Resenha - O Juramento dos Vayuputras




11 dezembro 2015


A Trilogia Shiva manteve o mistério até o último segundo, ou a última página, se assim preferirem. Esta não é uma resenha fácil, pois além de ser o último livro, logo, se eu escrever demais, acabarei por dar spoiler, a obra tem o poder mistificador de tirar da zona de conforto, de tal forma, que já estou me programando para um releitura num momento seguido de meditação.

Para além de uma grande aventura, a Trilogia consegue ser informativa, desvelando hábitos e modos de uma cultura que erroneamente na mídia brasileira, geralmente, é colocada como excêntrica; representando o caos e cosmo como uma corrente harmônica do equilíbrio dos princípios vitais.


Em O Juramento dos Vayuputras, Trilogia Shiva 3, de Amish, Editora nVersos, Shiva toma consciência da tênue linha entre o bem e o mal, isso faz com ele, Shiva, decida lutar contra aquilo que é daninho a Índia, fazendo com que uma avassaladora sucessões de batalhas tomem conta da Índia, o que torna o livro bem mais eletrizante, diferente de Os Imortais de Meluha (Ver resenha aqui) e O Segredo dos Nagas (Ver resenha aqui).

Não é pertinente esperar finais romantizados com um enredo forte e visceral, tanto Shiva quanto os que o rodeiam carregaram o ônus de tantas batalhas...  “Diz a Lenda que, apesar das repetidas tentativas de sua família, ninguém nunca viu Shiva sorri novamente após aquele diz terrível em Devagiri.” Muito bem colocado nas últimas linhas do livro, o fim da guerra não é uma Jaya, ou vitória. Não existe vitória numa guerra, como é ensinado na cultura Ocidental, o que se encontra em suas entranhas é morte.


O contato com o conhecimento e a espiritualidade é o que vai nortear a obra, dando significado ao Cit (Consciência), onde matéria e consciência são unas. A sucessão de acontecimentos e diálogos da trilogia evidencia que nada será como antes. Morte e vida, vida e morte dão a pulsação rítmica do criar – destruir – recriar. Como disse nas resenhas anteriores, não gosto de cinema, mas, como a Trilogia vai virar filme, terei, que, por um momento, esquecer desse não-gosto e já aguardo ansiosa pela adaptação cinematográfica. Também já expressei que não possuo afinidade com séries, trilogias e afins, em muitos casos, elas pouco se explicam e acabam gerando desgastes ambientais, mas, nesse caso, a Trilogia Shiva ganhou todo meu respeito em cada página. 

10 comentários:

  1. Heey!
    Eu ainda não conhecia o livro, mas fiquei fascinado pela premissa <3
    Acho que em breve irei conhecer a Trilogia Shiva haha
    Abraços!
    Blog - Desbravando o Infinito

    ResponderExcluir
  2. Esse livro parece ser bem complexo e profundo,cheio de reflexões. Não sei se leria,até gpsto de livros ambientados na India,mas essa coisa de guera não chama muito a minha atenção. Acho que vou ver o filme e ver se gosto da premissa,se sim,vou atrás do livro....

    bjss

    Apaixonadas por Livros

    ResponderExcluir
  3. Oiê
    Eu já vi vários comentários sobre esse Trilogia! e sou muito fã das capas, kkkk! Achei bem legal a sinopse do livro um e espero poder comprar os livros em breve
    bjks

    ResponderExcluir
  4. WAAH, quase caí da cadeira quando vi o tema da resenha, porque coloquei minhas mãozinhas nessa trilogia recentemente, mas ainda não estava convencida sobre dar início a leitura. Sua resenha foi o que eu precisava, fiquei curiosíssima!
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  5. Não conhecia a trilogia e por não ser um gênero que eu curto muito, não sei se leria. "Não existe vitória numa guerra, como é ensinado na cultura Ocidental, o que se encontra em suas entranhas é morte." é muita verdade para um trecho só, hehe. Gostei bastante de saber sua opinião sobre o livro e os pontos que ressaltou, sem dar spoilers dos outros livros.
    Beijo!

    ResponderExcluir
  6. Sua resenha ficou perfeita. Só aumentou mais minha ansiedade por esse último livro. Ler os dois primeiro livro foi uma das melhores coisa que fiz esse ano. Sai um pouco da cultura ocidental e me deliciei com uma cultura tão grandiosa como a da Índia. Foi mágico, foi conhecimento. Foi rever conceitos antes formados.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Adorei a resenha!

    Confesso que o final deste livro é de chorar...mas eu achei ele incrível mesmo sendo triste e tudo mais...

    Bjss


    ResponderExcluir
  8. Oi Lilian, tudo bem?
    Estou tentando comprar esse livro e não consigo, li os dois primeiros e amei, falta esse que sua resenha só me deixou com mais vontade ainda de ler.
    Bjs

    http://a-libri.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Realmente a ideia do livro é bem interessante! Não sei se leria agora por se tratar de uma trilogia, e ando evitando séries, mas com certeza é uma boa pedida ;)

    ResponderExcluir
  10. Oiiie
    O livro parece ser bem legal para amadores do gênero, não é o meu caso então vou deixar passar a dica, mesmo assim, sua resenha está ótima

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma

 

Fanpage

Seguidores

Compre aqui

Compre aqui
Livro Mulheres que não sabem chorar

Curta também:

De olho

Arquivo do Blog

Direitos autorais

Google+ Followers

Autora dos livros O Céu é Logo Ali, Mulheres Que Não Sabem Chorar e Desconectada. Em seus livros ela aborda temas como sexualidade, liberdade, amor, preconceito, homossexualidade, violência sexual, alcoolismo, etc. A escritora mantém um blog literário e trabalha com educação.

Siga-nos por e-mail

Copyright © 2015 • Poesia na alma