitador cultural. Criou a Cooperifa (Cooperativa Cultural da Periferia),bem como contribuiu para criação do Sarau da Cooperifa. O que transformou a periferia de São Paulo em um centro cultural. Com livros publicados pela Global Editora, se destaca no cenário cultural do Brasil como uma das 100 pessoas mais influentes (Eleito pela revista Época).

 

Em Flores de Alvenaria, reeditado pela Global Editora, o autor reúne poemas, crônicas e contos que dialogam com a vida aqui e agora. Sua poética está. É. Está em cena como uma necessidade universal e principalmente, transgressora.

 

Enquanto o futuro não se decide,

o agora me parece uma boa opção.

 

A manifestação da palavra em Vaz revela possibilidades, talvez, ainda não sentidas ou vividas porque seu texto provoca a realidade. O dia a dia para o poeta é engenhoso, criativo e inspirador...

 

Sorrir enquanto luta é uma ótima estratégia para

confundir os inimigos.




A escrita de Sérgio delineia tão perfeitamente a realidade que se torna uma visão já conhecida e também marginalizada ao demonstrar relações sociais frágeis.

 

Muitas vezes,

quem tem a infância roubada

acaba furtando o futuro de alguém.

 

Flores de Alvenaria é também um livro de surpresas, felicidades, reivindicações, é o direito a literatura materializado, a voz da periferia que ecoa dando espaço a novos caminhos, novas histórias.  Este livro é uma homenagem ao povo da periferia, essa flor da humanidade que habita as casa de alvenaria. É uma forma de agradecer tudo que a periferia representa pra mim” (Sérgio Vaz).

8 comentários:

  1. a poesia dele é bonita. nunca tinha ouvido falar, mas fiquei encantada com a proposta da obra. sem contar essa capa bastante atrativa ^^

    ResponderExcluir
  2. Adorei conhecer um pouco do poeta e de seus trabalhos, não o conhecia mas fiquei encantada com a temática que envolve sua escrita.

    ResponderExcluir
  3. Olá,
    Gostei dos versos escolhidos, parece um daqueles livros que aquecem o coração.

    ResponderExcluir
  4. Olá. Aqui dizemos que não existe centro e periferia, cada periferia é um centro. Acho que esse livro valoriza ainda mais esse conceito de vários centros e de valorização das diversas periferias/centros. Não conhecia o autor, vai para a fila de leituras. Abraço e parabéns para o Sérgio.

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma