Header Ads

Outros lugares estão a me olhar | Lua Pinkhasovna

 

AQUÉM-MAR


Lá no horizonte além-mar

Outra vida

Outras pessoas

Outros lugares estão a me olhar.

 

Lá, onde as ondas quebram macias

a temperatura da água é agradável,

a poesia sai livre pelos dedos

e o canto dos pássaros faz companhia

 

Lá nas rochas, sem limo, sem aspereza

Onde a dureza corre medrosa

E fica apenas a calma silenciosa

Para ouvir as ondas fazendo orquestra sinfônica na beirada da orla

 

Lá no horizonte além-mar

Um dia ansiosa eu hei de estar

Observando o aquém-mar

À desejar estar do lado de cá.

 

By imagem Josiana Oliveiras

CALIGRAFIA

 

Eles verão
que eu inverno
e que quanto mais cedo
menos amanheço
e quanto mais morro
mais fácil são minhas subidas


Eles mares
enquanto eu rio
eles são até demais
enquanto eu fujo da sanidade
eu acendo a cada aurora
enquanto eles nem a contemplam
procurando a cada dia ascender ainda mais nas coisas terrenas


Enquanto eu concerto,
eles não ouvem
enquanto eu vazo em flores,
nos vasos de terra da vida tecendo poesia
eles preferem estar consertando seus credos
com o choque de cada espanto


Na sessão mais solene, nós selaremos um beijo
enquanto eles cerrarão os olhos
enozando cada sentimento sem cessar
atrelando como homônimos dois distintos intocáveis
o amor e o ódio
que só são semelhantes a quem jamais sentiu cada qual


Dando o ensinamento certeiro, de que na vida,

tudo vivido deverá servir para deixá-lo mais vívido
e que para ser leve, o único acerto é que se leve a certeza

de que o verdadeiro presente jamais se traz,
pois ele pesa e é difícil carregar e que o único presente é o agora
e resolver o passado ou deixá-lo de vez para trás
 
Eu cito em minha caligrafia exotérica
meu nascimento tardio, minha morte prematura,

minha incipiente vivência e todo o ensinamento esotérico de onde me situo
pois enquanto eles seguem desesperados buscando um caminho encontrar
eu caminho plácida a seguir buscando o desencontro trilhar. 


Sobre a autora: 

Maria Gabriela Cardoso, 23 anos, é gaúcha atualmente morando em Santa Catarina. Apaixonada por todos os tipos de artes, mas principalmente as que envolvem letras. Escreve contos, poesias e crônicas com o pseudônimo Lua Pinkhasovna para revistas, podcasts e antologias, assim como também para seus canais próprios intitulados Excertos Diários.  

 

Redes sociais:

Instagram - @luapinkhasovna / Blog - https://www.luapinkhasovna.ga/


8 comentários:

  1. Olá,
    Que interessante, gostei de ela usar palavras de diferentes significados, mas que pode fazer alusão a outras, ficou muito bom.

    ResponderExcluir
  2. Olá, adorei o teu estilo poético e sua habilidade de colocar as palavras, expressando o teu pensamento livre,leve e solto. Muito bom! Também gosto de escrever poesia.um abraço!...

    ResponderExcluir
  3. Nossa, tao nova e escribiendo de manera tão pungente...gostei dos versos dela.

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma