Sociedade e Literatura, por Leonardo Nóbrega




10 abril 2015


Ao ser convidado pela escritora e amiga Lilian Farias para escrever sobre Sociedade e Literatura, para o blog Poesia na Alma, me senti honrado e temeroso. Honrado por participar de um belo projeto já vitorioso e temeroso por não saber se poderia atender às expectativas dos leitores, mas, vamos lá...
            Após pensar um bocado sobre as conexões entre a Sociedade e a Literatura e tentar deixar de lado o tecnicismo, uma palavra sobrou no canto mais luminoso da minha mente: Simbiose. Um conceito da biologia/ecologia que, segundo o dicionárioinformal.com, significa uma “relação de benefício sem perdas entre espécies diferentes.” Talvez as “espécies” nem sejam assim tão diferentes, acho até que no nosso caso elas estão mais para irmãs siamesas: podem até ser separadas, porém nasceram grudadas e dependentes uma da outra. Não se constrói uma sociedade sem literatura e a sociedade e suas relações são a matéria prima da literatura. Embora possamos encontrar vagando por aí algum Zaratustra nitiano que tenha passado vários anos meditando sozinho com a serpente e a águia, mesmo esse necessitará da sociedade, pois ele medita e escreve sobre ela e para ela. Afinal a
literatura não é tão somente a escrita, mas principalmente a leitura. Uma obra literária só existe, reverbera e tem sentido se for lida, assimilada e transformante. A literatura tem a estranha mania de causar terremotos, abalar a as entranhas da sociedade e modifica-la em suas estruturas. Não por acaso várias obras em vários países e em todas as épocas foram proibidas. O paciente leitor sabia que em 1976 uma apresentação de Romeu e Julieta, de William Shakespeare, foi proibida no Brasil por ser apresentada pelo Ballet Bolshoi, que é russo, portanto comunista? E que somente em 1966 o Vaticano deixou de publicar o Index Librorum Prohibitorum, que relacionava os livros proibidos desde 1559? Pois é!
            A literatura é perigosa, ela tem efeitos colaterais que não satisfazem a todos. Uma sociedade atravessada pela literatura é mais desenvolvida intelectualmente, é mais crítica, produz uma sensibilidade mais apurada o que a leva a desenvolver um gosto maior também por outras formas de artes, que por sua vez, somadas à literatura, contribuirão para um processo de maior consciência e liberdade.


            Não posso concluir essa breve divagação sem pontuar o caráter de registro histórico que a literatura faz da sociedade, embora os romances, poesias, contos e outros gêneros literários não tenham como fim retratar uma época ou lugar com a exatidão de um trabalho científico, muito podemos inferir de um povo, de um espaço e dos costumes de um período pelas páginas dos livros. Os clássicos em especial nos dão a mais clara ideia de como a sociedade vivia, quais suas relações com o ambiente (também descrito nas obras) e entre as pessoas. Qual o modo de vida e as tecnologias acessíveis em cada época. Lendo as obras de autores como José de Alencar, Carlos Drummond de Andrade (Como conhecer Itabira sem os poemas de Drummond?) e Júlio Verne, que mesmo sendo um visionário (Da Terra a Lua) retratou em seus livros fatos e lugares com riqueza de detalhes como no excepcional A Volta ao Mundo em 80 Dias. É impossível não sermos transportados para a época em que a história é ambientada. Não tem como não se sentir cercado pelo fog quando acompanhamos Sherlock e Watson resolvendo algum mistério na madrugada londrina ou não sentir o sol escaldante do sertão cearense e a fome acompanhando o vaqueiro Chico Bento e sua família cumprindo sua sina de retirantes.
Sociedade e Literatura ou Literatura e Sociedade? Não importa, uma não existe sem a outra. Atrevo-me a colocar uma interrogação na frase atribuída a Oscar Wilde: “A vida imita a arte muito mais do que a arte imita a vida (?)"

Saudações literárias

Sobre o autor






Publicou os livros Outros Tempos e Crimes do Tarô (ver resenha aqui)

19 comentários:

  1. Oi Lilian!
    Que luxo ter o Leonardo aqui contribuindo para o Poesia na Alma. Excelente abordagem do Leonardo. A literatura abre nossos horizontes, permite nos expressarmos melhor, escrever melhor, vê a vida sobre um novo prima através do olhar do escritor. E é bem interessante algo que ele destacou quanto ela representar sim uma época, querendo ou não o escritor ao criar uma estória termina por expor nela um pensamento da época e isso é uma forma sim de podermos analisar os valores e pensamentos em cada período da História.
    Realmente adorei a análise.

    Bjs

    www.blogandolinhas.com.br

    ResponderExcluir
  2. "Afinal a literatura não é tão somente a escrita, mas principalmente a leitura. Uma obra literária só existe, reverbera e tem sentido se for lida, assimilada e transformante. A literatura tem a estranha mania de causar terremotos, abalar a as entranhas da sociedade e modifica-la em suas estrutura"
    Muito bom! É um grande prazer ver um texto com um conteúdo tão rico aqui em terras blogueiras, não é mesmo? Especialmente este trecho que destaquei me fez pensar: Não só a literatura tem este poder, como qualquer tipo de arte! Desde que o objeto em questão (livro, filme, peça teatral, pintura, etc) não exista meramente por questões comerciais, desde que ele tenha um propósito real, sua capacidade de transformação e influência é enorme.
    Um abraço,
    www.literasutra.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade!
      Seu comentário fez-me lembrar do Romero Brito....

      Excluir
  3. Olha só, que texto incrível, adorei. Muito bem desenvolvida.
    "A literatura é perigosa, ela tem efeitos colaterais que não satisfazem a todos."
    Quando li este trecho, não pude deixar de pensar naquele ditado "conhecimento é poder" literatura é conhecimento, então.

    Um beijo, www.prettythings.com.br

    ResponderExcluir
  4. Uau , texto cheio de propriedade,
    adorei, eu realmente me entrego a histórias, leio vou de 8 a 80,
    e fiquei encantada com aforma que você descreve o leitor, as vezes me vejo vivendo histórias as vezes me vejo fazendo a história . E pessoas que leem por amor se entregam a histórias, eu creio que se tornam mais humanas , mais vivas, com aquele olhar de encanto.

    ResponderExcluir
  5. Adorei o texto e a participação , adoro seu blog, sempre com novidades incríveis, bjus

    ResponderExcluir
  6. tbm acredito no poder de influência que algumas obras possuem sobre a sociedade e seus indivíduos. Impossível não lembrar do caso Werther, que levou ao suicídio vários de seus leitores na época em que foi lançado. eu penso que os livros podem mudar a percepção das pessoas e despertar o senso crítico delas... ótima análise que você escreveu ^^
    Concordo quando quando você também sobre através dos livros saber mais ou menos como viviam as pessoas em determinada época. Eu que ensino História volta e meia procuro em literatura uma saída para explicar a meus alunos algum fato que está sendo visto em sala, pra que eles vejam por outra percepção, de mais fácil assimilação...


    bjs...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Menina, passei a semana tentando lembrar do Werther hehehehehhee
      Na faculdade, estudamos Literatura e História, um dos livros estudados foi O Quinze.

      Excluir
  7. Concordo plenamente com este texto.
    Por exemplo a obra que eu li recentemente "O Quinze" retrata muito bem um período triste do sertão brasileiro, e podemos claramente ver as dificuldades e como era a sociedade em 1915.
    Gosto de livro que nos remetem a uma época, são sem dúvida os melhores.

    www.booksever.com.br

    ResponderExcluir
  8. Parabéns pelo texto, foi muito bem escrito e pensado
    Realmente, sociedade e literatura uma não exite sem a outra, neste mundo em que vivemos, sem a leitura não teriamos conhecimentos em nada, por isso a arte de ler é importante.
    Gostei muito
    bjs

    ResponderExcluir
  9. Olá, Leonardo! Parabéns pelo texto, simplesmente incrível. E concordo com você, quando diz que a literatura pode ser perigosa. E como pode. Quantos mais seres pensantes, teremos uma sociedade mais crítica. E a literatura pode influenciar muito também,acredito, melhor dizendo, que influencia e muito. Tanto os clássicos como os contemporâneos. Através deles conseguimos ter uma visão geral e comparar passado e presente. Eu amo Literatura. rs,

    Abraços...

