Header Ads

O mar de dentro é um labirinto / Adriana de Freitas

 



ALMA LITORÂNEA

 

Basta um pingo e eu transbordo:

deixo de ser Fogo e viro água.

 

O olho nem disfarça

o transparente dessa alma

que escorre

e passa lentamente

entre minhas pernas.

 

As mãos marinheiras sobre mim

navegam sem bússola

a língua encantada

vence os recifes

toma-me ilha

iça velas sobre minh'alma litorânea.

 

E meu corpo vira porto

até o cais do amanhecer.

 

 

 

ONDE ESTÁ A POESIA

 

Então, o teu beijo:

minha linha de chegada.

E eu a querer mais, no entanto.

Sou dessas que se afogam;

vivo aberta ao amor

ao mistério

e te peço:

me ensina a mergulhar

a ir mais fundo

onde está a poesia...

 

Pra onde vão as palavras

que a gente não sabe dizer?

 

Nesses instantes efêmeros

aprofundados cuidadosamente

no mistério

de nosso elo invisível

é urgente conjugar a vida

o amor

a liberdade

todos os dias

e transformar tudo

em palavra.

 

 

 

NO MAR DE DENTRO

 

Perdi as palavras de novo.

Só resta me entregar ao caminho

(meu caminho é o braço do mar)

para voltar a encontrá-las.

 

À beira do mar de Fortaleza

alguns silêncios vibram

ecoam

e se rompem

nas ondas do mar de dentro.

 

O mar da minha cidade

é de Janaína e dos botos.

O mar de dentro é dos que morrem de amor.

 

O mar da minha cidade é o meu quintal

minha memória

minha realidade.

 

O mar de dentro é um labirinto

de ruas embaralhadas

onde os amores se guardam

e as palavras se escondem.

 

Sobre a autora:

Adriana de Freitas nasceu no Rio de Janeiro, mas cresceu e se forjou no sal do mar de Fortaleza. Gosta de livros, de Beatles, Caetano e Belchior. Escreve desde a adolescência, participa de coletâneas e concursos literários, recebeu Menção Honrosa no Prêmio Off Flip de Literatura 2022. Seu primeiro livro, "Cantos de amor livre e outros pecados", deve vir a público ainda este ano. 

Contato Instagram - @adriana.m.de.freitas

28 comentários:

  1. Olha só, sou de Fortaleza e não conhecia essa poetisa. Sensível, tocante e profunda as suas letras. Gostei demais, não tenho nenhum talento para poesia, apenas para apreciá-las e Alma Litorânea é para se ler e reler e não entender, mas sentir. Grato ao Poesia por garimpar para nós essas pepitas para nós. Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa poesia, Alma Litorânea, dá vontade de abraçar e não soltar mais

      Excluir
    2. Muito obrigada, Leonardo! Que bom saber que somos conterrâneos!

      Excluir
  2. Amei as poesias, de uma sensibilidade linda e profunda. Em um mundo onde tudo é fogo acho incrível ler e reconhecer a força de ser água.

    Beijos
    Leitura terapia

    ResponderExcluir
  3. Oi Lilian, tudo bem?
    Enquanto eu lia, esse trecho me tocou: "Pra onde vão as palavras que a gente não sabe dizer?", concordo com a poeta quando diz que é urgente nos expressarmos e conjugarmos em palavras os nossos sentimentos. Quantas oportunidades não são perdidas quando não nos abrimos para a vida? Adorei a dica! Parabéns e sucesso para a autora!
    beijinhos.
    cila.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Cila! Que bom que consegui chegar até vc dessa forma! Eu digo que sim, é urgente conjugar a vida. Intimamente. Publicamente. Em tempos tão duros e difíceis, essa é a nossa revolução. Obrigada pelo carinho. Um abraço.

      Excluir
  4. Oi, Cila! Que bom que consegui chegar até vc dessa forma! Eu digo isso sempre, que é urgente conjugar a vida, diariamente. Intimamente. Publicamente. Em tempos tão duros e difíceis, essa é a nossa maior revolução. Obrigada pelo carinho. Um abraço.

    ResponderExcluir
  5. Oi, Cila! Que bom que consegui chegar até vc dessa forma. Eu digo isso sempre, que é urgente conjugar a vida, diariamente. Intimamente. Publicamente. Em tempos tão duros e difíceis, essa é a nossa maior revolução. Obrigada pelo carinho. Um abraço.

    ResponderExcluir
  6. Quanto sentimento e emoção há nessas linhas, a cada palavra lida, um ímpeto se deslocava no meu ser. Parabéns, muito lindo mesmo!!!

    ResponderExcluir
  7. Oi Adriana.

    Adoro visitar o blog porque sempre encontro poesias e poemas que não conheço. É uma ótima oportunidade de ler poesias e conhecer autores independentes e desconhecidos. Sua poesia conseguiu transmitir sentimentos profundos. Nos dias complicados que estamos vivendo sempre é bom parar um pouco para ler palavras cheias de emoção.

    Bjos
    https://consumidoradehistorias.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Oi, Kênia, que alegria ler seu comentário! Muito obrigada pela delicadeza, pelo carinho, pela atenção. Vc tem instagram? Foi lá que conheci poetas incríveis e talentosíssimos. Podíamos tentar manter o contato por lá, o que vc acha?
    @adriana.m.de.freitas
    Um abraço, e muito obrigada.

    ResponderExcluir
  9. Oie, tudo bem? Ah, que textos mais delicados. O que mais gosto em poesia é conseguir transformar sentimentos em palavras. Muitas vezes trazemos tantas coisas dentro de nós que é impossível traduzir. Quando era adolescente escrevia muito sobre como eu me sentia, mas acabei deixando esse hábito de lado. Gostei de "perdi as palavras de novo...". Um abraço, Érika =^.^=

    ResponderExcluir
  10. Oi, Erika, boa tarde! A poesia tem esse papel, muitas vezes, de externar o que sentimos. No entanto, nem sempre isso é possível, há sentimentos difíceis de traduzir. Obrigada pelo carinho. Fico na torcida para que vc retome seu antigo hábito. Um abraço.

    ResponderExcluir
  11. Aye hoje me pergunto pra onde vão essas palavras que a gente deixa de dizer...😥
    Que trabalho lindo dessa poeta. Conheci agora e quero ler mais e mais.
    Linda postagem, Lili...

    ResponderExcluir
  12. Que gentil a sua mensagem, Maria Valéria! Acredito que as palavras que a gente deixa de dizer se escondem lá no fundo do mar de dentro... há que mergulhar pra ir buscá-las. Fico muito lisonjeada e grata pela sua vontade de ler mais dos meus escritos. Você tem perfil no instagram? Podemos nos acompanhar por lá, caso queira: @adriana.m.de.freitas
    Um abraço, obrigada pelo carinho.

    ResponderExcluir
  13. Alguém que nasce no Rio e cresce em Fortaleza, com certeza tem o mar correndo solto em sua vida. Água salgada deve ser inspirador!!! Lindas escolhas.
    Abraços

    ResponderExcluir
  14. Carol Nery, vc tem razão, dentro de mim tem um mar. E é esse sal que inspira o meu caminho. Obrigada pela delicadeza, um abraço.

    ResponderExcluir
  15. Carol Nery, vc tem razão, dentro de mim tem um mar. E é esse sal que inspira o meu caminho. Obrigada pela delicadeza, um abraço.

    ResponderExcluir
  16. Nossa, muito forte cada poema. Amei!

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma