Resenha – Necrópole histórias de bruxaria




01 março 2016

Li Necrópole em um dia, mas com receio que fosse um desses livros chatos que que trata a temática ‘bruxaria’ de maneira leviana, nos envolvendo num terror sem sentindo, etc.  Me enganei, que sorte!


‘Sinopse: Um livro que reúne cinco talentos da literatura de suspense e terror, cada um deles apresentando uma história com 30 páginas, ambientada em uma metrópole genérica. Os vampiros – criaturas misteriosas e ao mesmo tempo tão difundidas na literatura – são apresentadas pelos autores em tramas bem estruturadas e inusitadamente surpreendentes.
Este é o primeiro volume de uma coleção que a editora Alaúde pretende dedicar ao segmento suspense/terror. A coleção sempre trará histórias inéditas com as mais promissoras revelações do gênero em edições temáticas: lobisomens, espíritos, bruxas, seres míticos e outros assuntos relacionados.O principal aspecto deste projeto não é apenas a pontualidade da coleção, mas também a apresentação de novos talentos da literatura brasileira de terror e suspense.’

Não é um livro que se lê várias vezes, porém é um livro que as histórias martelam na cabeça por dias, que causa ressaca literária. Conforme as horas vão passando, me vi lembrando de frases e histórias lidas...  Não encontrei uma visão distorcida e absurda sobre bruxaria. O que vi, foi o tratamento da espiritualidade, que em desconexão com a harmonia da vida, nos coloca frente ao que de pior pode existir na essência humana e suas escolhas.

“Em Cândido somos atirados em uma realidade desesperançosa e solitária, onde percebemos que a magia do mundo não é algo que possa ser criado apenas conscientemente. Aqui, a magia pode nascer de sentimentos intensos como o amor e a paixão, o ciúme e a posse.”

Necrópole é um conjunto de contos com diversos autores: Alexandre Heredia, Camila Fernandes, Eric Novello, Gianpaulo Celli, Nazarethe Fonseca e Richard Diegues.
Particularmente gostei de todos os textos, mas lógico tiveram aqueles que me prenderam mais. O Sagrado profano se passa num terreiro de Candomblé, precisamente uma disputa mortal, entre quatro mulheres, pelo poder de assumir o barracão – forma que é definido no livro – contudo deve-se ter muito cuidado com o que se deseja, pois a possibilidade de se conseguir é grande. E como todo bônus tem seu ônus... a banalização da vida em prol de um falso poder é exposto de forma simples, porém instigante.

“Hoje sou rei. E nenhuma pessoa pode dominar um rei. Sei que você achou que as mulheres estavam me conduzindo. O rei conduz. Minha força veio do seu desejo. Do desejo de todos aqui. Ninguém quer mudanças. Nem ninguém para substituir a mãe Gina. O barracão é independente.”

Cândido até agora está zunindo (ou latindo) no meu ouvido, juízo e tudo mais. Uma história forte e canina, literalmente. É de tirar o fôlego e nos fazer refletir sobre a natureza humana, nossos atos instintivos, nossa necessidade de preservação.  “toda ação na vida tem uma consequência” E Luana sai do rotineiro básico para uma história visceral e vagabunda, com consequências sobrenaturais e mortais e de um novo ciclo que se inicia com o fim.

Foi uma leitura agradável e uma grata surpresa.

Lilian Farias 

11 comentários:

  1. Lilian! ah! você me deixou curiosa! Faz um tempão que não leio um livro com coletâneas de histórias, é bom por que tem vários universos em um livro só!O livro deve ser muito bom para ser devorado em um dia! Amei a resenha, este título vai para a lista!
    Um grande abraço!

    Amanda Ramos

    ResponderExcluir
  2. Nos últimos meses venho querendo muito e pesquisando sobre a literatura nacional. Alguns dos autores eu conheço e outros já li ótimas referência.

    A literatura fantástica nacional a cada dia revelando nomes criativos.