    ResponderExcluir
  10. Muito interessante este texto e as reflexões advindas dele que vem bastante de encontro com minha concepção de literatura, livro guardado não serve de nada e se o leitor não conseguir ultrapassar as letras impressas ai então piorou, engraçado que mais uma vez noto minha sincronia com o poesias rsrs ...me senti privilegiada pela oportunidade de ler mais um belo trabalho no blog .. parabéns ao colunista.. parabéns Lilian bjs
    http://florroxapoemasepoesias.blogspot.com.br/
    http://florroxapoemasepoesias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Olá Leonardo e Lilian,

    Texto lindíssimo e que merece ser lido relido e compartilhado...parabéns e que venho outros...abraço.

    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  12. Oi, tudo bem?
    Lendo esse texto eu percebo o quanto tenho para aprender, tantas informações para obter. Por exemplo, eu não sabia que essa apresentação de Romeu e Julieta havia sido proibida no Brasil, e quanto aos clássicos: eu amo a forma como eles me transportam para a época em que foram escritos, mostrando como era a sociedade na época.
    Bjs

    A. Libri

    ResponderExcluir
  13. Nossa! Sem palavras, esse artigo precisaria ser lido por todos. A literatura é perigosa, porque nos faz pensar, e quando pensamos somos livres para decidir o certo e o errado. Não é a toa que governo tiranos temem aqueles que pensam e expressam seus pensamentos, e esses só pensaram e se expressaram porque leram. Sem palavras mesmo! Abraços.

    ResponderExcluir
  14. Gostei muito da sua abordagem sobre a literatura na sociedade. Particularmente eu acho que o movimento literário teve grande influência em vários fatos históricos do nosso próprio país, assim como no mundo. Acredito que hoje, as pessoas tenham perdido a noção de como o mundo literário pode influencia na maneira de pensar de uma pessoa.
    Achei brilhante a forma como você expressou o seu ponto de vista.

    http://laoliphant.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Adorei o texto do Leonardo!
    Realmente, a literatura envolve a arte de escrever/registrar e a arte de ler. O que seria da nossa sociedade sem a possibilidade da escrita, quando claramente é por meio dela que produzimos grande parte da nossa cultura? E o que seria da nossa imaginação sem a criatividade alheia, narrada por meio de um conjunto de palavras que alcança diferentes leitores? Ah, adoro a literatura. Achei o texto formidável!

    Beijos!
    http://www.myqueenside.blogspot.com

    ResponderExcluir
  16. Que texto lindo! Fiquei aqui pensando sobre as nossa teias... O quanto as coias em nossas vidas são ligadas e muitas vezes não percebemos. Saudações ao autor pela construção. Me fez refletir bastante!

    Abraço!

    www.pensamentosvalemouro.com.br

    ResponderExcluir
  17. Olá!

    Estou completamente apaixonada pelo texto. Ele é maravilhoso e mostra uma coisa que muita gente não vê, mas que estão totalmente ligadas e que interagem. Ótimo texto, amei!

    http://loucurasaovento.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma

 

Fanpage

Seguidores

Compre aqui

Compre aqui
Livro Mulheres que não sabem chorar

Curta também:

De olho

Arquivo do Blog

Direitos autorais

Google+ Followers

Autora dos livros O Céu é Logo Ali, Mulheres Que Não Sabem Chorar e Desconectada. Em seus livros ela aborda temas como sexualidade, liberdade, amor, preconceito, homossexualidade, violência sexual, alcoolismo, etc. A escritora mantém um blog literário e trabalha com educação.

Siga-nos por e-mail

Copyright © 2015 • Poesia na alma