    Parabéns pela resenha.

    Atenciosamente,
    R.S.Merces

    ResponderExcluir
  3. Eu considero livros de contos e antologias uma boa forma de fazer um primeiro contato e conhecer novos autores e em se tratando de uma antologia com vários autores escrevendo sobre um mesmo tema, por mais que os enredos sejam diferentes é muito interessante ver de qual maneira cada autor é capaz de abordar esse tema. Fiquei interessada por esse livro, gosto desse tipo de literatura e a capa também é bem impressionante.

    ResponderExcluir
  4. Nossa, gostei muito da resenha. Os trechos do livro, me deixaram mais curioso ainda! Gosto de estórias de bruxas... Pretendo ler este livro agora!

    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Não conhecia o livro ainda, mas parece ser muito bom!!!

    Beijo,
    www.estanteseletiva.com

    ResponderExcluir
  6. Olá,

    não conhecia essa obra, parece ser legal. Gostei bem da sua resenha, esses trechos me despertaram a curiosidade sobre o livro, acho legais as histórias de bruxarias. www.sagaliteraria.com.br

    ResponderExcluir
  7. Oii *--*

    Não conhecia o livro. Confesso que não leria esse livro, acho esse tema de bruxaria "real" muito pesado, e sempre acabo de impressionado muito fácil. Apesar disso, gostei bastante da sua resenha, você soube expor muito bem seu ponto de vista sobre a obra.

    Bjos

    http://rillismo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Lilian, realmente é um livro bem diferente sobre bruxaria, nada parecido com que já vi ou li.
    Fiquei muito curiosa para ler, fiquei bastante intrigada.

    Lisossomos

    ResponderExcluir
  9. Oee! Sou apaixonado por história, muito pela história das bruxas e este livro me interessou para xuxu U-U Não só digo que leria como também que pretendo assim que pintar a famosa: Grana.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  10. Confesso que adoro o gênero sobrenatural, mas a bruxaria é o que menos me agrada na literatura... Não sei, acho que pelos clichês que ela carrega e porque a magia acaba sendo imprevisível, sempre levando o enredo para outros caminhos inesperados. Isso me cansa. Mas notei que não é essa a proposta do livro. Não é falar de "magia", mas do que representa a bruxaria e as consequências de seu uso a depender dos objetivos. Curti.

    Beijos!
    http://www.myqueenside.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Olá, Lilian. Adorei a temática sobrenatural, ainda mais que é contada em forma de contos. Confesso que não conheço nenhum dos autores presentes no livro.
    Assim que eu tiver a oportunidade irei ler o livro, ótima dica!

    Beijo,
    http://www.pactoliterario.com/

    ResponderExcluir

O Poesia na Alma pertence ao universo da literatura livre, como um bicho solto, sem dono e nem freios. Escandalosamente poéticos, a literatura é o ar que enche nossos pulmões, cumprindo mais que uma função social e de empoderamento; fazendo rebuliço celular e sexo com a linguagem.

@Poesianaalma

 

Fanpage

Seguidores

Compre aqui

Compre aqui
Livro Mulheres que não sabem chorar

Link Me

Curta também:

Parcerias

De olho

Arquivo do Blog

Direitos autorais

Google+ Followers

Autora dos livros O Céu é Logo Ali, Mulheres Que Não Sabem Chorar e Desconectada. Em seus livros ela aborda temas como sexualidade, liberdade, amor, preconceito, homossexualidade, violência sexual e alcoolismo. A escritora mantém um blog literário e está sempre bem informada sobre questões sociais que acontecem em nosso país. É defensora da tese de que todos são diferentes e merecem ser tratados com equidade. Ela adora escrever sobre temas que incomodam e diz não ter medo do preconceito. Trabalha no movimento social e acredita que a educação é capaz de trazer mudanças significativas ao país.

Siga-nos por e-mail

Copyright © 2015 • Poesia na alma